sábado, 3 de março de 2012

Fwd: BRASIL! BRASIL!




BRASIL! BRASIL!


Posted: 03 Mar 2012 05:08 AM PST


Yvna Sousa, Valor Online

"A presidente Dilma Rousseff embarcará neste sábado à noite para Hannover, na Alemanha. Na segunda e na terça-feira, participará da CeBIT, a maior feira mundial de tecnologia de informação. O Brasil é o destaque da edição deste ano do evento.

Dilma participará da abertura da feira e, mais tarde, de um jantar oferecido pela chanceler alemã Angela Merkel. Em seguida, elas terão um encontro privado.

A situação financeira internacional e as medidas de ajuda aos países em crise devem ser os principais assuntos da conversa. Em evento no Palácio do Planalto, Dilma Rousseff apontou na quinta-feira a existência de um "tsunami monetário" derivado da emissão de moeda nos países ricos, como Estados Unidos e nações da União Europeia.

Segundo Dilma, os países ricos adotaram uma "política monetária absolutamente inconsequente" e "perversa" que tem prejudicado os países em desenvolvimento, como o Brasil. A presidente disse que é preciso tomar medidas para impedir que "os métodos de saída da crise dos países desenvolvidos impliquem na canibalização dos mercados dos países emergentes".
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Mar 2012 05:01 PM PST




Posted: 02 Mar 2012 04:39 PM PST


"O ex-prefeito chegou tarde para disputar as prévias do PSDB, conseguiu adiá-las e pode ser o candidato referendado por bases que reclamam fundamentalmente do fato de que, sob o seu domínio, não tiveram nem vez, nem voz no partido.

Maria Inês Nassif, Carta Capital

José Serra chegou tarde na disputa pela legenda do PSDB à prefeitura paulistana: antes de declarar suas intenções, foram sete meses de disputa interna entre os quatro pré-candidatos tucanos (José Anibal, Bruno Covas, Ricardo Tripoli e Andrea Matarazzo), que percorreram os 48 diretórios zonais da capital e fizeram debates regulares com filiados do partido. Mesmo que vença a disputa com os candidatos que sobraram – Bruno Covas e Andrea Matarazzo abriram mão de suas candidaturas em favor de Serra –, o ex-prefeito terá de lidar com bases políticas que, pela tradição tucana pós-Covas, estavam alijadas até agora das decisões partidárias, e pela primeira vez na última década foram chamadas a debater e decidir uma candidatura.

Os relatos dos efeitos da disputa interna sobre uma base até então
desmotivada são unânimes em apontar que as prévias foram um sopro de vida num partido altamente hierarquizado e sem vida interna fora dos seus quadros institucionais. Da participação da militância, tucanos levaram também a informação de que há um desconforto explícito com o distanciamento de Serra. O cacique tucano esteve no centro da política tucana paulista praticamente por toda a última década , mas trabalhou em isolamento completo em relação ao partido. À sua volta, formou-se um partido paralelo, o dos "serristas", que sempre se sobrepôs e manobrou as decisões do PSDB.

O primeiro vice-presidente municipal, João Câmara, um dos que se revoltaram com as manobras feitas pelo grupo serrista na reunião da Executiva, segunda-feira, que conseguiram o adiamento da consulta, do dia 4 para o dia 25 de março, acha que Serra é a personificação do mal no partido: "O Serra historicamente é sinônimo de desagregação do PSDB nacional, estadual e municipal", vocifera. Outro integrante do partido acha que, pior do que Serra, são os serristas. O método do grupo mantém o partido em crise permanente, para dentro, e para fora expressa "posições elitistas, antipáticas e arrogantes", às quais atribui a rejeição enorme atingida pelo tucano nas últimas pesquisas de intenção de voto."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 02 Mar 2012 04:25 PM PST


"Numa solenidade das mais concorridas, realizada no Palácio do Planalto no dia 18 de novembro do ano passado, a presidenta Dilma Rousseff sancionou a lei que cria a Comissão da Verdade. Cem dias já se passaram e até o momento a Comissão não foi instalada porque os seus membros não foram indicados pela chefe do Executivo.

Messias Pontes, Vermelho

O Brasil não pode continuar sendo o País da impunidade e levado ao banco dos réus por órgãos internacionais – como a Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA – por não punir aqueles que cometeram crimes contra a humanidade. É oportuno lembrar que o Brasil é o único do subcontinente sulamericano a não punir os agentes do Estado – civis e militares – que sequestraram, torturaram, mataram e ocultaram o corpo de centenas de democratas que lutaram contra a ditadura militar que durante 21 longos anos infelicitou a nação brasileira, se constituindo numa das maiores tragédias nacionais.

Enquanto a Comissão da Verdade não é instalada, as viúvas da ditadura militar continuam aprontando, como ocorreu semana passada com os comandantes dos três clubes dos militares da reserva do Exército, Marinha e Aeronáutica, que exigiram da presidenta Dilma a punição para as ministras Maria do Rosário, do Direitos Humanos, e Elionora Menicucci, da Mulheres, que defenderam a apuração dos crimes da ditadura militar (1964-1985).

O manifesto que estava no site dos Clubes Militares foi retirado do ar por sugestão dos comandantes das três Forças. Porém ontem um grupo de 98 militares golpistas de pijama publicaram outro manifesto desafiando a presidenta Dilma e o ministro da Defesa,Celso Amorim. Eles dizem não reconhecer a autoridade do ministro Celso Amorim para proibi-los de expressar opiniões.

O novo texto foi divulgado no site da esposa do coronel Carlos Alberto Ustra, um dos subscritores do documento, e que é acusado de torturar presos políticos nos porões do DOI-Codi de São Paulo –aparelho de repressão do Exército onde eram cometidas as maiores atrocidades. Esse coronel de pijamas, que chefiava o DOI-Codi, está sendo processado na Justiça pela prática de tortura."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 02 Mar 2012 03:57 PM PST


"Não é piada. Foi isso o que disse o senador Demóstenes Torres (DEM/GO), um dos principais moralistas do Congresso, sobre suas relações com Carlinhos Cachoeira, o mais destacado mafioso brasileiro; o bicheiro dava até presentinhos ao senador



"Ex-delegado, o senador Demóstenes Torres (DEM/GO) se especializou nos últimos anos em posar como eterno paladino da ética, pronto a assinar qualquer pedido de CPI e a prestar declarações a todo órgão de imprensa disposto a repercutir escândalos de corrupção. Até aí, tudo bem. Esse é o papel democrático da oposição. O que não se sabia – e se sabe agora – é que Demóstenes Torres é amigão do peito do bicheiro Carlinhos Cachoeira, preso ontem na Operação Monte Carlo da Polícia Federal. Questionado sobre suas relações com o Don Corleone brasileiro (leia mais aqui), Demóstenes soltou uma pérola: "Pensei que ele tivesse abandonado a contravenção e se dedicasse apenas a negócios legais".


Não, Demóstenes.


Impossível. O Brasil inteiro sabia das atividades ilegais de Carlinhos Cachoeira. Especialmente em Goiás, onde ele administrava uma rede de cassinos ilegais. O que o Brasil não sabia – e sabe agora – é que Cachoeira dava as cartas no governo de Goiás, nomeando delegados e técnicos de várias áreas do governo (leia mais aqui).


O que o Brasil também não sabia – e sabe agora – é que Cachoeira dava presentinhos ao senador mais moralista da República. No casamento do senador, o presente dado pelo bicheiro foi uma cozinha completa. "Sou amigo dele há anos. A Andressa, mulher dele, também é muito amiga da minha mulher", declarou Demóstenes.


Além de desmoralizar o senador goiano, a Operação Monte Carlo também pode arruinar a carreira política do governador Marconi Perillo, do PSDB, que entregou a segurança pública do seu estado a um dos maiores contraventores do País."


Posted: 02 Mar 2012 03:52 PM PST






Posted: 02 Mar 2012 03:48 PM PST


Ana Cláudia Barros e Marina Dias, Terra Magazine

"Após o manifesto antipetista do PMDB se tornar público, com críticas à maneira de governar do PT e da presidente Dilma Rousseff, o maior partido aliado do governo se tornou foco de observação do Palácio do Planalto. Segundo o presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), o documento assinado por 45 deputados peemedebistas - quase 60% da bancada do partido na Câmara - não significa uma ruptura com o governo. "É mais um alerta", disse.

Em conversa com Terra Magazine, o presidente afirmou que a ideia de produzir o manifesto começou em uma reunião na sala da presidência do PMDB, sedida por ele, na tarde de quarta-feira (29), com deputados do PMDB-RS, como Osmar Terra, Alceu Moreira e Darcísio Perondi. Segundo Valdir Raupp, são "inúmeras" as insatisfações do PMDB em relação ao governo mas, com as conversas da presidente com lideranças da base, "isso deve acalmar logo".

"A insatisfação da bancada começa pelas eleições municipais, porque há um trabalho intenso para neutralizar candidaturas do PMDB em várias cidades do país e as eleições deste ano são muito importantes para quem está visando 2014. Não queremos cargos, isso é secundário para mim e para grande parte do partido. O foco é 2012 e 2014", enfatizou o peemedebista."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Mar 2012 03:30 PM PST
Luis Nassif, blog: Luis Nassif Online

Lideranças do PSD estão imersas em elucubrações sobre os motivos que levaram o prefeito paulistano Gilberto Kassab a apoiar José Serra. 


Politicamente é um desastre para o PSD e, dentro do partido, para Kassab.


Chegou-se a aventar a possibilidade de Kassab estar nas mãos de Serra devido a algum segredo recôndito. A explicação é muito mais simples do que parece e pode ser buscada nas origens políticas de Serra, ainda no governo Montoro.


A carreira de Serra foi montada em cima de dois Serra, o 1 e o 2


Seu lado mais eficiente foi o Serra 2, da gestão financeira informal do partido. No governo Montoro indicou os financeiros das principais estatais paulistas; controlou a liberação dos precatórios; monitorou ferreamente a importação de equipamentos médicos. Mais tarde, comnandou a ala tucana do Banespa, através de seu sócio Vladimir Riolli; foi o tucano mais influente no Banco do Brasil, através de Ricardo Sérgio; no Planejamento, controlou as privatizações e foi o mais ferreo defensor (para dentro), embora se poupasse (para fora). Na Saúde, meteu-se na encrenca das ambulâncias. Eleito prefeito, trouxe para a prefeitura um conjunto enorme de prestadores de serviços que atuavam principalmente no Distrito Federal.  No Estado, teve o Rodoanel e Paulo Preto.


Serra 2 foi blindado pelo seu alter ego público, o Serra 1, suposto intelectual, economista desenvolvimentista etc. Foi uma blindagem esperta, porque contou, durante anos, com o aval de intelectuais de peso - como Maria da Conceição Tavares, Carlos Lessa e Luiz Gonzaga Beluzzo - iludiu políticos ladinos - como FHC e Lula -, sem contar os jornalistas que caimos nesse conto."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 02 Mar 2012 08:57 AM PST




Posted: 02 Mar 2012 08:50 AM PST


"Ainda não caiu a ficha da imprensa brasileira sobre a gravidade da Operação Monte Carlo, que prendeu Carlos Cachoeira. O Michael Corleone tupiniquim explorava cassinos, mandava na segurança pública de Goiás, mantinha um esquema de espionagem e pode arruinar a carreira de Marconi Perillo

Brasil 247

Um dos maiores escândalos já vistos no Brasil ainda não ganhou a devida atenção da imprensa nacional. Preso ontem pela Polícia Federal, na Operação Monte Carlo, o bicheiro Carlos Cachoeira, que explorava uma rede de caça-níqueis e cassinos ilegais em cinco estados brasileiros, é um personagem semelhante ao lendário mafioso Michael Corleone, interpretado de forma magistral por Al Pacino em "O Poderoso Chefão". Cachoeira mandava na polícia, tinha jornalistas na sua folha de pagamento, mantinha uma rede de espionagem ilegal e – o mais grave – nomeou dezenas de pessoas para o governo do tucano Marconi Perillo, em Goiás. Isso está dito textualmente na decisão do juiz da 11ª Vara Criminal da Justiça Federal de Goiás, da seguinte maneira: "Descobriu-se a influência de CARLOS CACHOEIRA na nomeação de dezenas de pessoas para ocupar funções públicas no Estado de Goiás". Ou seja: o governador teria loteado a área de segurança pública a um dos maiores mafiosos do País. E, até agora, Perillo ainda não deu uma única declaração sobre a operação Monte Carlo.

O que se comenta em Brasília é que Cachoeira ajudou a bancar a campanha de Perillo ao governo de Goiás em 2010. Um dos primeiros nomes recrutados foi o do sargento Idalberto Araújo, conhecido como Dadá e notoriamente um dos maiores especialistas em grampos ilegais do País. Outro nome foi o jornalista Alexandre Oltramari, que, antes de se dedicar à campanha de Perillo, era um dos principais repórteres investigativos da revista Veja. Na sentença, o juiz da 11ª Vara também destaca que, ao desarticular a quadrilha de Carlos Cachoeira, foi possível descobrir uma imensa rede de espionagem ilegal. Por isso mesmo, Dadá está preso e, se contar o que sabe, poderá abalar a República.

Os cassinos de Carlinhos Cachoeira em Goiânia e Valparaíso, nas cercanias de Brasília, tinham rendimento médio de R$ 3 milhões/mês, segundo os procuradores Daniel de Resende Salgado, Lea Batista de Oliveira e Marcelo Ribeiro de Oliveira. Também foi preso, como integrante da quadrilha, o ex-presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Wladmir Garcez.

Outro personagem que se mantém em silêncio, além do governador Marconi Perillo, é o secretário de Segurança Pública e Justiça de Goiás, João Furtano Neto. Na Operação Monte Carlo, foram fisgados seis delegados da Polícia Civil, 29 policiais militares e o próprio corregedor da Secretaria de Segurança."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Mar 2012 08:36 AM PST



"Durante a solenidade de posse do novo ministro da Pesca, Marcelo Crivella, nesta sexta-feira, a presidente Dilma Rousseff se emocionou e chorou ao lamentar a saída de Luiz Sérgio de sua equipe de ministros. Dilma defendeu as alianças e coalizões políticas como "essência para que o Brasil seja administrado". A presidente acrescentou ainda que, "infelizmente", às vezes é preciso "prescindir" de algumas pessoas no governo.

"Luiz Sérgio, você foi e é um amigo e um parceiro que compreende a natureza de um governo de coalizão assim como a dedicação que a política muitas vezes acaba por nos impor em nome dos interesses do país", disse Dilma. 

"A história recente do Brasil, de afirmação da democracia [...], tem sido marcada pelo exercício do poder por meio de alianças e coalizões politicas. Nisso o meu governo não é diferente. Esse é um país extremamente complexo, múltiplo e democrático. Assim sendo, a constituição de alianças políticas é essência para que o Brasil seja administrado, para que o Brasil seja governado de forma democrática e, ao mesmo tempo, que o governo represente os interesses da nação", disse Dilma.

Crivella é apontado como uma indicação estratégica para aproximar o governo do setor evangélico." 


Posted: 02 Mar 2012 08:21 AM PST


Hermano Freitas, Portal Terra

"O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), confirmou nesta sexta-feira as declarações citadas pelo presidente do PT, Rui Falcão, em entrevista publicada pelo jornal Folha de S.Paulo. Ao jornal, Falcão afirmou que Kassab acreditava que o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) apoiaria a reeleição de Dilma Rousseff em 2014, em uma eventual disputa contra seu colega de partido Aécio Neves. Apesar de confirmar as declarações, Kassab disse que isso se tratava apenas de uma "avaliação pessoal".


Em entrevista ao jornal, Falcão disse que Kassab o confidenciou que "o (José) Serra (PSDB) não vai mais ser candidato a presidente da República". "Para Dilma Rousseff, a melhor coisa que poderia acontecer é o Serra prefeito de São Paulo. Porque se tiver Dilma e Aécio (Neves, do PSDB), Serra é Dilma (na disputa presidencial de 2014)", afirmou Falcão."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Mar 2012 08:16 AM PST






Posted: 02 Mar 2012 08:07 AM PST


Urariano Mota, Direto da Redação

"A mais recente indisciplina de militares reformados contra a Comissão da Verdade, em manifesto onde tentam intimidar com as palavras "a aprovação da Comissão da Verdade foi um ato inconsequente, de revanchismo explícito e de afronta à Lei da Anistia com o beneplácito, inaceitável, do atual governo" acende na gente duas observações.


Na primeira delas, chama a atenção que se dirigem mais aos colegas de farda, na ativa, que aos de fora dos quartéis. O que vale dizer, os generais e coronéis reformados clamam por uma quartelada, por um novo golpe de "31 de março", mais conhecido adiante por revolução de primeiro de abril. Isso é claro porque em mais de um ponto escrevem – ou gritam, à sua maneira de escrever – que não reconhecem autoridade no atual Ministro da Defesa, nas Ministras de Direitos Humanos e de Política para as Mulheres. E, por extensão, desconhecem o poder legítimo da  Presidenta Dilma.


Na segunda observação, notamos que eles -  os amotinados no manifesto – fazem uma chamada geral, à Nação, aos colegas armados, gritam falar em nome de todos, mas falam em seus próprios, exclusivos e antigos interesses. A saber, quem assim reclama contra a  Comissão da Verdade, teme a justiça e a punição por crimes e acobertamento de homicídios cometidos. E não é preciso muito Sherlock Holmes para essa conclusão. Três dos assinantes são ex-torturadores reconhecidos por ex-presos políticos: os coronéis Carlos Alberto Brilhante Ustra, Pedro Moezia de Lima e Carlos Sergio Maia Mondaini.


Deste último, o ex-preso político e jornalista Ivan Seixas conta que "esse torturador, oficial médico psiquiatra, era conhecido na OBAN pelo vulgo de Doutor José. Entre outras proezas gozava nas calças ao ver as companheiras nuas se retorcendo com os choques elétricos aplicados por ele". Daí podemos entender o tamanho da urgência desses militares reformados contra a volta do conhecimento da História em uma Comissão da Verdade. Invocam os nomes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica para melhor abrigo da pessoa criminosa. Mas todos sabemos, por delegação expressa do povo as forças armadas jamais abrigarão ou abrigariam o crime e a perversão."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 02 Mar 2012 07:38 AM PST



"Desde que passou a liderar na audiência brasileira, há mais de 40 anos, a Globo nunca fechou um mês com números tão baixos quanto os apresentados em fevereiro deste ano. De acordo com dados divulgados pelo colunista da Veja Lauro Jardim, a emissora registrou média de 14,4 pontos no mês.

Há um ano, diz Jardim, o canal carioca fechou fevereiro com média de 15,9 pontos no Ibope da Grande São Paulo - maior praça do país, onde cada ponto equivale a 58 mil domicílios.

"A notícia só não é tão ruim para a Globo por que nenhuma das concorrentes ganhou público no mês passado – tanto em relação a fevereiro de 2011 quanto em comparação a janeiro deste ano", afirma o colunista.

Os dados mostram que a Record se mantém na vice-liderança, com média de 6,8 pontos, sendo que em 2011 eram 7,2. Todas caíram: SBT foi de 5,6 para 5; Band, de 2,5 para 2; e RedeTV!, de 1,4 para 1,1.

A redução se deu por conta da diminuição na quantidade de televisores ligados, no mesmo período: de 41,9 para 39, em média."



Posted: 02 Mar 2012 07:15 AM PST


Gilberto Dimenstein, portal aprendiz

"Para algumas pessoas, é melhor colocar um bom vídeo educativo em sala de aula do que um professor ruim. Essa ideia ganha corpo, por exemplo, por conta dos vídeos gratuitos do professor Salman Khan. Agora traduzidos para o português, eles ensinam de maneira simples e eficaz temas complexos (acesse os vídeos aqui). Maluquice? Seria a desmoralização do professor de carne e osso?

Pode-se argumentar que nada mais importante do que um bom professor em sala de aula, instigando a curiosidade. Mas, possivelmente, qualquer um ficaria mais propenso a usar apenas o vídeo do que um professor que sequer consegue ser aprovado numa seleção para dar aulas, reprovado em um teste básico.

É simplesmente desmoralizante para a carreira, como está ocorrendo no governo Alckmin: professores reprovados nos testes são chamados a dar aulas –também é chamado quem nem mesmo fez um teste. O que essa pessoa tem a ensinar se ela própria não aprendeu? Como vai motivar o aluno?"
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Mar 2012 06:53 AM PST


Diogo Martins, Valor Online

"O Índice de Preços ao Produtor (IPP) caiu 0,46% em janeiro, depois de apresentar queda de 0,17% no mês anterior. O IPP mede a variação dos preços dos produtos na porta de fábrica, sem impostos e fretes, de 23 setores da indústria de transformação.

Em janeiro,11 das 23 atividades apresentaram variações positivas nos preços. As maiores altas foram em fabricação de máquinas e equipamentos, com avanço de 2,45%, e de equipamentos de informática, com aumento de 1,23%.

As maiores variações negativas foram em em outros produtos químicos, com queda de 2,93%; e papel e celulose, em baixa de 1,99%."


Posted: 02 Mar 2012 06:21 AM PST
Fernando Brito, Projeto Nacional

"Ninguém de bom-senso pode achar que num mundo como o de hoje, cheio de vasos comunicantes entre as esconomias e empresas, seja possível adotar um câmbio extremamente rígido, a não ser que o Governo queira manter uma cotação artificial à custa da queima de suas reservas ou de um endividamento brutal para obter recursos.

O Brasil fez isso naquele famigerado tempo da "banda cambial", que acabou terminando do jeito que todos sabemos.

O que acontece agora, e que a presidenta Dilma Rousseff chamou hoje de "tsunami monetária" é simplesmente o fato de estarem-se simplesmente lançado uma quantida imensa de diheiro em circulação , como os 530 milhões de Euros liberados ontem pelo Banco Central

Europeu, sem políticas capazes de absorvê-los sem que se lancem sedentos sobre os países em desenvolvimento, porque não encontram, por lá, nem juros compensadores nem a perspectiva de investir em produção, pois o desemprego e a queda da renda arruinaram o consumo.

Embora os apressados quisessem que se anulassem todas as medidas restritivas à entrada de dólares logo que a moeda americana se valorizou, o que estamos é na imiência de te-las de torna-las ainda mais drásticas."
Artigo Completo, ::Aqui::


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610





--
Francisco Almeida / (91)81003406

Postar um comentário