domingo, 4 de março de 2012

Fwd: BRASIL! BRASIL!




BRASIL! BRASIL!


Posted: 03 Mar 2012 04:58 PM PST


Anne Warth, Agência Estado / estadão.com

'O pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Aníbal, criticou hoje a postura de José Serra, que também disputa a indicação do PSDB para concorrer ao mesmo cargo. Após participar da missa de 11 anos da morte do ex-governador, Mário Covas, Aníbal disse: "Eu acho que se ele (Serra) estiver fazendo isso, estará cometendo um erro muito grave", disse. A afirmação foi feita em resposta a questionamentos da imprensa sobre mensagem postada hoje por Aníbal em seu twitter. No microblog ele diz: "Com o passar dos dias o último candidato inscrito nada fala de debates sobre a cidade, mas já ensaia falar como indicado."

"As prévias vão ser no dia 25 e já há uma sensibilidade de que ele tem uma certa resistência a esse procedimento. É uma boa hora de ele fazer o contrário e seguir a minha postura e a do também pré-candidato Ricardo Trípoli, que estamos inscritos há mais tempo e temos conversado com a militância para construir um programa de governo", disse hoje.

Na avaliação de Aníbal, a militância tucana quer votar e escolher o candidato. Ele cobrou também a realização de debates entre os pré-candidatos. "Eu espero que os debates ocorram, até porque fizemos um adiamento nas prévias na expectativa por mais tempo para conversar e motivar os militantes", afirmou."


Posted: 03 Mar 2012 04:42 PM PST




Posted: 03 Mar 2012 04:38 PM PST


Altamiro Borges, Blog do Miro

"Em artigo nesta semana no jornal O Globo, Merval Pereira, o "imortal" da Academia Brasileira de Letras, voltou a demonstrar que não é tão imortal assim. Ele tem medo – lembra até a Regina Duarte. O seu maior temor na atualidade parece ser com o avanço do debate sobre a regulação da mídia na América Latina. Para ele, tudo não passa de um atentado à liberdade de imprensa.

No panfleto, ele critica os governos democraticamente eleitos na região. Ou seja: ele também tem medo da democracia, do voto popular. Hugo Chávez (Venezuela), Rafael Correa (Equador) e Cristina Kirchner (Argentina) expressariam a "tentativa de governos autoritários ou ditaduras de conter a liberdade de expressão". Eleito no chá das cinco da ABL, o "imortal" dá lições de democracia!

Sobrou até para o cordato governo Dilma

De quebra, ele também ataca o cordato governo brasileiro. "No Brasil – uma democracia que se distancia das práticas de outros países como a Argentina, mas que está próxima politicamente de todos esses governos autoritários da região –, há tentativas de controle da liberdade de imprensa por ações propostas por setores petistas, até o momento rejeitadas por Dilma Rousseff".

O novo "pânico" do imortal decorre de dois fatos recentes: o sigilo sobre a doença de Hugo Chávez e o "perdão" de Rafael Correa aos serviçais do jornal golpista "El Universo", condenados por calúnia. Para o colunista da famiglia Marinho, estes fatos revelam a carência de democracia. Ele até ligou para "amigos" em Miami para obter informações sobre a saúde do presidente venezuelano.

O "imortal" esqueceu a Colômbia

O interessante é que o artigo, tão preocupado com a liberdade de expressão, não fala nada sobre a Colômbia, país recordista em assassinatos de jornalistas na América Latina. Também não cita o México, onde virou moda o sumiço de blogueiros. Isto confirma que o "imortal" Merval Pereira tem medo apenas dos governos mais à esquerda. Ele adora os governos de direita!"


Posted: 03 Mar 2012 04:21 PM PST


"Notícia sobre as relações do bicheiro com governador Marconi Perillo, do PSDB, e Demóstenes Torres, do DEM, é quase invisível no jornal; será que o PIG existe mesmo?


Pé de uma página par, sem fotos, e sem referência aos nomes dos políticos no título e no olho. Assim, a Folha de S. Paulo noticiou o que apurou sobre as relações entre o mafioso Carlinhos Cachoeira e dois personagens centrais da política goiana: o governador Marconi Perillo, do PSDB, e o senador Demóstenes Torres, do DEM.

Intitulada "Preso pela PF tinha contato com políticos de GO", a matéria está bem escondida. No entanto, a reportagem tem revelações importantes. Uma delas, a de que Perillo recebeu Carlinhos Cachoeira em audiência oficial. Outra, a de que Demóstenes jantava com frequência com o bicheiro, contando muitas vezes com a presença do governador. Além disso, Cachoeira era um suposto lobista da Delta Engenharia junto ao governo de Goiás.

Assim, como a Folha, as Organizações Globo também esconderam o que a Operação Monte Carlo traz de mais relevante: o fato de Carlos Cachoeira possuir influência direta no governo goiano (leia mais aqui)."


Posted: 03 Mar 2012 04:04 PM PST
"É só uma questão de tempo, de pouco tempo, para os gorilões despencarem do alto da torre e virarem qualquer coisa, virarem JB"

Marcelo Mirisola, Congresso em Foco

Os pães, e o jornal debaixo do braço. Era de lei: na volta da padaria passava no jornaleiro e trazia as notícias e os pães quentes para casa. A pergunta é: há quanto tempo você não passa no jornaleiro? Ou: há quanto tempo você não acorda, abre a porta de sua casa e depara com o jornal esperando para ser lido, antes mesmo de dar tempo de passar manteiga no pão?


O que vai matar os jornais impressos é a falta de hábito. Difícil vai ser acabar com o pão quente.


Vocês perceberam como os jornais perderam o viço, perderam o encanto?
As notícias têm outros endereços, e a urgência e a novidade dos jornais encontram-se em qualquer outro lugar. Difícil é encontrar pão quente na farmácia. Há coisa de vinte anos, você acordava ansioso pra ver o que o Paulo Francis havia escrito na Folha. Era o endereço dele. Em nenhum outro lugar você o encontraria, a não ser que vocês frequentassem a mesma padaria. Era o endereço da Marilena Chauí também, que se atravaca ferozmente com o jornalista.


Percebem como ela está quieta? A filósofa se diverte em sua caverna.


Não é nem pelo desaparecimento de Paulo Francis, o que não faltam são genéricos. Nem pela palidez e a falta de charme dos colunistas de hoje, a questão é que o palpite (ou a chatice) deles está em todos os lugares: no seu celular, no google, nos blogues, nas mesas redondas da tevê, na Casa do Saber, no Itaú Cultural, na Flip, no facebook, no tuiter e – por acaso – os encontramos nos jornais impressos e nas revistas semanais.


Tem o ouro quem paradoxalmente se manifesta o mínimo necessário. Marilena Chauí ganha de W.O.


O jornal impresso, hoje, é um ente tão esotérico como o ceguinho do realejo. E o leitor de jornal um excêntrico, como o aposentado que frequenta sebos, não sabe ligar o computador e nunca vai ouvir falar de um treco chamado "estante virtual".


Certamente para os apaixonados do Largo da Liberdade, o ceguinho do realejo é mais necessário do que qualquer jornal impresso, pois ele exerce a função primordial de informar quem o procura, e só pode ser substituído por outro ceguinho do realejo. O nome disso é exclusividade. Tem, portanto, razão de existir."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 03 Mar 2012 03:09 PM PST
Daniela Lima, folha.com

"O ex-governador José Serra passou por um constrangimento em seu primeiro dia de campanha como pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo.

Ao visitar o Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, na Vila Nova Cachoeirinha (bairro da zona norte da capital paulista), ele foi vaiado por um grupo de jovens que aguardava show no local, do rapper Criolo.

Apoiadores e eleitores simpatizantes do tucano tentaram abafar as vaias com aplausos, mas foi preciso que Serra fosse para outro ambiente no local para que o barulho acabasse."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 03 Mar 2012 07:41 AM PST
"Carlinhos Cachoeira, que mandava na segurança pública de Goiás, foi detido numa residência que já pertenceu ao atual governador do Estado; ligações com Marconi Perillo, do PSDB, e Demóstenes Torres, do DEM, são íntimas, mas assunto continua ignorado por veículos como Globo, Folha, Estado, Veja e até pelos que se intitulam progressistas; por que será?

Brasil 247

A prisão do bicheiro Carlinhos Cachoeira, que administrava uma série de cassinos ilegais em Goiás e nas cercanias de Brasília, cada um com faturamento mensal na casa de R$ 3 milhões, tem provocado um verdadeiro tsunami político em Goiás, estado administrado por Marconi Perillo, que vinha sendo apontado como um possível presidenciável do PSDB. Até agora já se sabe que:


1) o mafioso Cachoeira nomeava delegados e pagava mesada a policiais de Goiás (leia mais aqui)


2) o mafioso Cachoeira distribuía presentes ao senador Demóstenes Torres (DEM/GO) (leia mais aqui)


3) o mafioso Cachoeira indicava parentes até para a Secretaria de Indústria e Comércio de Goiás (leia mais aqui)


Agora, mais uma revelação estarrecedora. Ele foi preso na sua residência, em Goiânia. Uma casa que, até 2010, pertencia a quem? Ao governador Marconi Perillo. Leia, abaixo, reportagem de hoje publicada pelo jornal O Popular, o principal de Goiás:


Marconi Perillo (PSDB) disse ontem ao POPULAR que vendeu sua casa no Residencial Alphaville Ipês, onde morou por quatro anos – de 2007 a 2010 –, para Walter Paulo Santiago, proprietário da Faculdade Padrão, no início de 2011, em um negócio intermediado pelo ex-vereador Wladmir Garcêz. A casa é a mesma onde o empresário Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, foi preso quarta-feira pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo, na Rua Cedroarana, Quadra G-3, Lote 11.


Marconi disse que não sabia que Cachoeira morava na casa, que foi vendida por R$ 1,4 milhão, dividido em três parcelas, segundo o governador. "Foi um negócio normal, fechado há um ano e já devidamente declarado no Imposto de Renda deste ano. Essa pergunta (sobre o morador) tem de ser feita ao proprietário da casa", afirmou.


A casa consta na declaração de bens apresentada por Marconi à Justiça Eleitoral na campanha de 2010, ao valor de R$ 417.816,13.


O tucano contou que Wladmir o procurou mostrando-se ele próprio interessado na compra. "Isso a gente espalha para os amigos, pede ajuda. Aí o Wladmir entrou em contato. Quando fui passar a escritura, ele me informou que seria Walter Paulo o comprador. Eu nem falei com ele (Walter). O dono do cartório trouxe os documentos para eu assinar e depois levou ao comprador.


Recebi os três cheques e fui fazendo os depósitos como combinado", disse.
Reportagem da revista Época, divulgada ontem no site, informa que as investigações apontaram relações políticas de Cachoeira em Goiás (leia reportagem abaixo). Segundo o texto, as gravações da PF mostraram que Wladmir trocou "dezenas de torpedos" pelo celular com o governador.


Marconi atribuiu a troca de torpedos à negociação sobre a venda da casa e à relação política que tem com o ex-vereador. "Eu o conheço há 20 anos, desde que ele era da Legião Brasileira de Assistência (LBA), onde foi superintendente. Ele assessorou a Lúcia Vânia, o Henrique Meirelles, e apoiou minha eleição, foi presidente da Câmara de Goiânia. Depois ele saiu da política daquele jeito que todos sabem e reduzimos o contato. Mas ele e a irmã me ajudaram novamente nas eleições", disse, admitindo que o ex-vereador indicou nomes para cargos no governo. "Ele me levou uma lista e alguma coisa foi atendida, mas não sei quem são as pessoas."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 03 Mar 2012 07:30 AM PST


"Um amigo íntimo de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, aparece com frequência nas conversas telefônicas gravadas mediante autorização da Justiça Federal, dentro da investigação que resultou na Operação Monte Carlo. O senador Demóstenes Torres (DEM-GO), líder do Democratas no Senado e uma das principais referências da oposição no Congresso, fez ligações e recebeu chamadas do bicheiro. As conversas evidenciam a amizade entre os dois. Algumas delas eram encerradas rapidamente — os diálogos continuavam em encontros posteriores, agendados nas ligações telefônicas.

Desde o início das investigações que resultaram na prisão de Cachoeira, ancoradas na quebra do sigilo telefônico do bicheiro, os diálogos com Demóstenes chamaram a atenção dos procuradores da República responsáveis pelo procedimento aberto. Por ter foro privilegiado, o senador — que foi promotor de Justiça antes de ocupar um cargo eletivo — não pode ser investigado pelos procuradores. Os diálogos mostram a relação entre Demóstenes e Cachoeira, mas são curtos e dão poucas pistas sobre a proximidade entre os dois. O Ministério Público Federal (MPF) em Goiás, que conduziu as investigações, já decidiu que as transcrições serão remetidas à Procuradoria-Geral da República (PGR), para a abertura de um novo procedimento de investigação."



A matéria completa você lê na edição impressa do Correio Braziliense deste sábado (3/03)


Posted: 03 Mar 2012 07:02 AM PST


"O colunista Hélio Schwartsman, na Folha de S. Paulo deste sábado (3), após fazer uma profissão-de-fé antiditatorial como preâmbulo, sustenta ser um "exagero, porém, que as leis e regulamentos castrenses permitam enquadrar e punir por desrespeito à hierarquia os oficiais reformados, que são, para todos os efeitos, cidadãos aposentados".

Celso Lungaretti, Náufrago da Utopia / Vermelho

Segundo Schwartsman, ainda é pouco o que lhes concedeu uma lei aprovada no catastrófico Governo Sarney, dando aos militares o direito de "opinar livremente sobre assunto político, e externar pensamento e conceito ideológico, filosófico ou relativo à matéria pertinente ao interesse público". Exatamente o que eles haviam negado à totalidade do povo brasileiro durante os 21 anos anteriores.

No entanto, a politização e a partidarização das Forças Armadas – às quais se acabará chegando se for flexibilizado demais o regulamento disciplinar dos fardados e pijamados – é potencialmente muito arriscada num país que passou por constantes turbulências de origem ou com envolvimento militar no início do século passado, sucumbindo em seguida a duas ditaduras dificílimas de remover.

Vejam o caso presente. Os seguidores do torturador Brilhante Ustra não estão discutindo a Comissão da Verdade em tese, mesmo porque já é lei contra cuja aprovação nada mais podem fazer, mas sim visando atingir objetivos eminentemente práticos: tentam intimidá-la, antes mesmo de empossada; e intimidar os ministros Celso Amorim, Eleonora Menicucci e Maria do Rosário; e intimidar a própria presidente Dilma Rousseff.

Externando sem papas na língua seu extremo desprezo pelo Legislativo e pelo Executivo, sonham mesmo é com uma volta ao escabroso período da tutela castrense sobre a Nação.

Então, enquanto subsistir tal viés totalitário e os militares da reserva insistirem em conturbar a política brasileira com ostensivas provocações, turvando a água para os pescadores da ativa eventualmente entrarem em cena, seria suicida uma postura complacente por parte do Governo Federal.

Não é hora de abrir mão de dispositivos aplicáveis dos regulamentos disciplinares dos fardados, mas, pelo contrário, deve utilizá-los na medida necessária para esmagar os ovos de serpente antes que eclodam.

Quando alguém tenta ganhar de um governo no grito, a sabedoria política e até o comezinho bom senso mandam que o governo grite mais alto."


Posted: 03 Mar 2012 06:51 AM PST


Luciana Lima, Agência Brasil

"O coordenador da Frente Parlamentar Mista pela Cidadania LGBT, deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), considerou uma "aberração" o projeto apresentado pelo deputado João Campos (PSDB-GO) que prevê mudanças na resolução do Conselho Federal de Psicologia, com o objetivo de permitir que psicólogos trabalhem na chamada "cura gay".

"Considero uma aberração o fato de se propor um projeto desses. Querem legalizar um tratamento que enseja tortura psicológica e física. O principal grupo dos Estados Unidos que defendeu a psicoterapia como forma de curar a homossexualidade já veio a público pedir desculpas pelos suicídios que muitos adolescentes cometeram, induzidos por esse suposto tratamento", argumentou o deputado.

Jean Wyllys avaliou que a inconstitucionalidade da proposta é clara porque fere o princípio da dignidade humana. "O projeto do deputado João Campos jamais será aprovado na Comissão de Constituição e Justiça porque fere o princípio da Constituição que é fundamental, o da dignidade humana. Além disso, a proposta contraria um ponto pacífico na comunidade científica que é a certeza de que a homossexualidade não é uma doença", destacou.

"Nenhuma orientação sexual é doença, nem a heterossexualidade, nem a homossexualidade, nem a bissexualidade. Não há hierarquia entre elas e uma não é mais saudável que a outra. São expressões diferentes da sexualidade humana. A comunidade cientifica entende, a Organização Mundial da Saúde também. Se todos os tratados de direitos humanos garantem que a orientação sexual tem que ser exercida livremente, não faz sentido alguém querer legalizar a cura para certa orientação sexual", rebateu o deputado que aceitou participar do debate que poderá ocorrer na Comissão de Seguridade Social e Família.

"Eu aceito porque é o espaço democrático da gente colocar essas ideias. Talvez as pessoas defendam isso por pura ignorância. Muita gente, talvez, acredite ainda que a homossexualidade é uma doença, porque aprendeu isso. É uma informação errada que precisa mesmo ser erradicada", disse Jean Wyllys."


Posted: 03 Mar 2012 06:44 AM PST


"Policiais vendidos, o governo de Goiás ocupado pelo crime e um senador mimado pelo bicheiro; nada disso é notícia no maior grupo de comunicação do País; apenas um registro no G1, uma matéria protocolar em Época e nenhuma fala no Jornal Nacional; o que aconteceria se os amigos do bicheiro fossem petistas? É, pelo jeito, o tal PIG existe mesmo

Brasil 247

Os leitores que nos acompanham, à esquerda e à direita, sabem que não somos os melhores amigos do blogueiro Paulo Henrique Amorim, responsável pela difusão da expressão PIG – Partido da Imprensa Golpista. Alguns sabem até que ele nos processará por termos noticiado, em primeira mão, que o titular do Conversa Afiada irá pagar R$ 30 mil ao também jornalista Heraldo Pereira, a quem chamou de "negro de alma branca".

Filosoficamente, não nos consideramos parte do PIG nem do que os representantes da "imprensa golpista" chamam de JEGs – Jornalistas da Esgotosfera Governista. Mas o fato é que, vez por outra, passamos a crer que o PIG realmente existe. Quer uma prova? O incrível silêncio das Organizações Globo, maior grupo de comunicação do País, sobre a Operação Monte Carlo, que prendeu o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Bom, de fato, há uma matéria no G1, portal de notícias da Globo. Mas é preciso ter lupa para encontrá-la. O texto remete para uma reportagem de Época, com título anódino: "As ligações de Carlinhos Cachoeira com políticos". Políticos, como se vê, é uma expressão como outra qualquer. Poderia ser, por exemplo, baleias. Nenhuma preocupação em dar, no título da matéria, nome aos bois, indicando o governador Marconi Perillo, do PSDB, e o senador Demóstenes Torres, do DEM. Será que seria assim se os amigos do peito do bicheiro fossem representantes da base governista ou, mais precisamente, do PT?"
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 03 Mar 2012 06:12 AM PST



"Apesar de ser o segundo setor mais confiável do Brasil, a mídia  viu cair 12% o índice de pessoas que nela acreditam piamente. De 73%, em 2011, o número caiu para para 61%. O problema parece ser nacional, já que em nível mundial a confiança aumentou 3% no mesmo período, subindo de 49% para 52%.

Quem domina o ranking Trust-Barometer, realizado pela Edelman, é o setor empresarial, com 63%. A confiança do brasileiro em geral caiu 29% em um ano, despencando de 80% para 51%, rebaixando o país para a zona "neutra".

Doze dos vinte e cinco países entrevistados se encontram atualmente na zona de "não confiantes", lista que inclui os EUA, França, Reino Unido e em última colocação a Rússia. A crise econômica europeia, a paralisação da economia norte-americana e outros acontecimentos globais contribuíram para o alto índice de desconfiança. 

A confiança no governo e nas ONGs também apresentou queda decorrente das polêmicas que ocorreram no ano passando, queda de 85% para 32% e de 80% para 49%, respectivamente.

A pesquisa, que mede o nível de confiança de 25 países, é feita online e reúne mais de 30 mil participantes informados."


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610





--
Francisco Almeida / (91)81003406

Postar um comentário