segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Via Email: BRASIL! BRASIL!


BRASIL! BRASIL!


Charge do Bessinha

Posted: 08 Sep 2013 04:23 PM PDT


Todos os passos da Presidenta

Posted: 08 Sep 2013 04:22 PM PDT

'As recentes revelações comprovando que os Estados Unidos monitoram os passos, correspondências eletrônicas, escutam as conversas telefônicas da presidenta Dilma Rousseff constituem uma grave afronta à soberania do Brasil além de ser um tipo de ação só compreensível num estágio de beligerância de uma nação contra outra.

Eduardo Bomfim, Vermelho

O repúdio do Ministério das Relações Exteriores e o da presidenta da República são atitudes dignas de um Estado nacional que zela pela sua absoluta integridade e que assim pretende mantê-la diante das nuvens carregadas que se apresentam no caótico cenário político mundial mesmo que a tempestade encontre-se bastante longe das suas fronteiras territoriais.
Mais informações »

No fio da navalha

Posted: 08 Sep 2013 04:03 PM PDT


Rodolpho Motta Lima, Direto da Redação
 
'Há algumas semanas, quando certos setores tradicionalmente avessos às ruas e ao povo aplaudiam as manifestações pelo país afora, escrevi, em coluna intitulada "Quem não sabe brincar não brinca", minha opinião de que – além dos segmentos que desfilavam nos passeios pela avenida – faltavam ainda outros atores e outras palavras de ordem, a serem acrescidas àquelas que então eram destacadas. Era óbvio que ainda viria a turma que tem o DNA das ruas, os sindicatos e outros segmentos de ativistas. E também era fácil perceber que, ao contrário do que pretendia a esperança golpista, a coisa não ficaria circunscrita ao Governo Federal que,  com a indisfarçável euforia dos urubus de sempre, despencava nas pesquisas.    
Foi o que se viu. O desejado "show"  midiático de cartas marcadas acabou se tornando um tiro no pé para alguns. E começaram a surgir, no dia a dia do noticiário, palavras como vândalos, baderneiros, marginais e outras do gênero.

É certo que presenciamos – e ainda estamos presenciando - atos de depredação que não condizem com os desejáveis valores democráticos. Mas um grande amigo me lembrou que, nesse anarquismo contemporâneo, está presente um sentimento que lembra a pergunta irônica de Brecht: "O que é roubar um Banco comparado a fundar um?", substituindo-se o verbo "roubar" por "depredar"...  Separando o joio do trigo, a verdade é que as manifestações – não mais com aquele ar de festa que teve até "passeatas" de crianças na zona sul do Rio – tornaram-se menos genéricas e passaram a ter reivindicações mais definidas. Aqui no Rio, por exemplo, são centros das atenções  o Governador Sérgio Cabral e a PM,  e já ganhou força de bordão a pergunta "Cadê o Amarildo?".
Artigo Completo, ::AQUI::

Lobista é o elo perdido entre Alstom e PSDB-SP

Posted: 08 Sep 2013 03:27 PM PDT


"Antigo personagem das sombras da política paulista, José Amaro Pinto Ramos está sendo investigado pela Polícia Federal e ministérios públicos federal e estadual; por meio do ex-ministro Sergio Motta, ele se aproximou do governo de Fernando Henrique em 1994; nesta órbita, apresentou marqueteiros e executivos dos setores de transportes e energia aos tucanos; remunerado pela Alstom, como ele próprio admitiu em entrevista, lobista brasileiro que vive nos EUA aparece na origem do escândalo que pode ter envolvido até R$ 1 bilhão em propinas para executivos estaduais paulistas nas gestões do PSDB em São Paulo nos últimos 18 anos


Um velho personagem das sombras da política paulista está de volta à cena aberta. Sob suspeita de ser o primeiro elo de ligação entre os chefes tucanos e a multinacional francesa Alstom, o lobista global brasileiro José Amaro Pinto Ramos está sendo investigado pela Polícia Federal e promotores dos ministérios públicos estadual e federal.
Mais informações »

Crocodilos derrotados

Posted: 08 Sep 2013 03:20 PM PDT

Por Paulo Moreira Leite, Do Facebook

"Nossos cronistas que tentam impedir que os condenados da Ação Penal 470 tenham direito a uma revisão adequada de suas penas e mesmo uma segunda jurisprudência perderam um argumento depois de ontem.

Numa postura autoritária, que confundia seus desejos com a realidade, falavam do monstro, do ronco, do demônio das ruas para justificar a prisão imediata dos condenados.

Mas tivemos protestos de participação modesta, que confirmam não só a vergonhosa ignorância da fatia conservadora da elite de nossos meios de comunicação quanto às preocupações reais que afligem a maioria da população, mas também sua total falta de compromisso com a apuração e divulgação de fatos verdadeiros e informações confiáveis.

Querem fazer propaganda, querem ideologia – e não é difícil entender a razão.
Mais informações »

Jornal não 'concordou' com o golpe, promoveu-o

Posted: 08 Sep 2013 08:24 AM PDT


Mauro Malin, Observatório da Imprensa
 
"Um primeiro e essencial desacordo com o texto de autoindulgência publicado no O Globo de 1º de setembro (leia aqui) diz respeito a uma falácia quanto à participação do jornal no movimento que levou ao golpe de Estado de 1964. Está escrito que o O Globo "concordou com a intervenção dos militares". Não é verdade. Embora outros tivessem muito mais prestígio e influência – como, por exemplo, o Jornal do Brasil, o Correio da Manhã e o O Jornal, no Rio de Janeiro, e o O Estado de S. Paulo, na Pauliceia –, o jornal da Rua Irineu Marinho foi um dos incentivadores do movimento golpista. Não "concordou". Promoveu.

Registra Carlos Chagas no precioso O Brasil sem retoque: A História contada por jornais e jornalistas, 1808-1964, vol. II, página 1.052, que no início de 1964 Roberto Marinho passa a frequentar a casa do general Humberto de Alencar Castelo Branco, então chefe do Estado-Maior do Exército, assim como faziam outros conspiradores, nomeadamente os deputados udenistas Bilac Pinto e Aliomar Baleeiro.

Castelo era historicamente um oficial legalista. Relutou muito em se incorporar ao movimento conspiratório, que tinha no proprietário do O Estado de S. Paulo, Júlio de Mesquita Filho, um de seus mais influentes chefes civis. É relativamente conhecido o documento com diretivas para um governo ditatorial escrito por Mesquita. Chagas cita-o longamente. "
Artigo Completo, ::AQUI::

Vozes de movimentos sociais e Grito dos Excluídos prevalecem no Rio de Janeiro

Posted: 08 Sep 2013 06:44 AM PDT


Os movimentos sociais prevaleceram sobre a convocação da extrema direita nas ruas do Rio

Arthur William, Correio do Brasil

"Diversos protestos pelas ruas do centro marcaram a manhã deste dia 7 de setembro no Rio de Janeiro. A partir das 10h, movimentos sociais organizaram a 19ª edição do Grito dos Excluídos. Inicialmente, a polícia fez um cerco à concentração impedindo que os manifestantes tomassem a pista da Avenida Presidente Vargas. Após o fim do desfile militar, a passeata seguiu até a estátua de Zumbi dos Palmares nas proximidades do sambódromo.

Em diversos momentos manifestantes foram atacados com bombas de gás lacrimogêneo. Uma parte do grupo foi cercada perto da Praça da República enfrentando dificuldades para chegar até o final do percurso. Vaias foram ouvidas quando os tanques do Exército e a Guarda Municipal iniciaram sua apresentação. Já os bombeiros foram aplaudidos pela população carioca.
Mais informações »
You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610



--
Francisco Almeida 




Postar um comentário