sábado, 26 de janeiro de 2013

Via Email: SARAIVA 13



SARAIVA 13


Posted: 25 Jan 2013 03:35 PM PST


"Isso é ou não ser do contra? Capa de Veja.com noticia, como manchete, a informação de que a criação de empregos foi a menor dos últimos três anos e que a "investida protecionista do governo não foi capaz de gerar postos de trabalho". Detalhe: a taxa de desemprego é a menor da história e o saldo positivo de vagas no ano passado foi de 1,3 milhão de pessoas; será que Roberto Civita, mais um corvo, ficará para trás?  (Estado, Globo e Folha também se juntaram aos corvos)
Às vezes, dá até preguiça acompanhar a imprensa que tem merecido o rótulo de "golpista" nos últimos anos. É o caso de Veja e de Veja.com, que coloca como manchete de seu site a seguinte informação: "Criação de emprego em 2012 é a pior dos últimos três anos". Subtítulo: "Investida protecionista do governo não foi capaz de garantir postos de trabalho".

Também do Blog BRASIL! BRASIL! 
Posted: 25 Jan 2013 03:33 PM PST



Débora Zampier, Agência Brasil
"O presidente em exercício do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, decidiu hoje (25) manter o crédito extraordinário de R$ 42,5 bilhões aprovado pelo Executivo no final do ano passado. O valor foi estipulado em medida provisória, pois o Congresso Nacional ainda não votou o Orçamento da União de 2013.
O ministro negou liminar em ação de inconstitucionalidade proposta pelo PSDB e pelo DEM na última terça-feira (21). Para Lewandowski, o Estado brasileiro poderia ter sérios prejuízos se o pedido das legendas fosse acatado, ainda que haja motivo para questionamento legal.


Posted: 25 Jan 2013 11:54 AM PST



GIGANTESCA OBRA DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA AVANÇA NA AMAZÔNIA



A imprensa brasileira, oposicionista, jamais dará destaque a esta obra:


FONTE: vimeo.com (http://vimeo.com/32296930[Imagem do google adicionada por este blog 'democracia&política'].
Postado por Grupo Beatriceàs 8:25 PM 
Posted: 25 Jan 2013 11:35 AM PST



A reação formal do PSDB ao pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff sobre a redução nos preços das tarifas de energia elétrica, em todo o país, é o momento mais lamentável do processo de ruptura histórica dos tucanos desde a fundação do partido, em junho de 1988.
A nota, assinada pelo presidente da sigla, deputado Sérgio Guerra, de Pernambuco, não vale sequer ser considerada pelo que contém, mas pelo que significa. Trata-se de um amontoado de ilações primárias baseadas quase que exclusivamente no ressentimento político e no desespero antecipado pelos danos eleitorais inevitáveis por conta da inacreditável opção por combater uma medida que vai aliviar o orçamento da população e estimular o setor produtivo nacional.
Neste aspecto, o deputado Guerra, despachante contumaz dessas virulentas notas oficiais do PSDB, apenas personaliza o ambiente de decadência instalado na oposição, para o qual contribuem lideranças do quilate do senador Agripino Maia, presidente do DEM, e o deputado Roberto Freire, do PPS. Sobre Maia, expoente de uma das mais tristes oligarquias políticas nordestinas, não é preciso dizer muito. É uma dessas tristes figuras gestadas na ditadura militar que sobreviveram às mudanças de ventos pulando de conchavo em conchavo, no melhor estilo sarneysista. Freire, ex-PCB, tansformou a si mesmo e ao PPS num simulacro cuja fachada política serve apenas de linha auxiliar ao pior da direita brasileira.
O PSDB surgiu como dissidência do PMDB que já na Assembleia Constituinte de 1986 caminhava para se tornar nisto que aí está, um conglomerado de políticos paroquiais vinculados a interesses difusos cujo protagonismo reside no volume, a despeito da qualidade de muitos que lá estão. A revoada dos tucanos parecia ser uma lufada de ar puro na prematuramente intoxicada Nova República de José Sarney. À frente do processo, um grande político brasileiro, Mário Covas, que não deixou herdeiros no partido. De certa forma, aquele PSDB nascido sob o signo da social democracia europeia, morreu junto com Covas, em 2001. Restaram espectros do nível de José Serra, Geraldo Alckmin e Álvaro Dias.
Aliás, o sonho tucano só não morreu próximo ao nascedouro, em 1992, porque Covas impediu, sabiamente, que o PSDB se agregasse ao moribundo governo de Fernando Collor de Mello, às vésperas do processo de impeachment. A mídia, em geral, nunca toca nesse assunto, mas foi o bom senso de Covas que barrou o movimento desastrado liderado por Fernando Henrique Cardoso, que pretendia jogar o PSDB na fossa sanitária do governo Collor em troca de assumir o cargo de ministro das Relações Exteriores. FHC, mais tarde chanceler e ministro da Fazenda de Itamar Franco, e presidente da República por dois mandatos, nunca teria chegado a subprefeito de Higienópolis se Covas não o tivesse impedido de aderir a Collor.
Fala-se muito da extinção do DEM, apesar do suspiro do carlismo em Salvador, mas essa agremiação dita "democrata" é um cadáver insepulto há muito tempo, sobre o qual se debruçam uns poucos reacionários leais. É no PSDB que as forças de direita e os conservadores em geral apostam suas fichas: há quadros melhores e, apesar de ser uma força política decadente, ainda se mantém firme em dois dos mais importantes estados da federação, São Paulo e Minas Gerais.
E é justamente por isso que a nota de Sérgio Guerra, um texto que parece ter sido escrito por um adolescente do ensino médio em pleno ataque hormonal de rebeldia, é, antes de tudo, um documento emblemático sobre o desespero político do PSDB e, por extensão, das forças de oposição.
Essas mesmas forças que acreditam na fantasia pura e simples do antipetismo, do antilulismo e em outros venenos que a mídia lhes dá como antídoto ao obsoletismo em que vivem, sem perceber que o mundo se estende muito além das vontades dos jornalões e da opinião de penas de aluguel que, na ânsia de reproduzir os humores do patrão, revelam apenas o inacreditável grau de descolamento da realidade em que vivem.

Posted: 25 Jan 2013 11:27 AM PST



A ONG Repórteres Sem Fronteiras publicou nesta quinta-feira (24) um relatório sobre o cenário da imprensa brasileira, em que diz que o país é a terra dos "30 Berlusconis", em referência ao magnata italiano que domina a mídia e boa parte da política no seu país.
"A topografia da mídia do país que vai hospedar a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 quase não mudou nas três décadas desde o fim da ditadura militar de 1964-85″, diz o texto.
Segundo a ONG, cerca de dez companhias dominam a mídia nacional, quase todas com base em São Paulo e no Rio de Janeiro.
O relatório denuncia ainda a violência contra jornalistas no Brasil, mencionando que dois repórteres especializados em notícias de polícia tiveram que deixar o país no ano passado por conta de ameaças.
A agência de notícias France Presse distribuiu em todo o Brasil um pequeno resumo do relatório. "O Brasil apresenta um nível de concentração de mídia que contrasta totalmente com o potencial de seu território e a extrema diversidade de sua sociedade civil", explica a ONG de defesa da liberdade de imprensa. "O colosso parece ter permanecido impávido no que diz respeito ao pluralismo, um quarto de século depois da volta da democracia", assinala a RSF, recordando que em 2012 houve 11 jornalistas assassinados no país.
Segundo a ONG, um dos problemas endêmicos do setor da informação no Brasil é a figura do magnata da imprensa, que "está na origem da grande dependência da mídia em relação aos centros de poder". "Dez principais grupos econômicos, de origem familiar, continuam repartindo o mercado da comunicação de massas", lamenta a RSF.
Daniel Buarque
No Terra

Posted: 25 Jan 2013 11:13 AM PST
Do Viomundo - publicado em 25 de janeiro de 2013 às 0:15






Dilma na TV. PSDB sentiu o baque!

Por Altamiro Borges, em seu blog


O PSDB divulgou hoje à tarde uma nota oficial confessando que sentiu o baque com o pronunciamento de Dilma Rousseff em rede nacional de rádio e tevê na noite de quarta-feira. Os tucanos adoram a "liberdade de expressão" dos "calunistas" da mídia. Eles têm orgasmos com as análises "imparciais" de Miriam Leitão, Merval Pereira, Ricardo Noblat e até com os rosnados dos pitbulls da Veja. Mas ficaram indignados com a presidenta, que anunciou à nação a redução das contas de luz e retrucou os "pessimistas" de plantão. A tal "liberdade de expressão" da direita não contempla sequer a presidenta eleita pela maioria dos brasileiros.

Na nota oficial, o PSDB afirma que "o governo do PT acaba de ultrapassar um limite perigoso para a sobrevivência da jovem democracia brasileira. Na noite desta quarta-feira, o país assistiu à mais agressiva utilização do poder público em favor de uma candidatura e de um partido político: o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff… Durante os oito minutos de divulgação obrigatória por parte das emissoras de rádio e TV brasileiras, a presidente Dilma faltou com a verdade, fez ataques a seus adversários, criticou a imprensa e desqualificou os brasileiros que ousam discordar de seu governo".

Na maior caradura, a nota afirma ainda que "o conceito de República foi abandonado. A chefe da Nação, que deveria ser a primeira a reconhecer-se como presidente de todos os brasileiros, agora os divide em dois grupos: o 'nós' e o 'eles'. O dos vencedores e o dos derrotados. Os do contra e os a favor. É como se estivesse fazendo um discurso numa reunião interna do PT, em meio ao agitar das bandeiras e ao som da charanga do partido… No governo do PT, tudo é propaganda, tudo é partidarizado".

Os tucanos, que minguam a cada eleição, parecem que esqueceram a postura autoritária que adotaram no triste reinado de FHC. Exército acionado para reprimir os grevistas da Petrobras, ações truculentas contra ocupações de terras ociosas, rolo-compressor no Congresso Nacional, submissão do Judiciário e relação promíscua com os barões da mídia. Quem sempre desqualificou os adversários foram os caciques tucanos, que acusaram os que resistiram à privataria das estatais e à retirada de direitos trabalhistas de "dinossauros". Para usar uma famosa expressão de FHC, os tucanos agora repetem o blablablá dos derrotados.

A reação intempestiva e patética do PSDB ao pronunciamento da presidenta confirma porque a direita teme tanto a regulação democrática da mídia. Ela quer manter o monopólio da palavra nas emissoras de rádio e TV, que são concessões públicas. Ela quer garantir a exclusividade de espaço para os seus porta-vozes na radiodifusão, para os seus "calunistas" amestrados. O PSDB sabe que só sobrevive hoje graças à "turma do contra" da mídia venal. Quando Dilma utilizou um direito constitucional, a direita sentiu o baque!

____________________

PITACO DO ContrapontoPIG

Os 8 minutos que abalaram as oposições e a midia golpista brasileira
_________________________
.
Do Blog ContrapontoPIG
Posted: 25 Jan 2013 08:04 AM PST


"Se foi jogo combinado ou não, ninguém sabe. Mas o fato é que, nesta sexta, Folha, Globo e Estado publicam editoriais condenando o pronunciamento da presidente Dilma na última quarta-feira sobre a redução das tarifas. Segundo os jornalões, Dilma fez seu primeiro ato de campanha. Os corvos vestiram a carapuça?
Brasil 247
Jogo combinado? No mesmo dia, os três principais jornais do País, Globo, Folha e Estado de S. Paulo, publicaram editoriais condenando a postura da presidente Dilma no pronunciamento da última quarta-feira, quando ela anunciou, em rede nacional de rádio e televisão, a redução nas contas de luz – o que, segundo os jornais, seria uma espécie de populismo elétrico. Será que os corvos vestiram a carapuça?
Leia, abaixo, as três manifestações dos jornalões:
O GLOBO - 25/01
A redução das tarifas é bem-vinda porque aumentará a competitividade do país, e não fazia sentido o consumidor arcar com tantos encargos
A redução do custo da energia elétrica, especialmente para o setor produtivo, é bem-vinda, pois a população como um todo se beneficiará à medida que as empresas ganhem mais competitividade. Não faz sentido que esse custo tenha permanecido entre os mais elevados do mundo, tendo o Brasil uma matriz de base hídrica, renovável, e com manutenção relativamente barata.
O consumidor brasileiro de energia elétrica financiou por décadas vários programas, sejam sociais ou relacionados a novos investimentos do setor. Estava mais que na hora de reduzir esses encargos."
Matéria Completa, ::AQUI::

Do Blog BRASIL! BRASIL! 
Posted: 25 Jan 2013 07:52 AM PST



dilma Pedro Ladeira kotscho Dilma faz discurso de candidata na TV
Se alguém ainda tinha alguma dúvida de que Dilma vai lutar pela reeleição em 2014, o pronunciamento-discurso de quarta-feira à noite em rede nacional de rádio e televisão deixou claro que a presidente já está em campanha para ficar mais quatro anos no governo.
Com o gancho do anúncio da antecipação e ampliação do corte nas contas de luz, que já vale a partir de hoje, Dilma reforçou seu pronunciamento de 7 de setembro e aproveitou para atacar os "do contra", ou seja, os Estados governados por tucanos que não aderiram à redução das tarifas de energia.
Dilma subiu o tom ao falar dos "pessimistas" e das conquistas do seu governo: "Neste novo Brasil, aqueles que são sempre do contra estão ficando para trás. Hoje podemos  ver como erraram feio os que não acreditaram que era possível crescer e distribuir renda".
É exatamente este o eixo central do discurso pela reeleição, como ela antecipou no final do seu pronunciamento: "O Brasil está cada vez maior e imune a ser atingido por previsões alarmistas. Nos últimos anos, o time vencedor tem sido dos que têm fé e apostam no Brasil".
Em resposta aos que estavam prevendo apagões e racionamento em razão da queda do nível dos reservatórios, Dilma não só garantiu que isto não vai acontecer como anunciou que dobrará a produção de energia no país nos próximos 15 anos.
"Nosso País avança em meio a um mundo de dificuldades. Os juros caíram, o emprego aumentou, os brasileiros estão sabendo consumir e poupar", afirmou Dilma num discurso otimista, afirmativo e alto astral.
Durante o dia, ela já havia mostrado seu bom humor numa ^cerimônia no Itamaraty, dando uma rara gargalhada ao lado do chanceler Antonio Patriota.
"Viu agora por que ela estava gargalhando?", respondeu-me, logo após o pronunciamento de Dilma na TV, um assessor próximo dela a quem eu havia perguntado à tarde o motivo do sorrisão presidencial estampado quarta-feira na capa do R7.
Agora só faltam se apresentar os candidatos da oposição.
Posted: 25 Jan 2013 03:43 AM PST


Posted by on 25/01/13 • Categorized as Opinião do blog


Apesar do poder que a mídia revelou recentemente de intimidar ou aliciar setores do Judiciário, entre tantos outros, o desenrolar de sua tentativa de fabricar hipótese de um catastrófico racionamento de energia só fez comprovar, mais uma vez, que ter dinheiro e poder político não significa que o detentor dessas vantagens seja inteligente.
Se pensarmos bem, no entanto, descobriremos que isso que se diz "imprensa" vem dando, ao longo dos últimos dez anos, reiteradas exibições de ausência de neurônios. O dito Partido da Imprensa Golpista e seu braço político, o PSDB, lá atrás, foram contra o Bolsa Família.
Foram, também, contra as cotas nas universidades.
Foram, também, contra o programa Luz Para Todos.
Foram, também, contra os aumentos reais do salário mínimo.
Foram, também, contra o PAC – e continuam sendo.
Foram, também, contra o Minha Casa, Minha Vida.
Foram, também, contra a liderança estatal em investimentos durante a crise de 2008/2009.
Foram, também, contra a redução dos juros.
Agora, mídia, PSDB e alguns satélites deles são contra, obviamente, redução nas contas de luz. E persiste a mesma estratégia fracassada de darem explicações complicadas, ininteligíveis mesmo sobre por que mais uma medida tão popular seria ruim para o país.
Li uma versão dessas explicações do inexplicável que é hilariante. Como não podia deixar de ser, a matéria saiu na Folha de São Paulo eletrônica de ontem. O título da tal cretinice é "Luz mais barata 'corroi' verbas sociais".
Segundo três repórteres malucos que assinam a matéria, "A conta de luz ainda não está mais barata, mas a medida (…) já tem efeitos colaterais. Para compensar a perda de receita com a diminuição das tarifas, as estatais elétricas estão cortando investimentos em patrocínio social, esportivo e institucional".
Quem, aí, topa pagar mais caro pela energia para que essas abnegadas "estatais elétricas", que de "estatais" não têm nada, continuem financiando times de futebol como o Avaí e o Figueirense?
Se algum infeliz industrial que não consegue competir porque o preço da energia elétrica no Brasil é um dos mais caros do mundo vier a ler essa matéria, terá uma síncope. Aquela mãe de família que conta os centavos todo mês para alimentar seus filhos e que terá alívio na conta de luz, idem.
A burrice é tão gritante que chega a dar vergonha alheia.
Com tanto dinheiro e poder, será que não tem ninguém no PIG com competência para informar a Marinho, Frias, Civita e Mesquita que a estratégia de criticar tudo o que o governo faz de bom e que o povo apoia, é fria?
Pelo visto, não tem.
Mas, agora, vemos o PSDB e a mídia se superarem ao investirem contra o direito da presidente da República de expressar publicamente a sua opinião sobre as críticas públicas que esses seus adversários vêm fazendo e de anunciar medida que revolucionará a economia do país.
Parênteses para explicar essa revolução econômica: o ganho de competitividade da indústria e o alívio nos orçamentos familiares dos setores mais pobres da sociedade tornarão os produtos brasileiros mais competitivos e injetarão quantidade gigantesca de recursos na economia.
Voltando à pretensão destro-midiática de calar Dilma para que não comprove que quem previu desgraças se deu mal, tal conduta só mostra que a oposição assumida e a enrustida não têm como travar debate público, restando-lhes, assim, a "ideia" de tentarem calar a adversária.
Se todas as "idéias" anteriores dessa gente se revelaram uma pior do que a outra, pois tudo que a oposição-midiática combateu deu tanto certo que teve que parar de criticar, essa última "ideia" em nada difere daquelas. E talvez seja até pior…
O que o cidadão irá pensar ao descobrir que tentaram impedir a presidente da República de dizer ao povo que a elegeu que discorda das críticas ao seu governo e por que discorda, além de anunciar medida que fortalece tal discordância? Não irá concluir que tentam impedir a presidente de melhorar a sua vida?
Depois, na próxima eleição, os tucanos farão como Serra em 2010, quando pôs Lula em sua propaganda e jurou ao eleitorado que, eleito, continuaria a obra dele. Em 2014, quando o tucano da vez fizer isso com Dilma, estará muito bem documentado tudo o que o PSDB disse sobre medidas que o povo vem apoiando com tanto entusiasmo.

*
PS: seria democrático da parte do governo Dilma abrir a quem não curtiu a energia elétrica mais barata a opção de continuar pagando mais caro por ela, não acham?

Do Blog da Cidadania.
Posted: 25 Jan 2013 03:48 AM PST
E REAGE COM AS MENTIRAS E DISTORÇÕES DE SEMPRE
Como era de se esperar, após o pronunciamento da Presidente Dilma Rousseff apresentando ao povo brasileiro a REDUÇÃO DA TARIFA DE ENERGIA ELÉTRICA, antes do previsto e com percentuais ainda maiores de redução para o consumidor, além de REAFIRMAR QUE NÃO HÁ RISCO DE RACIONAMENTO DE ENERGIA e ter de forma bastante incisiva contestado a ONDA DE BOATOS e PREVISÕES CATASTRÓFICAS sem nenhuma BASE, quanto a APAGÕES - AUMENTO DE CUSTO  e ADIAMENTOS da redução tarifária, amplamente divulgadas, IMPRENSA e OPOSIÇÃO ou a IMPRENSA DE OPOSIÇÃO ou a IMPRENSA QUE FALA PELA OPOSIÇÃO, começa a espernear.
Mais de 24 Horas depois do 'baque', eles começam a se refazer, como um pugilista que recebe um direto no queixo, cai, vai para as cordas e se vale do intervalo para tentar voltar ao centro do RING. 

É disso que estamos tratando. De uma IMPRENSA que atua como INIMIGA do Governo. De uma imprensa que escudada na liberdade de expressão, se vale dos expedientes mais TORPES, como BOATOS - MANIPULAÇÃO DA INFORMAÇÃO -DISTORÇÃO DE NÚMEROS - E ATÉ "PREVISÕES" ??!! para atacar o governo e tudo o que ele faz, mesmo quando este governo acerta, toma medidas corajosas e que são as de interesse do Brasil e da imensa brasileira dos brasileiros. 

De forma ORQUESTRADA, já estamos assistindo desde ontem e hoje será intensificada a "reação da imprensa / oposição". Os tucanos, sem propostas , sem liderança, sem expressão, soltam nota e dizem que o pronunciamento de Dilma foi antecipação do processo eleitoral. A MÍDIA vai repercutir esta "notinha" e fazer coro no sentido de que foi isso mesmo, e de que o governo está usando a questão do custo de energia para fazer propaganda eleitoral.

A coluna de DONA MIRIAM, a capa do jornal O Globo e seu editorial, e até o EX- CHARGISTA, CHICO, que agora faz política partidária através de suas charges, envergonhando está arte, estão no dia de hoje se prestando a esse objetivo.


A PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF precisa utilizar mais vezes o recurso de pronunciamentos através de cadeias de RÁDIO e TELEVISÃO. Este é sem dúvida um importante CANAL DE COMUNICAÇÃO com o povo brasileiro, impedindo que a DITADURA DA DESINFORMAÇÃO perpetrada pelos TUBARÕES que controlam a COMUNICAÇÃO NO BRASIL prospere.

ASSISTA AO PRONUNCIAMENTO QUE TANTO INCOMODOU A OPOSIÇÃO MIDIÁTICA

550" height="350" src="http://www.youtube.com/embed/nRiGHVMu3Fg" frameborder="0" allowfullscreen>

CRIAMOS ESTA PETIÇÃO PARA OS TUCANOS /PIG

Postado por às 07:07Um comentário: Links para esta postagem

Do 007BONDeblog.
Posted: 25 Jan 2013 03:30 AM PST

Os tucanos e até o seu rabo  DEM estão injuriados com o pronunciamento da presidenta Dilma, anunciando o corte na conta da energia. Fizeram até um manifesto por escrito, eles não tão bobos a ponto de ir as ruas e falar para o povo que são contra. Que eles são " os do contra", que são a favor do quanto pior melhor para eles. Assim como todos os petistas, a presidenta Dilma e Lula devem estar as gargalhadas lendo as sandices revoltadas que escrevem. Eles estão sentindo que 2014 já era, vai ser Dilma outra vez.
Jussara Seixas
You are subscribed to email updates from BLOG DO SARAIVA
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610



--
Francisco Almeida / (91)81003406
Postar um comentário