segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Via Email: BRASIL! BRASIL!



BRASIL! BRASIL!


Posted: 07 Oct 2012 06:21 PM PDT


Posted: 07 Oct 2012 05:54 PM PDT
Altamiro Borges, Blog do Miro


"As urnas foram cruéis com a mídia tucana nas eleições para a prefeitura de Osasco, na região metropolitana de São Paulo. Com a condenação do deputado João Paulo Cunha no STF e a retirada da sua candidatura, os jornalões decretaram o enterro da esquerda na cidade. Concluída a apuração, porém, o engenheiro Jorge Lapas, do PT, foi eleito com 59,76% dos votos válidos. 

A mídia fez pouco alarde, mas o tucano Celso Giglio não teve os seus votos computados porque a sua candidatura foi impugnada pela Justiça Eleitoral de São Paulo. O candidato "ficha-suja" do PSDB até ingressou com recurso no Tribunal Superior Eleitoral, mas aguarda o julgamento do caso.

Jorge Lapas entrou na disputa pela prefeitura de Osasco há apenas três semanas, após a renúncia do então encabeçador da chapa, o ex-prefeito João Paulo Cunha. O engenheiro civil de 51 anos foi secretário de Obras e Transportes de Osasco, de 2005 a 2007, e secretário do governo por seis anos."


Posted: 07 Oct 2012 04:58 PM PDT



Posted: 07 Oct 2012 04:49 PM PDT
"Pivô da saída de Gustavo Fruet (PDT) do PSDB, em 2011, governador tucano do Paraná vê o desafeto ir para o segundo turno no lugar de seu candidato, o prefeito Luciano Ducci (PSB), e deve enfrentar, na tentativa de reeleição em 2014, a hoje ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, sem o apoio dos prefeitos da capital e de outras cidades importantes



'O ex-deputado federal Gustavo Fruet (PDT) deixou o PSDB no ano passado reclamando da falta de apoio a sua candidatura à Prefeitura de Curitiba na cúpula do partido, liderada pelo governador do Paraná, Beto Richa, no Estado. Ironicamente, na reta final da campanha, Fruet ultrapassou o candidato de Richa, o prefeito Luciano Ducci (PSB), e vai ao segundo turno com Ratinho Jr. (PSC). O cenário deve dificultar ainda mais a já complicada reeleição de Richa em 2014.

Nem Fruet, nem Ratinho, que levou o primeiro turno com cerca de 34% dos votos, devem apoiar o governador do Paraná em sua tentativa de se reeleger. Assim, ao optar pelo candidato de maior rejeição entre o eleitorado (26% dos eleitores diziam não votar em Ducci de forma alguma) em detrimento de Fruet, Richa acaba de dar um tremendo impulso para o projeto eleitoral do PT no Paraná.

Para tentar eleger a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, em 2014, o PT abriu mão de candidatura própria na capital. E também projetou algumas cidades-chave para montar uma base forte para a eleição estadual. Uma delas era Maringá, onde o presidente do PT no Paraná, o deputado federal Ênio Verri, foi eleito com 60% dos votos. Noutra delas, Ponta Grossa, Péricles (PT) vai ao segundo turno  contra Marcelo Rangel.

Por enquanto, o projeto do PT vai se encaminhando, e com a ajuda de Richa, que apoiou um candidato controverso quando tinha Fruet, deputado de reconhecida atuação na CPI do Mensalão, como escolha óbvia. Só para lembrar, reportagem da revista Veja publicada junho mostrou que Ducci e a esposa, Marry Dal-Prá Ducci, têm patrimônio estimado em R$ 30 milhões, enquanto, em 2008, quando Ducci foi reeleito vice-prefeito de Curitiba, na chapa de Richa, o patrimônio declarado do casal era de R$ 1 milhão."


Posted: 07 Oct 2012 03:20 PM PDT
Eberth Vêncio, Revista Bula


"Cornélio ganha a vida vigiando carros e pessoas na esquina da Pegasus com a Caralho-de-Asas. Teve a infância malograda já ao nascer, por acaso, de parto domiciliar bruto, desassistido, no conturbado seio familiar de degredados sociais. O pai era um viciado incorrigível ao ponto de beber a caubói copos de álcool combustível; a mãe, mulher analfabeta, parideira aidética de uma renca de filhos.

Sob o barraco de lona preta de um cômodo só, descobriu deste cedo o quanto o Homem estorvava os planos de Deus na construção de um mundo melhor. O mais incrível é que cria na divindade com a mesma convicção que um deputado acredita jamais será pego em escutas telefônicas comprometedoras.

Então, na prática, ele foi deseducado, adestrado na dureza insigne das ruas, na crueza dos seus pares igualmente miseráveis, resignados companheiros do abandono e da negligência social. Pode-se dizer que escapuliu por um milagre, um capricho do Pai, quem sabe, naquele cenário caótico a que muitos teimam chamar "família".

Não. Aquilo não era uma família, uma célula da sociedade, conforme dizem os empolados. Na melhor das hipóteses, uma célula cancerosa que se replica independentemente, a despeito da lei, da ordem, do progresso, e dos aumentos substanciais do PIB. Poder-se-ia dizer aquilo era uma matilha de cães sarnentos entregues à própria sorte.

Não neguem: todo mundo, um dia, já desejou matar um flanelinha, um desconhecido, um inimigo, um ex-amigo, um parente, um qualquer um. Passar com o carro por cima. Dar nele um tiro. Mandar bater no folgado até virar geleia. Eu mesmo já desejei aniquilar um monte de gente, mas não passei de um remorso, de fugazes ímpetos de auto-destruição, de uma gastrite nervosa, de algumas sessões de terapia e dezenas de rugas na testa.

Cornélio até que é um ser agradável de encontrar, de vez em quando. Ele guarda um carisma difícil de explicar, mas não abre mão de uns trocadinhos. Ameaçar ele não ameaça, mas já riscou latarias de gente mal criada com o seu prego vingador, ferramenta de justiça terrena e divina.

Tomávamos garapa juntos sob a sombra de uma mungubeira e, enquanto a vida seguia o seu ritmo claramente estúpido, ele contava o episódio que o marcaria para sempre, até que Deus finalmente o convocasse para subir a Mansão dos Mortos (ele começava assim o relato daquele melodrama, e a sua fé imorredoura num Criador deixava-me deveras comovido, para não dizer, desenxabido)."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 07 Oct 2012 03:08 PM PDT
Saul Leblon, Carta Maior / Blog das Frases



"A idéia,como explica o governador Tarso Genro em artigo nesta página, é reduzir o partido da esquerda a um delito. E o governo de sua extração a um peculato político.

Tudo isso pré-configurado a partir de estaqueamento jurídico adotado à revelia dos autos correspondentes à Ação Penal 470. Não se afronta o Estado de Direito nessa arquitetura de cimento puramente ideológico, explica o governador.

O Estado de Direito confere aos seus supostos guardiães de última instância a prerrogativa de fazer política de toga. Assim como parte da imprensa o faz .

À falta de similares convencionais que hoje só respiram através de pulmões midiáticos, ela assumiu o vácuo do partido da direta. Nenhuma ilegalidade aqui também.Exceto vender militância como jornalismo e creditar ao oposto de esquerda - assumido, no caso de Carta Maior e de muitos - o carimbo de 'partidários' e ' ideológicos'.

A arquitetura de judicialização da política ,ou de politização das togas, expressa em si a criminalização dos partidos de fora do arco conservador ; 'os estrangeiros', na versão mineira de Aécio Neves para o pedestre 'meter o bico aqui', de Serra.

O domínio da ilação togada resumiu o julgamento da Ação Penal 470 a um monólogo com pouquíssimos espaços para improvisos. Foram ocupados, neste caso, por um daqueles juízes de Berlim ('ainda há juízes em Berlim', disse o camponês oprimido ao mensageiro do algoz), aferrado aos autos, às provas, ao sentido estrito do bordão segundo o qual todos são inocentes perante a lei, até prova em contrário. Em vão.

O grand finale fora lapidado à exaustão com base em afinações imperturbáveis à inexistência de provas. O ensaio de orquestra ajustado a esse diapasão remonta a 2005. A estreia, adiada pela reeleição acachapante de Lula, em 2006, requisitou a costura da mídia para cada nota abafada pelas vitórias sucessivas do país diante de uma crise mundial, que desacreditou o programa adversário.

Nesta semana de eleições, o envelope portado por Joaquim Barbosa referente à fatia do núcleo político do PT trazia grafado em letra graúda a senha oferecida às lentes sôfregas:'Last Act'. Chegara a hora. Daquilo que já estava decidido e sacramentado, independente dos autos.

O maestro obsequioso ofereceu-se ao desfrute conservador e está sendo desfrutado em banquete de muitos talheres."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 07 Oct 2012 02:45 PM PDT
"A última pesquisa do instituto ligada ao grupo Folha de S. Paulo, comandada por Otávio Frias Filho, dava 28% dos votos a José Serra, 27% a Celso Russomano e 24% para Fernando Haddad; com 12% das urnas apuradas, o resultado aponta 30% para Serra, 28% para Haddad e 22% para Russomano; mudou tudo em um dia?



Algo muito estranho ocorreu com as pesquisas eleitorais em São Paulo, capitaneadas pelo Instituto Datafolha, ligado ao grupo Folha, comandado por Otávio Frias Filho. No mês de setembro, Celso Russomano subiu como um foguete e foi de 15% a 35%. De repente, começou a cair numa velocidade "inédita", segundo o instituto. Enquanto isso, Fernando Haddad, do PT, permanecia sempre fora do segundo turno.

A última pesquisa do instituto, divulgada no sábado, dava 28% dos votos a José Serra, 27% a Celso Russomano e 24% para Fernando Haddad. Agora, com 12% das urnas apuradas, o resultado aponta 30% para Serra, 28% para Haddad e 22% para Russomano. Será que mudou tudo em apenas um dia? Ou os institutos operaram as margens de erro?"


Posted: 07 Oct 2012 02:38 PM PDT
Folha de S. Paulo


"O vice-presidente Michel Temer reunirá neste domingo (7) o PMDB de São Paulo para anunciar apoio ao candidato Fernando Haddad caso se confirme a ida do petista para o segundo turno.

Pelo cronograma armado com petistas, a intenção é anunciar o apoio do PMDB, que teve Gabriel Chalita como candidato, na tentativa de iniciar a semana com uma agenda positiva.

Segundo petistas, o acordo foi fechado diretamente com a presidente Dilma Rousseff.

Os petistas prometem abrir espaço para Chalita no comando da campanha. Ele deverá atuar como ponte entre o PT e a Igreja Católica.

Pesquisa de boca de urna realizada pelo Ibope mostra o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, com 30% dos votos válidos, seguido por Haddad, com 29% dos votos."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 07 Oct 2012 12:42 PM PDT
"Dados consolidados ao meio-dia indicavam vitória do presidente Hugo Chávez, com 54,8% dos votos; opositor Henrique Capriles teve 43,8%; com a possível vitória, Chávez poderá permanecer no poder até 2019, completando um ciclo de vinte anos no poder



Brasil 247

Parceira comercial estratégica do Brasil, sócia recente do Mercosul e dona das maiores reservas de petróleo do mundo, a Venezuela deve confirmar neste domingo a vitória de Hugo Chávez. 247 teve acesso exclusivo a dados de uma pesquisa de boca de urna, que mostram a vitória do atual presidente, com 54,8% dos votos. O opositor Henrique Capriles teria 43,8%. Com a possível vitória, Chávez poderá permanecer no poder até 2019, completando um ciclo de vinte anos no poder, iniciado em 1999. Leia, abaixo, o noticiário do Opera Mundi:

Foram ao todo 96 dias de campanha eleitoral. Neste domingo (07/10), resta ao povo venezuelano decidir nas urnas quem deverá ser o próximo presidente do país: o atual, Hugo Chávez, ou o candidato da oposição, Henrique Capriles. Se por um lado o líder venezuelano coloca à prova 14 anos de governo, cujo impacto maior foi a drástica redução da pobreza no país, o ex-governador de Miranda aposta em um desejo de "mudança", traduzido no slogan da campanha, denominada "Há um caminho".
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 07 Oct 2012 12:03 PM PDT



Posted: 07 Oct 2012 10:11 AM PDT
"Ele aponta "avanços inegáveis" na gestão petista e diz que não se arrepende dos seus votos no PT em 1989, 2002 e 2006, mesmo depois do escândalo do mensalão, assim como em 2010




No auge de sua fama, capa das revistas Época e Veja, e nesta como "o menino pobre que mudou o Brasil", Joaquim Barbosa, relator da Ação Penal 470, concedeu entrevista à jornalista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo. Confira alguns trechos:

Como virou ministro

"Eu passava temporada na Universidade da Califórnia, Los Angeles. Encontrei Frei Betto casualmente nas férias, no Brasil. Trocamos cartões. Um belo dia, recebo e-mail me convidando para uma conversa com [o então ministro da Justiça] Márcio Thomaz Bastos em Brasília."

Encontro com Lula

"Vi o Lula pela primeira vez no dia do anúncio da minha posse. Não falei antes, nem por telefone. Nunca, nunca."

Sobre seus votos em Lula em 1989, 2002 e 2006 (depois do mensalão)


"Vou te confidenciar uma coisa, que o Lula talvez não saiba: devo ter sido um dos primeiros brasileiros a falar no exterior, em Los Angeles, do que viria a ser o governo dele. Havia pânico. Num seminário, desmistifiquei: 'Lula é um democrata, de um partido estabelecido. As credenciais democráticas dele são perfeitas'. Eu não me arrependo dos votos, não. As mudanças e avanços no Brasil nos últimos dez anos são inegáveis. Em 2010, votei na Dilma."
Entrevista Completa, ::AQUI::


Posted: 07 Oct 2012 09:55 AM PDT


"Nossa posição é de ajudar Dilma a fazer
um bom governo", diz o governador
de Pernambuco
"Partido aposta em consolidar projeção nacional conquistando até 500 prefeituras, mas garante que governador Eduardo Campos não disputa o Planalto agora; acirramento com PMDB é esperado



Redação, Rede Brasil Atual

Disposto a conquistar até 500 prefeituras entre hoje (7) e o próximo dia 28, o PSB garante que não programa voo solo para 2014 e que estará ao lado de Dilma Rousseff na disputa pela reeleição. Nos próximos dois anos, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, porém, continuará a ser constantemente questionado sobre suas intenções nacionais. Por ora, ele garante que segue na base do governo comandado pelo PT, embora restem dúvidas sobre em qual posição irá querer inserir seu partido.

Além de tentar garantir já no primeiro turno a vitória em Belo Horizonte, o PSB tem como desafio para este domingo consolidar o nome de Geraldo Julio como grande favorito na disputa do segundo turno em Recife. Nos cálculos dos dirigentes da sigla, entre 450 e 500 prefeituras passarão a ser administradas por socialistas, em torno de 8% do total de municípios e ao menos 140 a mais que o obtido em 2008. Em relação a 2000, se confirmada a projeção, será um crescimento próximo de 300%.

O desempenho pode ratificar a expansão de um partido que soube capitalizar os bons frutos do lulismo e do momento político nacional. Em 2010, o PSB passou de três para seis governadores (Amapá, Ceará, Espírito Santo, Paraíba, Pernambuco e Piauí) e conquistou quatro cadeiras no Senado e 31 na Câmara. Agora, lança candidatos em 11 capitais. "Nós temos a perspectiva de ganhar no primeiro turno em Belo Horizonte e em Recife e, no segundo turno, em Curitiba, Cuiabá, Porto Velho, Macapá, Fortaleza, Aracaju e João Pessoa", avalia o primeiro Secretário Nacional do PSB, Carlos Siqueira, em entrevista publicada na página do partido. "De modo que eu espero que nas próximas eleições nós tenhamos essa possibilidade – ou essa decisão, porque a possibilidade existe – de termos candidatos em todas as capitais e em todas as cidades onde existe o segundo turno."
Foto: Roberto Stuckert Filho
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 07 Oct 2012 09:40 AM PDT
"O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, sofreu um constrangimento ao chegar para votar nesta manhã. Ao cumprimentar os integrantes de sua seção eleitoral, uma mesária se recusou a dar-lhe a mão. "Deus me livre, não cumprimento, não", ela disse após o incidente.



Vermelho / UOL

Russomanno chegou por volta das 10 horas ao colégio da Vila Sônia, na zona sul da capital, acompanhado de sua família e do candidato a vice, Flávio D'Urso (PSB).

Russomanno falou rapidamente à imprensa e voltou a lamentar as críticas, que chamou de mentirosas, sobre sua proposta de implementar a tarifa proporcional para o transporte público. Para ele, não foi um erro utilizar a proposta em sua campanha. "Minha proposta foi alvo de mentiras e desinformação", afirmou o candidato.

Questionado, Russomanno negou que sua campanha esteja em crise e afirmou que não pretende substituir o marqueteiro Ricardo Bérgamo. "O que pode haver é uma ampliação da equipe para uma eventual campanha no segundo turno", disse. O candidato destacou que chegou onde chegou "apadrinhado pelos eleitores de São Paulo".

"Fiz uma campanha limpa, sem usar de padrinhos e sem desrespeitar a população com ataques mentirosos a outros candidatos", completou.

Após deixar o colégio, o candidato seguiu para a sede de seu comitê, no Planalto Paulista, onde deve passar o dia e acompanhar a apuração dos votos."


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610



--
Francisco Almeida / (91)81003406
Postar um comentário