quinta-feira, 19 de julho de 2012

Via Email: BRASIL! BRASIL!



BRASIL! BRASIL!


Posted: 17 Jul 2012 06:26 PM PDT
Josias de Souza, UOL / Blogs


"O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) protocolou na CPI do Cachoeira requerimento de reconvocação do governador tucano de Goiás Marconi Perillo. O pedido só será votado na comissão depois do recesso parlamentar, que começa nesta quarta (18). A próxima reunião da CPI está marcada para 2 de agosto.

Não são negligenciáveis as chances de Perillo ser arrastado de novo para o banco da CPI. Randolfe escora seu requerimento num relatório sigiloso da Polícia Federal. Veiculado no final de semana, o documento traz novos indícios contra o governador goiano. Segundo a PF, Perillo recebeu dinheiro da construtora Delta."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 17 Jul 2012 05:58 PM PDT


Redação, PortalIMPRENSA

"Estudo do Pew Research Center divulgado na última segunda-feira (16/07) indica que o site YouTube, do Google, está se tornando um dos veículos de informação mais importantes no mundo.

A busca por temas da atualidade na ferramenta aumentou em um perído de quinze meses e no intervalo de 2011 a 2012.

Em março de 2011, cerca de 96 milhões de vídeos relacionados ao terremoto e a tsunami no Japão foram visualizados no site no período de uma semana.

O YouTube afirma que diariamente são publicadas mais de 72 horas de vídeo. Por dia, o site registra 4 milhões de visualizações de vídeos."



Posted: 17 Jul 2012 05:45 PM PDT
Correio do Brasil 


"O cerco à ligação entre o esquema criminoso do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, apoiado por um grupo de empresários de vários Estados brasileiros, começa a se fechar sobre o candidato tucano à administração municipal de São Paulo, José Serra. Ele e assessores próximos têm sido pressionados a explicar a série de ligações com integrantes do grupo acusado de fraude, contravenção e formação de quadrilha, liderado pelo contraventor goiano. Em 2010, durante a campanha derrotada ao Palácio do Planalto, o grupo de Serra recebeu uma doação de R$ 8,2 milhões, feita pela esposa do empreiteiro José Celso Gontijo, Ana Maria Baeta Valadares Gontijo. O valor foi um ponto fora da curva para uma pessoa física, uma vez que a lei eleitoral permite apenas que se doe 10% do valor ganho num determinado ano. A situação se agrava devido ao fato de Gontijo aparecer em um dos vídeos gravados por Durval Barbosa, ex-secretário do governador do Distrito Federal José Roberto Arruda, no qual ele paga propina para manter seus contratos de tecnologia no Distrito Federal. Arruda e Serra eram da mesma facção dentro do PSDB e foi cogitado para ser companheiro de chapa do tucano na corrida presidencial, descartado após o escândalo.

A doação milionária de Ana Gontijo para a campanha tucana de 2010, como pessoa física, é comparável somente às doações dos grandes bancos e grandes empreiteiras e, naquele ano, bateu todos os recordes. Ana Gontijo precisaria ter ganhado cerca de R$ 7 milhões por mês de salário bruto ou renda ao longo de 2009 (cerca de R$ 82,5 milhões de renda anual). Um processo em curso na Receita Federal verifica a autenticidade da fortuna doada pela Srª Gontijo, cujo marido foi filmado entregando maços de dinheiro para o esquema conhecido como Mensalão do DEM, desvendado pela Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal (PF). No relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito sobre o escândalo, produzido pela Câmara Legislativa do Distrito Federal, vale destacar o tópico inteiro dedicado a Celso Gontijo:

"O Sr. JOSÉ CELSO GONTIJO figura ainda como proprietário da empresa CALL TECNOLOGIA E SERVICOS LTDA, de CNPJ no 05003257/0001-10, empresa citada no Inquérito n° 650/STJ como financiadora do esquema de corrupção, e que possui contratos com a CODEPLAN e o DEFRAN, totalizando repasses no valor de R$ 109.347.709,17 (cento e nove milhões, trezentos e quarenta e sete mil, setecentos e nove reais e dezessete centavos) entre os anos de 2000 a 2010.


"O Sr. JOSÉ CELSO GONTIJO aparece em gravação feita pelo Sr. DURVAL BARBOSA, entregando-lhe dois pacotes contendo diversas notas de R$ 100,00 (cem reais). Esse vídeo compõe o inquérito nº 650/STJ e foi gravado na gestão do governador José Roberto Arruda, conforme foto do ex-governador disposta na parede oposta da gravação. Segundo o Sr. DURVAL BARBOSA, esse encontro ocorreu no dia 21 de outubro de 2009 na Secretaria de Assuntos Institucionais (v. 4, p. 528). Ainda segundo o declarante esse encontro tinha como objetivo fazer um "acerto" do recurso arrecadado como propina de um contrato com a empresa CALL TECNOLOGIA E SERVICOS LTDA (v. 4, p. 529). A propina era entregue diretamente pelo Sr. JOSÉ CELSO GONTIJO, por seus funcionários, e em uma ocasião pelo Sr. LUIS PAULO DA COSTA SAMPAIO. Ressalta ainda o delator que essa propina era paga desde o governo passado, equivalendo a um percentual entre 7% (sete por cento) e 8% (oito por cento) do total pago à empresa, já descontado o valor dos impostos. Esse dinheiro era inclusive arrecadado à época da campanha do Sr. JOSÉ ROBERTO ARRUDA ao governo do DF".
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 17 Jul 2012 05:33 PM PDT
"Pesquisa Serpes/O Popular foi divulgada nesta terça-feira na capital. Jovair Arantes aparece em segundo lugar na pesquisa espontânea.


RVV

Com os nomes já definidos e divulgados, o eleitor goiano começa a se preparar para ir às urnas em outubro. Em Goiânia, a situação parece favorável ao atual prefeito Paulo Garcia (PT). Pelo menos é o que mostra a primeira rodada da Pesquisa Serpes estimulada, ou seja, quando os nomes são apresentados aos eleitores. Os dados foram divulgados na manhã desta terça-feira (17/7).

Na liderança da pesquisa está o atual prefeito Paulo Garcia (PT), com 34,1% das intenções de votos. Em segundo lugar, Isaura Lemos (PCdoB) com 10%. A candidata é seguida por Jovair Arantes, que teve (PTB) 7,7%. O nome de Elias Júnior (PMN) aparece com 7,2% das intenções de voto. Completam o ranking o professor Pantaleão (PSol) com 1,5%, Simeyzon Silveira (PSC) com 1,3%, José Neto (PPL) com 1,2% e Rubens Donizetti (PSTU) com 0,5%.

No total, 22,8% dos entrevistados afirmam que votariam nulo ou que não votariam e 15,8% não souberam responder."
Pesquisa Completa, ::AQUI::


Posted: 17 Jul 2012 05:22 PM PDT
"Gravações da Operação Monte Carlo indicam como Cachoeira seria beneficiado pela Secretaria de Educação de Goiás para a construção de escolas no modelo chinês e como o contraventor buscou a revista Veja para emplacar seu projeto. Cachoeira ligou para o editor da Veja em Brasília, Policarpo Junior, pedindo que fosse feita uma matéria sobre a "revolução na educação" que estaria sendo feita em Goiás. A revista não fez a matéria sobre essa "revolução", mas destacou o modelo educacional chinês e suas escolas. Ouça os áudios. A reportagem é de Vinicius Mansur.


Vinicius Mansur, Carta Maior

No dia nove de junho de 2011, em ligação telefônica interceptada pela Operação Monte Carlo, da Polícia Federal (PF), às 14:59, o contraventor Carlos Cachoeira revelou a Gleyb Ferreira da Cruz, um de seus auxiliares, de acordo com a PF, o seu projeto para construção de escolas em Goiás. "Comenta com ninguém não, mas o Thiago passou modelo pra nós, tá? Vai alugar várias escolas no estado, entendeu? E vamos construir, porque na hora que sair, tá pronta, é só oferecer", disse Cachoeira. O nome do secretário de educação de Goiás é Thiago Peixoto.

A partir dos 35 segundos desta ligação o contraventor pede a Cruz que busque o "Alex da China" para obter modelos de escola sem citar que "é do secretário essas coisas". Cruz afirma que o Alex "tá na mão" e que entrará em contato com ele. (Ouça abaixo)

Audio 1

Em pouco menos de um mês, no dia sete de julho de 2011, às 10:09, Cachoeira liga para o editor da Veja em Brasília, Policarpo Junior, afirma que o secretário de educação de Goiás "ta fazendo uma revolução na educação" e pergunta "com quem que ele vê? (...) Como é que a gente pode fazer uma divulgação disso?". Junior afirma que a ligação está cortando e não responde mais. (Ouça abaixo)

Audio 2

Às 10:48, do mesmo dia, o então diretor da Construtora Delta no Centro-Oeste, Claudio Abreu, durante um encontro com Policarpo Junior, liga para Cachoeira para solicitar informações sobre a compra de uma fazenda em Nova Crixás (GO) por "Juquinha" - José Francisco das Neves, ex-presidente da Valec, estatal responsável pelas ferrovias. À época a revista Veja publicava denúncias envolvendo o Ministério dos Transportes. Na ligação, Abreu chega a pedir um dossiê. Cachoeira diz não saber e muda de assunto . "Você tá com o Poli... Fala para ele fazer a reportagem aí, o Thiago ta fazendo uma revolução na educação aqui. Manda ele designar um repórter para cobrir". Ouça abaixo:

Audio 3

O contraventor ainda cita que o secretário de educação colocou 14 mil professores para a sala de aula e que ele está fazendo um projeto com a Gerdau. "Vai revolucionar a educação aqui em Goiás", insiste. Abreu se compromete em passar o recado.

Em outra ligação, às 10:57, Abreu volta a falar do dossiê, Cachoeira diz que vai averiguar com João Bosco e, em seguida, pergunta sobre seu pedido ao editor da Veja. "Ele vai conversar com você sobre isso aí e vai dar um jeito", respondeu Abreu, que ainda pediu a Cachoeira que arrumasse um rádio para Policarpo Júnior. O contraventor negou. Ouça abaixo:

Audio 4

A matéria na Veja
O assunto não é explicitado em nenhuma outra gravação entre o editor da Veja em Brasília e os homens de Cachoeira. As gravações às quais Carta Maior teve acesso registram 29 conversas diretas entre Policarpo Júnior e membros da quadrilha de Cachoeira investigados pela PF.

Entre as matérias da Veja no período, nenhuma abordou a "revolução educacional" em Goiás. Entretanto, em dezembro de 2011, a matéria de capa da edição 2248 da revista diz "A arma secreta da China: a educação de qualidade e baixo custo para milhões é o verdadeiro segredo dos chineses em sua corrida para a liderança mundial".

Em 12 páginas, o jornalista Gustavo Ioschpe relata o modelo educacional chinês, incluindo as construções. "Os prédios são parecidos com os de muitas escolas brasileiras, ainda que um pouco mais verticalizados. São escolas grandes, a maioria com mais de mil alunos (…) em algumas, cada série ocupava um andar. Essa organização do espaço é relevante. Pois em cada andar há uma sala de professores…"

Em abril deste ano, a Secretaria de Estado da Educação de Goiás emitiu nota alegando que "nunca discutiu projetos de construções de escolas 'inspirados' em modelos de outros países" e negou "informações sobre construção de unidades de ensino que seriam, posteriormente, alugadas". Thiago Peixoto segue no cargo de secretário estadual de Educação do governo de Marconi Perillo (PSDB)."


Posted: 17 Jul 2012 05:04 PM PDT


 "Dita ao 247, a frase é do deputado petista Cândido Vaccarezza; membro da CPI do Cachoeira, ele acha "esquisita" a reação dos tucanos; comando do PSDB convocou entrevista para atacar adversários e defender governador de Goiás; "CPI e mensalão não têm relação entre si", rebateu o petista

Andressa Anholete, Brasília 247 / Brasil 247

"Será que eles acham que as denúncias da Polícia Federal são fantasias? Fica esquisita a forma como o PSDB está reagindo", afirma o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), integrante da CPI do Cachoeira. Em entrevista ao 247, ele comentou a defesa dos tucanos ao governador do Goiás, Marconi Perillo, feita na tarde desta terça-feira 17, em Brasília, por meio de entrevista coletiva da cúpula do partido.

"Eles estão fazendo um esforço para defender o governador. Mas Perillo não tem defesa, até o PSDB vai entender com o tempo", disse o parlamentar petista.

Vaccarezza afirmou que entende que o partido queira defender seu integrante, mas criticou a postura em relação ao PT. "Eles que defendam e não acusem os outros",  acrescentou o deputado, contando que ainda tem "coisa muito pior" para aparecer.

Sobre a acusação de que o PT teria medo do mensalão, o petista garante que "uma coisa não tem nada haver com outra", e que é preciso aguardar o julgamento do Supremo Tribunal Federal.

Vaccarezza não acredita que a mudança de postura do PSDB possa atrapalhar as investigações da CPI do Cachoeira. Durante o recesso, o integrante da comissão contou que os dados serão cruzados e que o trabalho não vai enfraquecer."



Posted: 17 Jul 2012 11:13 AM PDT




Posted: 17 Jul 2012 11:10 AM PDT


"Há pouco que falar sobre a extensa matéria do Fantástico que promoveu um massacre de injúrias e difamações contra o ex-presidente Fernando Collor de Mello no último domingo. Aliás, além de xingar e difamar, a Globo pode ter dado curso a calúnias.

Eduardo Guimarães, Blog da Cidadania / Vermelho

Mas esse não é o aspecto mais importante daquele quadro em um programa que vai ao ar no horário mais nobre da televisão brasileira. O mais importante é o que havia de jornalismo e o que houve de pura vingança e de uma intimidação que não se resume a Collor.

O que foi, diabos, que a Globo trouxe de novo? Jornalismo é notícia, ao menos no formato imposto àquela matéria. Que notícia a Globo deu? Que Collor é macumbeiro? Isso o falecido irmão dele disse há mais ou menos 20 anos e foi objeto de especulações por muito tempo.

A maioria das pessoas não sabe o que ocorreu naqueles anos 1990 porque ainda há mais jovens do que de maduros no Brasil. E o que ocorreu àquela época, hoje perdeu todo o sentido.

Collor foi julgado pelo Supremo Tribunal Federal e foi absolvido. Se por inépcia da acusação, da promotoria, como foi dito, não importa. Se fosse condenado, a condenação seria usada sem dó nem piedade; é justo que a absolvição tenha o mesmo peso que a condenação.

Um parênteses: pelo que a Globo fez com Collor, pode-se prever o que fará se os acusados principais no inquérito do mensalão (leia-se José Dirceu em primeiro lugar) forem absolvidos…

Então, a reportagem do Fantástico sobre Collor não serviu para nada. Requentou um caso que já se perdeu nos desvãos da história. E o mais interessante é que quem requentou esse escândalo é a mesma mídia que diz que a Privataria Tucana ocorreu já faz "muito tempo".

Ah, mas Rosane Collor confirmou alguns cafés da manhã entre Collor e PC Farias antes de eclodir o escândalo. E daí? PC foi caixa da campanha de Collor à Presidência. Não tem relevância alguma essa informação. Jamais terá conseqüência.

Não havia razão para a Globo trazer esse assunto à tona depois de tanto tempo. Collor fazia macumba, é? Quanta socialite ou dona-de-casa ou pai de família ou estudante ou empresário não faz seus "trabalhos"?

Em minha opinião, aliás, a Globo deu um tiro no pé, porque "trabalhos" com "animais mortos" estão por toda parte, neste país, e ninguém fica chamando de "magia negra".

Ridículo, estapafúrdio, arcaico, fundamentalista… É criminalização religiosa, aliás. Daqui a pouco o PIG vai pregar a formação de uma força policial para prender qualquer Pai de Santo que matar uma galinha e colocar numa cesta com velas, fitas etc. numa encruzilhada."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 17 Jul 2012 09:45 AM PDT
Júlio Campos, Jader Barbalho, Carlos Souza
e Paulo César Quartiero: parlamentares
na mira do STF


"Suspeitas contra quatro parlamentares no STF vão de desvio bilionário a homicídio, passando por associação ao tráfico de drogas e sequestro

Edson Sardinha, Congresso em Foco

 Homicídio, sequestro e associação ao tráfico de drogas. Acusações que levam milhares de brasileiros pobres à cadeia todos os anos, quem diria, também chegaram ao Congresso Nacional, somando-se às tradicionais denúncias de desvio e mau uso do dinheiro público.  Essas suspeitas ajudam a compor o eclético repertório das centenas de processos a que respondem parlamentares no Supremo Tribunal Federal (STF), órgão responsável por investigar e julgar criminalmente deputados e senadores.

Conhecer detalhes dos processos em andamento no Supremo é dar de frente com as vísceras do sistema político brasileiro. O Congresso em Foco selecionou quatro casos que, devido à gravidade das denúncias, chamam o eleitor à reflexão.  Afinal, quem foi escolhido pela população para legislar em nome dela deveria ser visto como exemplo para toda a sociedade. Mas nem sempre é assim.

Um dos vice-líderes do recém-criado PSD na Câmara, o deputado Carlos Souza (AM) é o único parlamentar que responde a processo no Supremo por associação ao tráfico de drogas. Ex-governador de Mato Grosso, o deputado Júlio Campos (DEM-MT) é suspeito de ter encomendado a morte de duas pessoas. O primeiro não comenta o assunto; o segundo contesta a denúncia.

Na Câmara desde o início de 2011, o ex-prefeito de Pacaraima (RR) Paulo César Quartiero (DEM-RR), que ficou conhecido nacionalmente por liderar os arrozeiros em um sangrento conflito por terras entre indígenas e não indígenas na reserva Raposa Serra do Sol, é acusado de sequestro e cárcere privado, entre outras coisas, nas 14 investigações (seis já transformadas em ações penais) que acumula no STF. Quartiero é hoje o congressista com mais pendências judiciais na mais alta corte do país. Todas, segundo ele, motivadas por perseguição política em razão de seu papel como líder dos arrozeiros.

Excluídos os deputados, o senador com mais problemas na Justiça atualmente é Jader Barbalho (PMDB-PA), que só tomou posse no final do ano passado, meses depois de o Supremo decidir que a Lei da Ficha Limpa só valerá a partir deste ano. São cinco ações penais e dois inquéritos. Contra o ex-presidente do Senado, que renunciou ao mandato em 2001 para escapar da cassação em meio a uma série de denúncias, não pesa suspeita de envolvimento com tráfico de drogas, homicídio ou sequestro. Mas a de fazer parte de uma quadrilha acusada de desviar cerca de R$ 1 bilhão da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).

Ninguém na cadeia

No Brasil, congressistas e outras autoridades só podem ser investigados e julgados criminalmente pela mais alta corte do país. O chamado foro privilegiado foi instituído para evitar eventuais perseguições políticas locais. Mas, por meios tortos, acabou virando um atrativo para a vida política: até 2010, os ministros do Supremo jamais haviam condenado qualquer parlamentar brasileiro.

De lá para cá, no entanto, seis foram condenados. Dois escaparam da punição porque seus casos já estavam prescritos na data do julgamento. Outros três, condenados à prisão, ainda contestam a decisão da Justiça. Dois deles, inclusive, seguem no exercício do mandato, Asdrubal Bentes (PMDB-PA) e Natan Donadon (PMDB-RO)."



Posted: 17 Jul 2012 09:28 AM PDT
Ideli. Base menor para ser mais confiável


Mauricio Dias, CartaCapital

Freio de arrumação I
Ideli Salvatti, ministra das Relações Institucionais, trabalha intensamente na montagem de outro cenário de apoio ao governo no Congresso após as eleições municipais de outubro. Dilma quer uma base menor e mais consistente.

A ministra tem conversado com políticos mais confiáveis e, eventualmente, faz sondagens sobre possibilidade de alguns deles se deslocarem de um partido para outro dentro da própria aliança de apoio, porém, mais confiáveis.
Freio de arrumação II
Uma coleção bem razoável de exemplos, a começar pelo Código Florestal, mostra que quanto maior a base, menor é a confiabilidade dela. Nesse sentido, se for possível, a bancada do PSC pode murchar e ser expelida.

Dilma não tem boas lembranças do pastor Everaldo, forte liderança do partido, após a pressão sofrida por ela, em torno da liberação do aborto, na eleição de 2010."

Foto: Abr


Posted: 17 Jul 2012 09:02 AM PDT


Correio do Brasil

"O bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, pagava contas de secretários do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), segundo denúncia da Polícia Federal, com base em conversas telefônicas gravadas com autorização judicial e divulgadas nesta terça-feira. Os pagamentos seriam realizados por meio da construtora Delta, apontada pela PF como empresa integrante do esquema de Cachoeira. Uma das beneficiadas, segundo o relatório, foi a ex-chefe de gabinete do governador, Eliane Gonçalves Pinheiro, que renunciou ao cargo logo após o escândalo.

Os diálogos com o ex-vereador Wladmir Garcez (PSDB), que seria o braço político do esquema, ocorreram em abril do ano passado. A conversa mostraria a irritação de Cachoeira por não conseguir colocar indicações suas no governo de Perillo.

– Eu não consigo pôr no Detran, o Wilder foi lá e emplacou. O Wilder não dá um centavo pra ninguém. Imagina só: o Wilder vai lá para o Palácio, consegue convencer o Marconi a colocar o cara e você tá lá todo dia e não fala nada. Você tá com o secretariado todo dia, todo dia você traz conta pra mim, levo pro Cláudio, e não consegue emplacar ninguém. Entendeu? – reclamou Cachoeira, fazendo referência a Cláudio Abreu, da Delta Construções. O Wilder mencionado é empresário Wilder Pedro de Morais, senador que assumiu a vaga no Senado lugar do ex-senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO)."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 17 Jul 2012 08:42 AM PDT


Redação, PortalIMPRENSA

Na última sexta-feira (13/7), a atriz Luana Piovani deu início a uma campanha contra o site Ego, da Globo. Luana criou a hashtag #globoacabecomego e pediu para seus seguidores divulgarem o protesto, informou o site Tribuna Pop.

Após pedir para seus seguidores divulgarem a hashtag, a atriz escreveu em seu Twitter. "Esses urubus n podem fazer da nossa vida os 200 reais diarios deles!! ?#globoacabecomego?".

Durante toda a sexta-feira (13/7), a atriz divulgou o protesto e criticou o site que divulga fotos de celebridades. No entanto, Luana Piovani fez questão de dizer que sua campanha não tem nada a ver com a Globo. "Aos espiritos d porco: critico e desprezo o trabalho infame e pejorativo do site ego, nao estamos falando da globo.ela e uma mega empresa", explicou a atriz. "Pois é o q fazem os paparazzi.nos roubam a paz.sem compaixao c nenhum tipo d dor", criticou."


Posted: 17 Jul 2012 08:10 AM PDT


"José Celso Gontijo, dono da JC Gontijo, surge nos grampos da Operação Monte Carlo como o responsável pela entrada da Delta no Distrito Federal; em 2010, sua esposa, Ana Maria Baeta Valadares Gontijo doou R$ 8,2 milhões, como pessoa física, à campanha presidencial de José Serra; em vídeo, empreiteiro ainda aparece pagando propina


No dia 7 de maio de 2011, a revista Veja publicou uma reportagem chamada "O segredo do sucesso", atribuindo a José Dirceu as peripécias da Delta no País. Graças à suposta influência do ex-ministro da Casa Civil, a empreiteira de Fernando Cavendish estaria se tornando uma das maiores do País (leia mais aqui).

Agora, novos grampos da Polícia Federal, colocam em xeque essa versão. São conversas entre Carlos Cachoeira e Claudio Abreu, em que tratam dessa reportagem. No diálogo 19, dos 73 que foram vazados pelo jornalista Paulo Henrique Amorim, do site Conversa Afiada (leia mais aqui), Cachoeira e Abreu deixam claro que Dirceu não tem qualquer relação com os negócios da Delta. Dizem ainda que o responsável pela entrada da empreiteita no governo do Distrito Federal foi um construtor local: o empresário José Celso Gontijo, da JC Gontijo, que é uma das maiores incorporadoras de Brasília.

A conexão entre Gontijo e Serra é uma doação de R$ 8,2 milhões feita pela esposa do empreiteiro, Ana Maria Baeta Valadares Gontijo, à campanha presidencial do tucano, em 2010. Um valor muito estranho pessoas físicas, uma vez que a lei eleitoral permite apenas que se doe 10% do valor ganho num determinado ano. Para piorar, José Celso Gontijo aparece num dos vídeos do policial Durval Barbosa pagando uma propina para manter seus contratos de tecnologia no Distrito Federal.

Assista, abaixo, ao vídeo, que capta o momento da entrega do dinheiro:







Posted: 17 Jul 2012 07:46 AM PDT


"O Instituto Methodus divulgou nesta terça-feira uma pesquisa sobre a intenção de voto para a prefeitura de Porto Alegre (RS). Manuela D'Ávila (PCdoB) aparece na primeira colocação, com 38,6%, seguida do atual prefeito, José Fortunati, com 33,5%. O candidato do PT, Adão Villaverde, aparece na terceira posição, com 7,4%.


Em quarto lugar, aparece o candidato Roberto Robaina (PSol), com 1,8%. Os últimos colocados foram Wambert Di Lorenzo (PSDB), com 1%; Érico Corrêa (PSTU), com 0,9%; e Jocelin Azambuja (PSL), com 0,4%. O percentual de brancos e nulos ficou em 7,9%. Outros 8,5% dos 1,6 mil entrevistados disseram não saber em que vão votar. 

O levantamento também mostra simulações de segundo turno: Manuela (46,7%) contra Fortunati (39,3%); Fortunati (57,6%) contra Villaverde (20,1%); e Manuela (62,9%) contra Villaverde (16,1%).

A pesquisa, contratada pela empresa jornalística Caldas Júnior e divulgada no jornal Correio do Povo, foi realizada de 11 a 14 de julho e tem margem de erro de 2,5 pontos percentuais para mais ou menos. O registro da pesquisa no Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS) tem o número RS-00035/2012."



You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610



--
Francisco Almeida / (91)81003406

Postar um comentário