sexta-feira, 16 de março de 2012

Fwd: BRASIL! BRASIL!




BRASIL! BRASIL!


Posted: 15 Mar 2012 06:33 PM PDT




Posted: 15 Mar 2012 06:27 PM PDT


"Senador do DEM, amigo do "professor" Cachoeira, com quem falava por meio de rádios trazidos dos EUA, é também dono da Nova Faculdade, em Contagem (MG); quem será seu sócio?

Brasil 247

O senador Demóstenes Torres (DEM) é dono de uma faculdade em Contagem, cidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte e não revela pra ninguém quem são seus verdadeiros sócios no empreendimento.

A Nova Faculdade foi instalada oficialmente em dezembro de 2011 em uma suntuosa sede própria de 8.500 metros quadrados, construída em ritmo frenético, com trabalhadores se revezando 24 horas por dia. São cursos de administração, ciências contábeis, direito, farmácia e enfermagem. Conta ainda com cursos de pós-graduação e extensão em saúde.

A participação de Demóstenes na Nova Faculdade consta de sua declaração à Justiça Eleitoral em 2010 como tendo sido integralizadas as 200 quotas em 25 parcelas de R$ 8 mil, o que valeria, segundo informações do senador, R$ 200 mil. O sócio principal do senador no empreendimento é provavelmente o empresário de Anápolis-GO, Marcelo Limirio, ex-dono do Laboratório Neo Química e sogro de Alexandre Baldy, secretário de Indústria e Comércio do governo de Goiás. Demóstenes não revela quem são os verdadeiros sócios, mas as ligações de Baldy e Limírio permitem supor que gente graúda de Anápolis esteja na empreitada. "É possível que tenha participação de Carlinhos Cachoeira nessa faculdade", comenta um vereador da cidade.

A participação de Demóstenes Torres na faculdade com míseros R$ 200 mil em 25 parcelas é considerada subestimada por especialistas em educação. A estrutura construída é de 81 salas de aula com capacidade para até 50 alunos, sendo que todas elas possuem computador. Metade delas possui também projetores de multimídia e telas de projeção. Conta também com quatro laboratórios de informática com capacidade para até 26 alunos e equipados com computadores novos e modernos, além de projetores de multimídia."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 15 Mar 2012 06:13 PM PDT


Ricardo Kotscho, Balaio do Kotscho

"É censura, é censura", saíram gritando todos ao mesmo tempo os blogueiros amestrados do Instituto Millenium (entidade criada pelos velhos donos da mídia para defender seus interesses em nome da liberdade de expressão), assim que a Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou na tarde de quarta-feira o projeto que regulamenta o direito de resposta na imprensa.

Querem deliberadamente confundir a opinião pública para defender seus privilégios e a impunidade dos crimes que cometem contra a "honra, intimidade, reputação, conceito, nome, marca ou imagem", como está previsto no texto do projeto aprovado no Senado, que agora deve seguir para a Câmara.

Censura é proibir previamente algum veículo de publicar determinada notícia. O projeto não proíbe ninguém de coisa alguma. Ao contrário, estabelece regras para a publicação do outro lado da notícia, após a sua divulgação.

Direito de resposta é uma conquista democrática para que as pessoas ou entidades que se sintam ofendidas por determinado veículo de imprensa possam recorrer à Justiça e haja prazos determinados para a reparação dos danos causados pela publicação.

Desde a revogação da Lei de Imprensa pelo Supremo Tribunal Federal, em 2009, uma providência defendida por todos os democratas, a verdade é que não foram definidas outras regras para a aplicação do direito de resposta previsto na Constituição Federal."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 15 Mar 2012 05:52 PM PDT


"Aparelho usado pelo líder do DEM no Senado foi habilitado em Miami para escapar de grampos telefônicos

Murilo Ramos e Andrei Meireles, Época

O empresário de jogos Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, habilitou em Miami 15 aparelhos de rádio, da marca Nextel, e os distribuiu entre pessoas de sua mais estrita confiança. De acordo com a Polícia Federal, o propósito de Cachoeira era evitar que escutas telefônicas, legais ou ilegais, captassem suas conversas com os comandantes de uma rede de exploração ilegal de máquinas caça-níqueis em Goiás e na periferia de Brasília. Nos relatórios da investigação, o grupo contemplado com os rádios é chamado de "14 + 1". Entre os 14, há foragidos e os que foram presos com Carlinhos Cachoeira durante a Operação Monte Carlo, da PF. O "1" é o senador Demóstenes Torres (GO), líder do Democratas no Senado Federal."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 15 Mar 2012 05:22 PM PDT


"Como 247 adiantou na semana passada, bicheiro detido na Operação Monte Carlo negocia acordo de delação premiada; Palácio do Planalto já foi informado; capacidade de Carlinhos Cachoeira elucidar casos obscuros já provoca pânico nos meios políticos; ele sabe muuuuito!


Preso durante a Operação Monte Carlo, da Política Federal, no fim de fevereiro, o bicheiro Carlinhos Cachoeira negocia acordo de delação premiada. Isso, você, que lê o 247, já sabe (relembre aqui). Agora, a Revista Época acrescenta, por meio do blog do jornalista Felipe Patury, que o Palácio do Planalto já foi informado do início das negociações e acompanha o caso.

As negociações do bicheiro com o Ministério Público devem estar deixando muito político de cabelo em pé, dada a grande quantidade de dúvidas que o bicheiro pode solucionar se conseguir fechar o acordo.

Qual teria sido, digamos, sua participação na campanha que elegeu o governador tucano Marconi Perillo em Goiás? E suas relações com o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), iriam além de uma bela e inocente amizade? Que tanto eles conversavam nas 298 ligações telefônicas trocadas entre os dois?

Os segredos guardados com Cachoeira não se resumem a políticos do DEM e do PSDB. O deputado federal Rubens Otoni, do PT, foi registrado em vídeo negociando uma doação de campanha no valor de R$ 100 mil – e que não seria declarada. Cachoeira também poderia esclarecer qual é sua relação com o delegado e deputado federal Protógenes Queiroz (PC do B) e como foram seus encontros, com a presença do sargento Dadá?

Há ainda muita curiosidade quanto a sua relação com a Delta Engenharia e sobre a razão por que Cachoeira tinha livre acesso ao caixa da empreiteira em Goiás. Enfim, perguntas não faltam a Cachoeira, e ele parece disposto a falar."


Posted: 15 Mar 2012 08:33 AM PDT


"Mas sete estados devem instalar a Comissão da Verdade para apurar os casos de violações dos direitos humanos na época da ditadura militar – reunindo e analisando documentos e relatos sobre os acontecimentos nos estados. Essas comissões regionais também vão contribuir para as ações da Comissão Nacional da Verdade, criada no governo Dilma Rousseff e em fase de implantação.


"Precisamos de Comissões nas Assembleias Legislativas, nos estados e em alguns casos, nas próprias Câmaras Municipais. Porque o somatório desse esforço de recuperar a memória e de escrever a história é fundamental para que nós possamos avançar no regime democrático e no fortalecimento do Estado de Direito democrático", afirmou Gilney Viana, ex-preso político, que hoje coordena o projeto Direito à Memória e à Verdade, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Viana ressaltou a importância da Comissão da Verdade, batizada de Rubens Paiva (ex-deputado estadual paulista e desaparecido político), instalada na Assembleia Legislativa de São Paulo, no último dia 1º de março. Viana acredita que a iniciativa vai, em breve, se repetir em outros estados.

"No Rio de Janeiro, onde foi assassinado o Rubens Paiva, também vai ser inaugurada a Comissão da Verdade na Assembleia Legislativa. E tudo indica que vai ocorrer o mesmo no Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás, Bahia, Pernambuco, e no Pará. Isso é muito bom porque você tem várias iniciativas que investigam os casos regionais, ou casos paradigmáticos, como é o caso do Rubens Paiva, e oferecem essa contribuição à Comissão da Verdade Nacional que vai produzir um relatório oficial do Estado brasileiro sobre o período da ditadura", afirmou." 


Posted: 15 Mar 2012 08:22 AM PDT


"Segundo a proposta, o ofendido terá prazo de 60 dias para solicitar reparação ou retificação

O Globo 

"A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira a regulamentação do direito de resposta aos veículos de comunicação. De acordo com a proposta, o ofendido - pessoa física ou jurídica - por matéria jornalística terá assegurado o direito de resposta "gratuito e proporcional", ocupando o mesmo espaço dado à eventual ofensa. O texto foi aprovado por unanimidade, em caráter terminativo, e agora segue para a Câmara dos Deputados.

De autoria do senador Roberto Requião (PMDB-PR), o regulamento prevê que o ofendido terá prazo de 60 dias, contado a partir da data da primeira divulgação, publicação ou transmissão da matéria, para solicitar a reparação ou retificação. O direito de resposta será estendido a todos os veículos que tenham divulgado, publicado ou republicado, transmitido ou retransmitido a reportagem alvo da solicitação. O relator, senador Pedro Taques (PDT-MT), afirmou que o projeto não limita o trabalho da imprensa.

- A liberdade de imprensa deve ser ressaltada, cultuada por todos nós. Agora, liberdade rima com responsabilidade. A Constituição fala do direito fundamental à resposta. O projeto não ofende nenhum princípio da liberdade de imprensa - defendeu o relator.

Ao receber o pedido de direito de resposta, o veículo terá prazo de sete dias para responder ao demandante, contado a partir do recebimento da correspondência, que deverá ser registrado. De acordo com Taques, a resposta não significa a imediata publicação ou transmissão dos argumentos de quem se sentiu ofendido. Mas, uma vez ultrapassado o período de sete dias sem nenhuma resposta, "restará caracterizado o interesse jurídico para a propositura de ação judicial", diz o texto.

No caso de o pedido alcançar o Poder Judiciário, independentemente de outras ações previstas nos códigos Civil e Penal, o juiz da ação terá 30 dias para proferir a sentença.

O senador Roberto Requião, autor da proposta, sugeriu, durante a reunião da CCJ, que a imprensa resiste em divulgar direitos de resposta, e citou, como exemplo, supostos "erros e acusações descabidas ao Senado", que ficaram sem resposta nos últimos anos.
- Nestes últimos três anos, a Presidência do Senado enviou à imprensa 148 cartas para corrigir erros e acusações descabidas ao Senado da República. Sequer uma delas foi publicada - sustentou Requião."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 15 Mar 2012 07:59 AM PDT


Paulo Costa Lima, Terra Magazine

"Não é hora de dividir. O mundo se reparte em crises, mas nós temos conseguido crescer.

Qualquer um que tenha vivido a década de 80, de paradeiro total e inflação de até 80% num mês, fica pasmo diante dessa situação de agora, de nossa imunidade.

Pois bem, saímos da década de 80, e da ditadura que até ela se estendeu - construímos um caminho político com democracia e eleição dos líderes.

Temos uma presidente que conta com aprovação de maioria esmagadora da sociedade - e no entanto temos que conviver diariamente com um clima de instabilidade política.

Ninguém agüenta mais essa idéia retrógrada de base aliada cobrando cargos e ministérios de porteira fechada, sem a vigilância da presidência, como teve o desplante de falar um nobre deputado há poucos dias.

É um tapa na cara de todos os cidadãos que prezam a transparência e honestidade, e que apóiam todas as iniciativas da presidente Dilma nessa direção.

Nós, sociedade civil, organizada ou desorganizada, temos de reagir, temos de mostrar aos nossos representantes que, ou eles defendem os princípios de moralidade, ou defendem o Brasil acima dos interesses setoriais, ou estarão fora do jogo.

Precisamos mandar um recado muito claro para a classe política, e para a mídia em geral. Estamos aqui quietos em nossos cotidianos brasileiros, mas sabemos nos irritar, sabemos muito bem quem tem boas intenções e quem deseja apenas levar vantagem. E podemos transformar isso em votos.

O Brasil não fez o esforço que fez, organizou a economia nos anos 90, ultrapassou barreiras impensáveis, trouxe 40 milhões de pessoas para um nível de participação mais decente (ou menos indecente)... para perder o bonde da história e se desestruturar em politicagens insanas.

O recado vale para toda a base aliada. Especialmente os que aceitarem a carapuça e a fama de fisiológicos e oportunistas. Vocês fizeram um pacto de governança, aderiram a princípios que devem nortear o bem do coletivo. Portanto, parem de provocar a nossa inteligência...

Mas o recado vale também para o próprio partido líder, que apesar de nesse tempo de agora poder liderar a narrativa da emancipação e da superação - apesar dessa sorte e dessa nobreza, às vezes se divide internamente, e vez por outra esquece que foram muitas mãos que construíram o caminho até aqui...

E você, caro leitor, saiba que não sou filiado a qualquer partido político. Acho a participação em partidos saudável, e creio que a população devia entrar maciçamente em todos os partidos, para vigiá-los, para guiar as decisões...

Os partidos produzem discursos de análise e de alternativas - expõem trajetórias e símbolos daquilo que podemos abraçar ou deixar de lado.

Neste momento nós elegemos uma presidente, e ela tem se esforçado para desempenhar o seu papel de forma exemplar. Precisamos reagir à altura, e defendê-la... Esse é um ativo que ela conquistou.
Fiquemos atentos portanto - e chega de votar em quem não sabe manter seus compromissos de fidelidade ao bem coletivo, e trata a política como máquina de levar vantagem."
Imagem: Dilma em sessão no Senado (foto: Roberto Stuckert Filho/PR/Divulgação)


Posted: 15 Mar 2012 07:47 AM PDT


"Deputado já tem 220 adesões e deve formalizar pedido na Câmara; ele, no entanto, recebeu um recado do bicheiro para que não a leve adiante, pois dois de seus operadores que estão presos, o sargento Dadá (à dir.) e o araponga Jairo Martins, também trabalharam na operação Satiagraha

Brasil 247

O deputado Protógenes Queiroz (PC do B-SP) conseguiu ultrapassar o número mínimo de assinaturas para protocolar o pedido de instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar o envolvimento de políticos com o bicheiro de Goiânia, Carlinhos Cachoeira. Protógenes pretende levar a investigação a diante, mesmo sob ameaça. Na semana passada, o bicheiro que se encontra em um presídio de segurança máxima em Natal, mandou um recado para que desista da CPI, como foi divulgado pelo jornalista Claudio Humberto. "Estou ansioso para relembrar as reuniões que tive com Protógenes em Goiânia, sempre na companhia do agente Dadá, até para tratar de assuntos nada republicanos". O agente citado seria o sargento da reserva da Aeronáutica Idalberto Matias de Araújo, um dos presos pela Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, que investigou atividades ilegais de Cachoeira e de policiais a seu serviço.

Já se sabia que Cachoeira nomeava delegados no governo do tucano Marconi Perillo e financiava campanhas de políticos de todos os partidos, inclusive do PT. As provas até agora obtidas pela PF indicam também que o senador Demóstenes Torres (DEM/GO) recebeu dele uma cozinha completa como presente de casamento e pareceu manter uma amizade íntima com o bicheiro em conversas telefônicas, se referindo a ele como «professor ». Mas o envolvimento com Protógenes é uma nova bomba.

A CPI que o deputado postula agora vai jogar luz sobre o sargento Dadá – que ilumina as práticas ilegais, como corrupção passiva, prevaricação e interceptação telefônica ilegal, que o STF investiga contra os ex-delegados Paulo Lacerda e Protógenes Queiroz na operação Satiagraha."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 15 Mar 2012 07:37 AM PDT




Posted: 15 Mar 2012 07:13 AM PDT



"Em 2011, 272.181 queixas foram feitas por consumidores via Twitter com a hashtag #fail (em inglês, falha). É o que mostra levantamento realizado pela E.life de 1 de janeiro a 31 de dezembro do ano passado, segundo o qual, houve mudanças nos focos de reclamação.

As categorias que ficaram na frente do ranking negativo foram alimentos (o que inclui restaurantes e marcas de comidas e bebidas); operadoras de telefonia (fixa e móvel); eletro-eletrônicos; bancos, seguradoras e cartões; e provedores de internet.

Os alimentos foram alvo de 119,5 mil reclamações, o que o fez saltar da 5ª posição em 2010 para a 1ª em 2011. Com 56,7 mil, as operadoras caíram do topo para o 2º lugar. Eletro-eletrônicos (com 18,1 mil), foram do 6º lugar ao 3º.

Navegadores; companhias aéreas; instituições de ensino; cosméticos e produtos de higiene; montadoras de automóveis; supermercados; aparelhos celulares; revistas; e produtos de limpeza completam os ítens mais criticados."


Posted: 15 Mar 2012 06:09 AM PDT


"Como um documentário oportunista tornou-se maior viral da História. Que ele revela sobre ingenuidade na rede e antídotos da colaboração

Marina Barros, Outras Palavras
O ineditismo de um vídeo de 29 minutos não é o único fator que faz de KONY2012 um fenômeno da internet. Com mais de 100 milhões de "views" em menos de uma semana, o documentário produzido pela organização humanitária californiana Invisible Children tornou-se o "viral" de difusão mais rápida desde o surgimento da internet, e a campanha de captação de recursos mais bem sucedida dos últimos anos.


Personagens reais, celebridades como Oprah, Rihanna, exércitos de jovens lindos e loiros interagindo com políticos "do bem" compõem uma trama nada simples mas com uma mensagem clara: Precisamos parar KONY! E faremos isso pela mobilização da opinião pública para a autorização da instalação de uma base militar americana em Uganda que vai…parar KONY. (Stop KONY!)


KONY é o vilão, um ditador que, segundo o vídeo, pratica atrocidades contra a população ugandense há mais de 20 anos. Cooptação de menores, mutilações e estupros são alguns exemplos. As imagens e os depoimentos das crianças são de fazer qualquer um marear os olhos.


A organização Invisible Children faz um chamado simples: para continuarem a luta contra o ditador (ou a guerra pela paz na Uganda), é preciso torná-lo conhecido. KONY é o numero 1 da lista da Corte Penal Americana; Torná-lo famoso é o primeiro passo para mobilizar a opinião pública e exigir da Casa Branca o envio de tropas e reforço para o exército local, que luta contra o exército de KONY.


A campanha em si é de tirar o chapéu. Focada em um público jovem e antenado, constrói um mosaico de elementos que tocam o coração: crianças americanas lindas falando sobre o "homem mau", crianças africanas chorando e pedindo ajuda, artistas e políticos de alta reputação dando credibilidade à causa. Pressão de tempo é outro elemento indispensável: tudo tem que ser feito agora, não há tempo a perder.


A cereja do bolo é o convite para a adesão à campanha: "não queremos o seu dinheiro, queremos sua participação, sua iniciativa em ir às ruas e colar cartazes KONY 2012, juntar-se à multidão no dia 12 de Abril". A fórmula é infalível e muito bem aplicada, em tempos de Occupy, KONY 2012 é a possibilidade de compra do seu próprio Occupy. Para adquirir o KIT, paga-se 25 dólaras e recebe-se em casa uma caixa contendo cartazes e 2 pulseirinhas, uma para você e outra para presentear.
Até aqui nada de novo, mas vale refletir um pouco sobre KONY 2012."
Artigo Completo, ::Aqui::


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610





--
Francisco Almeida / (91)81003406

Postar um comentário