quarta-feira, 14 de março de 2012

Fwd: BRASIL! BRASIL!




BRASIL! BRASIL!


Posted: 13 Mar 2012 05:52 PM PDT


Rodrigo Vianna e Juliana Sada, Escrevinhador

"No domingo passado, a TV Cultura deu mais um passo rumo ao desmonte completo. No horário nobre da TV pública paulista, estreou o programa da "TV Folha". Obteve retumbante 1 ponto de audiência!!! A "Folha", que já pediu em editorial o fechamento da TV Brasil (entre outros motivos, pela "baixa audiência"), agora se contorce pra comemorar 1 pontinho. Sobre isso, pode-se ler aqui.


Aprovada em outubro, a parceria da TV Cultura com meios privados só veio a público no fim de janeiro. A revista "Veja" também terá espaço na programação. Esse Escrevinhador foi dos primeiros a tratar do assunto, de forma crítica, como você pode ler aqui.


Os jornais "Estadão" e "Valor Econômico" foram convidados a participar da programação da emissora, mas a negociação ainda não teria sido concluída.


O Escrevinhador conversou com o deputado estadual Simão Pedro (PT/SP) que – por ser  presidente da Comissão de Educação e Cultura da Asembléia Legislativa de São Paulo – tem direito a uma cadeira no Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta, mantenedora da TV Cultura.


O deputado defendeu o direito de meios de comunicação não comerciais e de movimentos sociais ganharem espaço na TV pública. Simão Pedro revela que, dentro de seis meses, a parceria com o jornal será revista; mas adiantou que a composição do Conselho é um obstáculo para a tomada de decisões que contrariem interesses do governo estadual.


- Deputado, o senhor faz parte do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta, mantenedora da TV Cultura. O Conselho foi consultado sobre essas parcerias? Qual a opinião do senhor?
Em uma reunião de outubro, a que eu não estava presente, eles apresentaram a proposta de parceria e ela foi aprovada. Talvez porque ali não se percebeu o que era.



Quando fiquei sabendo desse projeto, fui falar com o presidente [da Fundação, João Sayad]. Questionei por que não investir na TV. O argumento do João Sayad foi de que isso não ocorreria e que os jornais contribuiriam para dar qualidade à TV Cultura.


Na última reunião, em fevereiro, eu, Ivo Herzog e outro membro do Conselho questionamos a parceria. Conseguimos aprovar uma proposta de que essa parceria fosse reavaliada daqui a seis meses. Isso foi o máximo que conseguimos no Conselho.


A TV Cultura está liberando meia hora de um horário nobre. A direção alega que a TV Cultura vai ganhar em qualidade, trazendo o noticiário da "Folha". Não está explícito, mas acredita-se que a "Folha" vai divulgar mais a TV Cultura.


Isso é uma privatização da TV Cultura, de um espaço público, terceirizando o jornalismo. Por que o privilégio para esses? Todas as outras empresas privadas de jornalismo teriam o direito de reivindicar. A TV Cultura investe cada vez menos em sua programação e a terceiriza cada vez mais. É um precedente perigoso para a TV pública."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 13 Mar 2012 05:35 PM PDT


 "O povo inglês merece uma imprensa que assuma suas responsabilidades seriamente e exerça os padrões profissionais reconhecendo que a liberdade  preciosa de que desfruta é um privilégio, não um direito divino."
Lord David Hunt, chairman da Press Complaints Commission
(cf. The Guardian, em 9/3/2012)
Venício A. de Lima, Teoria e Debate

A Comissão de Reclamações sobre a Imprensa (Press Complaints Commission, ou PCC, na sigla em inglês), criada por empresários de jornais e revistas, é a agência autorreguladora da imprensa no Reino Unido, em funcionamento desde 1991. Na arquitetura institucional para o setor de comunicações naquele país, além da PCC, existe a OFCOM, autoridade independente e reguladora para as indústrias de comunicações.


O escândalo relativo ao comportamento criminoso do tabloide News of the World, do grupo News Corporation, revelado em novembro de 2011, provocou não só a instalação de uma comissão judicial para apurar e sugerir medidas para evitar a repetição dos fatos como também uma indignação generalizada quanto à ineficiência da agência autorreguladora.


Antecipando-se às recomendações da comissão judicial, a PCC anunciou no dia 8 de fevereiro sua descontinuidade, para dar lugar a outra agência com poderes de interferência mais eficazes. Nas palavras do chairman da PCC, o Reino Unido terá "pela primeira vez um órgão regulatório da imprensa com dentes", embora não tenha divulgado os poderes e o mandato da nova agência.


Na verdade, a promessa de uma agência autorreguladora "com dentes" responde à acusação feita em depoimento à comissão judicial pela escritora J.K. Rowling, autora de Harry Potter. Ela afirmou ser a PCC uma agência "sem dentes", isto é, sem poder efetivo de ação para coibir os desvios profissionais e éticos da imprensa.


E o Brasil?


O registro do que se passa hoje na Inglaterra, berço do liberalismo e de algumas das referências clássicas sobre a liberdade de expressão e a liberdade da imprensa, nos ajuda a entender o atraso secular em que nos encontramos quando se trata de regulação (ou autorregulação) no campo das comunicações."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 13 Mar 2012 05:21 PM PDT


Daniel Lima e Stênio Ribeiro, Agência Brasil

"O ministro da Fazenda, Guido Mantega, avaliou hoje (13), em audiência da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, que 2012 será um ano de desafios para a economia brasileira. Em sua apresentação, ele destacou que a crise internacional persiste e não foi solucionada, mas, mesmo assim, o Brasil tem condições de continuar enfrentando as turbulências, pois tem adotado medidas para enfrentar as condições adversas da economia.

"Foi complicado em 2011. Tivemos que enfrentar a inflação e a crise. Mas o crescimento da economia [2,7% em 2011] foi satisfatório e se deu com a elevação do nível do emprego. Nesse quesito, a população está sendo bem atendida", disse. Para o ministro, ante a crise, o Brasil continua sendo um dos poucos países com o privilégio de crescer gerando empregos e elevando a massa salarial.

O ministro defendeu a política fiscal do governo com o controle dos gastos públicos e a manutenção da meta fiscal acima de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) como forma de enfrentar a crise. Mantega assegurou ainda o compromisso do governo em controlar a inflação e de manter a taxa básica de juros, a Selic, em apenas um dígito. "O Brasil caminha para ter taxa de juros em patamares que poderemos dizer, assim, normais, de um dígito", disse."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 13 Mar 2012 05:12 PM PDT


Fernando Vives, CartaCapital

"Quem assistiu ao Jornal Nacional na segunda-feira 12 não teve propriamente uma surpresa, mas talvez tenha dado boas gargalhadas ao ver a reportagem sobre a queda de Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF. Como muitos disseram no Twitter na manhã do dia seguinte, o espaço dado ao cartola parecia mais o Arquivo Confidencial do Faustão do que propriamente uma reportagem jornalística.


A introdução de Patricia Poeta já dava as proporções: "Ao longo de uma gestão de mais de duas décadas, a seleção tricampeã se tornou penta. Teixeira colecionou vitórias, mas também desafetos. E enfrentou denúncias".
Ou seja: as denúncias ficariam entaladas em apenas 22 segundos no final da reportagem, que teve ao todo 3:39 minutos. E com todas as ressalvas: "Ao longo da carreira, Ricardo Teixeira foi alvo de denúncias. Diante de todas elas, Teixeira sempre disse que as acusações eram falsas e tinham caráter político", afirmou o Jornal Nacional.


E prosseguiu: "A denúncia mais contundente foi a de que ele e um grupo ligado à Fifa teriam recebido dinheiro de forma irregular nas negociações de uma empresa de marketing esportivo, em 1999. Viu os processos serem arquivados pela Justiça."


Neste trecho, a reportagem omite um detalhe (RISOS) importantíssimo: é verdade, sim, que o processo do caso da empresa de marketing esportivo, a ISL, foi arquivado pela Justiça suíça. Porém, segundo a BBC britânica, o arquivamento só ocorreu porque Teixeira e os outros envolvidos, seu ex-sogro João Havelange e o atual presidente da Fifa Joseph Blatter, assumiram terem cobrado a propina e devolveram parte do valor. É uma maneira válida de arquivamento de processo para a Justiça suíça – o que não pode, em hipótese alguma, ser um salvo-conduto de inocência para Ricardo Teixeira, como pareceu na reportagem."
Artigo Completo, ::Aqui::



Posted: 13 Mar 2012 04:40 PM PDT




Posted: 13 Mar 2012 04:37 PM PDT


"Segundo o presidente da CUT, queda da participação da indústria no PIB exige medidas mais ousadas na macroeconomia, sobretudo em torno de juros e câmbio

Vanessa Ramos, da Rede Brasil Atual

A presidenta Dilma Rousseff se reunirá amanhã (14) com representantes das centrais sindicais, no Palácio do Planalto. Será o terceiro encontro entre Dilma e representantes do movimento sindical em bloco. Em reunião preparatória hoje (13), as centrais buscaram pontos em comum a ser abordados. "Falaremos sobre política macroeconômica, desindustrialização, o fim do fator previdenciário, o reajuste das aposentadorias, a Convenção 151 da OIT (que trata das negociações coletivas no setor público) e o tema da terceirização", relatou o presidente da CUT, Artur Henrique.

Os sindicalistas estão preocupados com o enfraquecimento da indústria nacional, em grande parte devido à falta de competitividade dos produtos domésticos no exterior em função da guerra cambial. O próprio governo identifica em vários países uma desvalorização artificial das moedas locais em relação ao dólar, enquanto internamente o Brasil luta para conter uma valorização excessiva do real – que tem dificultado negócios para o setor exportador.

"Vamos debater na reunião o risco da desindustrialização. O Brasil cada vez mais está se tornando um exportador de matéria-prima, como soja, petróleo, café, açúcar e cana. Na outra ponta, não estamos agregando valor à nossa indústria com a exportação de manufaturados", avalia o presidente da CUT. "A queda da participação da indústria no PIB demonstra que são necessárias medidas mais ousadas na política macroeconômica. Isso envolve medidas relacionadas com os juros e com o câmbio."

O dirigente defende uma tributação maior para quem aposta mais na ciranda financeira do que a praticada para empresários que "queiram investir na compra de máquinas, ampliar o seu negócio, gerar mais emprego e mais renda". E alertou ainda sobre os "perigos" de os ajustes financeiros em socorro à crise bancária na Europa estimularem a migração de capital especulativo para o Brasil: "Temos de tomar cuidado para que os recursos não venham apenas para o investimento em títulos do governo".
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 13 Mar 2012 08:30 AM PDT


"Nesta entrevista em que comenta a queda do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, e as mudanças que podem ocorrer no esporte a partir de agora, o ex-presidente do Palmeiras Luiz Gonzaga Belluzzo diz que a TV Globo manteve uma relação forte com o ex-mandatário para não correr o risco de perder o principal item de sua programação. "O problema são todos esses interesses privados, que não levam em conta o interesse público", afirma o economista.

Marcel Gomes, CartaCapital

Ex-presidente do Palmeiras (2009/10) e um apaixonado pelo futebol, o economista Luiz Gonzaga Belluzzo se encontrou apenas duas vezes com o ex-mandatário da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, que renunciou nesta segunda-feira (12).

O ano era 2010 e ocorria a eleição para o comando do Clube dos 13, entidade que representa as mais importantes equipes do país. Teixeira articulava a candidatura do ex-presidente do Flamengo, Kléber Leite, contra Fábio Koff. Na ocasião, Belluzzo "trombou" com o então comandante da CBF.

"Eu defendi que a entidade dos clubes precisava ser autônoma, e não vinculada à CBF", lembra ele. No fim, Koff venceu, mas o Clube dos 13 saiu enfraquecido. Era cada vez mais previsível o racha, que acabou ocorrendo em 2011, na disputa pelo dinheiro do futebol pago pela TV Globo.

Nesta entrevista à Carta Maior, Belluzzo diz que espera por mudanças no futebol brasileiro, mas afirma que dificilmente elas virão dos clubes, verdadeiras "casamatas que reúnem os interesses mais díspares, dos maiores aos mais mesquinhos.

Carta Maior - Quem foi Ricardo Teixeira para o futebol brasileiro?
Luiz Gonzaga Belluzzo - Para entender o papel dele precisamos voltar no tempo, até a eleição de João Havelange na Fifa, em 1974, quando ele substituiu Stanley Rous. A partir dali houve uma mudança importante na administração do futebol, na relação com os patrocinadores. A direção do futebol deixou de ser feita de maneira amadora e se tornou um grande negócio, sobretudo para a área de marketing, que aproveitou o fato de o esporte ter se tornado uma impressionante manifestação de massa. Esse processo tomou corpo nos anos 80 e se acentuou nos 90.

CM - Foi essa transformação que ocorreu no Brasil em 1989, com a eleição de Ricardo Teixeira para a CBF?
LGB - Exatamente. O futebol se tornou um grande centro de negócios, legais e ilegais, e atraiu aventureiros interessados em ganhar dinheiro. Os escândalos começaram aí, e não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Se você deixa a lógica do dinheiro dominar, precisa tomar cuidado para não perder a natureza da atividade. Esse é o problema do futebol, o mais interessante de todos os esportes quando é bem jogado."
Entrevista Completa, ::Aqui::


Posted: 13 Mar 2012 08:22 AM PDT


Redação da Rede Brasil Atual

"Para a diretora da secretaria municipal de Habitação de São Paulo, Maria Cecília Sampaio, para ser cidadão na capital paulista, é preciso. Ela dirige a Habinorte, uma das regionais daquela secretaria, e deu as declarações durante reunião de trabalho com moradores da Favela do Coruja, na Zona Norte da capital paulista.

"Pra morar nesta cidade, pra ser cidadão em São Paulo, que é a terceira maior cidade do mundo, tem que trabalhar, tem que ter um custo e tem que ter condição de pagar. É o preço que se paga pra morar numa cidade como essa. Quem não tem renda a gente pretende começar um processo de desapropriação."

Em sua fala, Maria Cecília ainda "aconselha" os pobres que a ouviam a procurar cidades menores "para poder aguentar."

A reunião com a representante do prefeito Gilberto Kassab (PSD) teve a presença de cerca de 25 moradores do Coruja e aconteceu na subprefeitura da Vila Maria e da Vila Guilherme, bairros da zona norte da cidade. No encontro também estava o chefe do gabinete da subprefeitura Josué Filemom."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 13 Mar 2012 08:02 AM PDT


"Relatório parcial divulgado neste final de semana pelo Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Humana de São Paulo (Condepe) atesta a violência da Polícia Militar de São Paulo e da Guarda Municipal de São José dos Campos durante a reintegração de posse do Pinheirinho, em São José dos Campos, tanto na área da ocupação quanto nos bairros vizinhos. São mais de 1,8 denúncias de violações de direitos humanos ocorridas durante a desocupação.

Vermelho

O documento, que deve ser publicado ainda este mês, contém 634 depoimentos de pessoas que testemunharam ou foram vítimas da violência policial na operação, no dia 22 de janeiro.

O presidente do Condepe, Ivan Seixas, em entrevista ao Portal Linha Direta, classificou o episódio de Pinheirinho como invasão. "Foi um verdadeiro show de horrores que assustou a todos", disse, denunciando que a polícia atacou e expulsou a população.

Conforme o relatório, a ocupação do Pinheirinho era "eminentemente familiar", com forte presença de crianças e adolescentes – 677 na faixa etária até 11 anos. Neste caso, diz o documento, um dos efeitos foi quebra do vínculo das crianças e adolescentes com a escola e a creche, o que gerou confusão nos primeiros dias nos alojamentos para onde foram levadas as famílias. Nos quatro abrigos temporários, o Condepe registrou a presença de 1.069 crianças e adolescentes e de 50 idosos.

O conselheiro Renato Simões, relator do caso no Condepe, disse que o objetivo do trabalho é "dar voz às vítimas e cobrar do Ministério Público, da Defensoria Pública e de outros órgãos do estado às providências". O documento será entregue à Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo, à Defensoria Pública, a órgãos do governo do estado e do município de São José dos Campos e ao Congresso Nacional."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 13 Mar 2012 07:52 AM PDT


Frei Betto, Adital

"Antes de celebrar o Dia da Mulher a 8 de março, há que comemorá-lo. Os dois verbos têm diferentes significados, embora frequentemente empregados como sinônimos. Celebrar é promover cerimônia, destacar, tornar célebre, donde celebridade. Comemorar é fazer memória, resgatar o passado, atualizar lembranças.

De que mulheres tratamos nesta efeméride? Da empregada doméstica que a família preza como parente para camuflar a sonegação de seus direitos trabalhistas, a falta de carteira assinada, de férias regulares e salário digno?

É também o dia das babás, a quem é negado o direito de estudar, aprimorar-se profissionalmente, e exigido cuidado e afeto aos bebês da família? Quem se lembra das mulheres chefes de família, largadas à deriva por seus maridos, obrigadas à dupla jornada de trabalho para tentar educar os filhos?

As mulheres são a metade da humanidade. A outra metade, filhos de mulheres. E, no entanto, bilhões prosseguem submetidas ao machismo irreverente, proibidas de dirigir carros em alguns países árabes, obrigadas a suportar a poligamia em clãs africanos, forçadas à infibulação (castração feminina) em culturas fundamentalistas, menosprezadas ao nascer na China patriarcal.

Pobre Ocidente que, do alto de sua arrogância, mira tais práticas como se aqui as mulheres tivessem alcançado a emancipação. É verdade, multiplica-se o número de mulheres chefes de Estado ou de Governo, como, atualmente, Dilma Rousseff (Brasil); Cristina Kirchner (Argentina); Laura Chinchilla (Costa Rica); Ângela Merkel (Alemanha); Tarja Halonen (Finlândia); Pratibha Patil (Índia); Dália Grybauskaité (Lituânia); Eveline Widmer-Schlumpf (Suíça); Ellen Johnson Sirleaf (Libéria); e Sheikh Hasina (Bangladesh).

Não olhemos, porém, apenas para o alto. Mirem-se nas mulheres de Atenas, sugere Chico Buarque. "Elas não têm gosto ou vontade. ¤ Nem defeito, nem qualidade; ¤ têm medo apenas. ¤ Não têm sonhos, só têm presságios. ¤ O seu homem, mares, naufrágios... ¤ Lindas sirenas, morenas."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 13 Mar 2012 07:39 AM PDT


Ivan Richard e Yara Aquino, Agência Brasil

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), disse há pouco, durante a cerimônia de entrega do Prêmio Diploma Mulher Cidadã Bertha Lutz, que o Brasil só será um país verdadeiramente democrático quando as decisões forem tomadas com a participação igualitária de homens e mulheres.

Maia ressaltou que a participação feminina na política e nas instâncias de poder tem crescido nos últimos anos, mas que ainda há "um longo percurso a ser percorrido" para que as mulheres tenham a mesma representatividade política que os homens.

"O Brasil só será um país verdadeiramente democrático quando as decisões forem tomadas pela mesma proporção de homens e mulheres. Ganha-se com o equilíbrio do olhar feminino e masculino", discursou Maia.

O presidente da Câmara disse ainda que o crescimento da participação feminina na política é uma conquista do povo brasileiro. "As mulheres estão ocupando cada vez mais espaço nas instâncias de poder e essa é uma conquista do povo brasileiro. O povo mostrou, com a eleição da presidenta Dilma [Rousseff], que confia na sabedoria das mulheres", disse.

O Prêmio Diploma Mulher Cidadã Bertha Lutz será entregue pelo Senado a cinco mulheres que contribuíram para ampliar os direitos femininos na sociedade brasileira. Criada em 2001, a iniciativa leva o nome de uma das pioneiras do feminismo e líder na luta pelo direito de voto das mulheres.

A presidenta Dilma Rosseff é uma das premiadas. Também foram agraciadas com a homenagem Maria do Carmo Ribeiro, ex-mulher do dirigente comunista Luiz Carlos Prestes; a primeira senadora do Brasil, Eunice Mafalda Michiles; a representante da Comissão Pastoral da Terra Rosali Scalabrin; e a professora Ana Alice Alcântara da Costa, do Programa de Pós-Graduação em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres da Universidade Federal da Bahia."


Posted: 13 Mar 2012 07:28 AM PDT


"Presidente da FIFA chega ao Brasil a fim de abafar a repercussão gerada pelas declarações do secretário da entidade, Jérôme Valcke


A confirmação da renúncia de Ricardo Teixeira aos cargos de presidente da CBF e do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014 aproximou da FIFA a presidente Dilma Rousseff, que considera o governo como principal responsável pelo evento que deve paralisar o País. Presidente da Federação, Joseph Blatter deve desembarcar no Brasil na próxima sexta, alguns dias depois de mandar uma carta solicitando um encontro com a presidente, a fim de apaziguar os ânimos entre o governo e o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke.

Na semana passada, o secretário declarou que o governo brasileiro precisava de um "chute no traseiro", em referência aos atrasos nas obras para a Copa do Mundo de 2014. A frase foi criticada por governo e oposição, gerando uma crise no relacionamento entre o Brasil e a entidade. A reunião desta semana deve ter como principal objetivo colocar panos quentes nesta polêmica e melhorar a relação entre as partes envolvidas na organização do evento.

Outro efeito colateral da saída de Teixeira é a definição da função de interlocutor entre o COL e as outras instâncias responsáveis, cargo que o próprio cartola exercia. Embora seu substituto no Comitê tenha sido, oficialmente, o mesmo na CBF – o ex-governador de São Paulo José Maria Marin – quem deve exercer o papel é o ex-jogador Ronaldo, que representará no Brasil algo semelhante ao que fez Michel Platini no Mundial da França, em 1998, e Beckenbauer na Copa da Alemanha de 2006."


Posted: 13 Mar 2012 07:12 AM PDT


Tatiana Farah Silvia Amorim, O Globo / Extra

"O ex-governador José Serra, um dos pré-candidatos do PSDB à prefeitura de São Paulo, recebeu nesta segunda-feira de lideranças nacionais do DEM uma lista de condições para que o partido o apoie nesta eleição. Em reunião na sede do governo paulista, o DEM pediu a vaga de vice de Serra e uma atuação do tucano de forma direta nas negociações entre o PSDB e o DEM em outras cidades, especialmente em Salvador e Recife. O DEM quer que os tucanos abram mão de candidaturas próprias nesses locais.

O encontro também teve a participação do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Do lado do DEM, estiveram o presidente nacional da sigla, senador José Agripino Maia, o senador Marco Maciel e o deputado ACM Neto. Foi a primeira reunião formal entre dirigentes do DEM e o pré-candidato. Agripino deixou o encontro com um discurso mais contundente em relação à vaga de vice do tucano.

- Eu diria que é fundamental hoje termos a vice para apoiar o PSDB aqui em São Paulo.

Serra pediu tempo aos dirigentes do DEM.

- Eles têm desejo e é natural de firmar alianças. Em Aracaju, eu até ajudei um tempo atrás a ter uma composição. Eu ajudaria em qualquer circunstância, fosse ou não candidato aqui. Eu sou a favor de uma aliança entre PSDB e DEM em Salvador, por exemplo. Eles têm um nome para a vice, que é o Rodrigo Garcia (pré-candidato do DEM na capital paulista) - disse."
Matéria Completa, ::Aqui::


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610





--
Francisco Almeida / (91)81003406

Postar um comentário