domingo, 7 de agosto de 2011

Não podemos ser nação civilizada convivendo com miséria e fome

Brasil Sem Miséria:

"“Não podemos ser uma nação civilizada convivendo com a miséria e a fome. Por isso, temos que trabalhar de forma integrada para garanti a soberania alimentar”. Assim, a secretária nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Maya Takagi, abriu, em Jaboticatubas, a 5ª Conferência de Segurança Alimentar e Sustentável de Minas Gerais.

Ela falou sobre o Plano Brasil Sem Miséria para 450 participantes, destacando o papel do governo federal na erradicação da extrema pobreza.

Takagi enfatizou que o objetivo do plano é erradicar a extrema pobreza no País até 2014, situação que abrange 16,2 milhões de brasileiros com renda de até R$ 70. Em Minas Gerais, o número de pessoas nessa situação é de 900 mil. “Para acabar com essa situação, o Plano Brasil Sem Miséria tem várias ações, como transferência de renda, assistência social, inclusão produtiva a serviços de educação e saúde”, disse, acrescentando que espera, na próxima conferência, poder avaliar os resultados positivos do plano.

O governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia, também presente ao evento, ressaltou a importância do Brasil Sem Miséria para erradicar a extrema pobreza. “O plano apresentado pelo governo federal está casado com nossos objetivos. União, estados, municípios e sociedade civil devem estar unidos para garantir melhores condições de vida para todos”.

O tema da conferência deste ano é “Alimentação adequada, saudável e solidária: direito humano básico”. De acordo com o presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional de Minas Gerais, dom Mauro Morelli, não será possível esgotar esse assunto no encontro, mas a proposta é levar as questões mais importantes para a 4ª Conferência Nacional de Segurança , que ocorrerá de 7 a 10 de novembro, em Salvador. “O que vamos buscar é direito humano de ser bem alimentado”.

A conferência de Minas Gerais conta com representantes da sociedade civil, movimentos sociais, órgãos públicos e privados. No domingo, último dia do encontro, 54 delegados serão eleitos para participar da Conferência Nacional, que terá duas 2 mil representando todo o País.

Um dos objetivos do evento nacional construir compromissos para efetivar o direito humano à alimentação adequada e saudável e promover a soberania alimentar, por meio da implantação da Política e do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan) nos planos federal, estadual e municipal, com a participação da sociedade civil.

Dimas Ximenes
Ascom/MDS
(61) 3433-1052

– Enviado usando a Barra de Ferramentas Google"
Postar um comentário