sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Via Email: BRASIL! BRASIL!



BRASIL! BRASIL!


Posted: 06 Sep 2012 06:15 PM PDT
É sob "a proteção de Deus" que os
vereadores de São Paulo trabalham



"Entre o direito ao credo e a violação do conceito de um Estado laico, caso do brasileiro, uma linha tênue que muitas vezes é rompida em prol de interesses pessoais

Eduardo Maretti, Rede Brasil Atual

Na campanha eleitoral de 2012 em São Paulo, o candidato líder nas pesquisas de intenção de voto até o momento, Celso Russomanno (PRB), é conhecido por sua estreita ligação com o todo poderoso bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus. 

Em busca de votos, José Serra e Valdemiro Santiago, fundador e líder da Igreja Mundial do Poder de Deus (IMPD), celebraram um acordo, executado pelo prefeito Gilberto Kassab, suspendendo um projeto urbano (o prolongamento de uma rua em Santo Amaro, zona sul de São Paulo) para não atrapalhar a construção de um templo. Para tanto, o prefeito enviou um projeto de lei que a Câmara Municipal aprovou em primeira votação. O segundo turno, marcado para ontem (5), foi adiado pelo Legislativo municipal após forte pressão em torno do tema. 

A interferência da religião na política, como mostram esses e outros exemplos, envolve todas as vertentes ideológicas, da direita à esquerda. Em sua campanha para vereador, o petista Arselino Tatto espalha panfletos pela cidade identificando-se como "um candidato cristão católico". Em 2010, bispos financiaram a impressão de panfletos contra a candidatura de Dilma Rousseff (PT) por conta de uma falsa polêmica em torno do aborto."
Foto: Mozart Gomes. CMSP
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 06 Sep 2012 06:06 PM PDT



Posted: 06 Sep 2012 05:58 PM PDT


Campanha contra os cavaletes que
'emporcalham' a cidade. Saudades de 64?
Matheus Pichonelli, CartaCapital



"Você já chutou seu cavalete hoje? Se já chutou, curta. Se vai chutar, compartilhe". Quem entrou ao menos uma vez na internet na última semana fatalmente esbarrou com essa mensagem, ilustrada por um bonequinho distribuindo pontapés sobre um cavalete em que se lê a mensagem de "vote em mim".

O tempo é de indignação. No Facebook, incitações ao "vote nulo" vêm acompanhadas por animações bem sacadas de uma nova forma de consciência e juventude. Num deles, uma mulher armada de escopeta aponta o revide em direção ao dublê de candidato: "Não me vê há quatro anos e agora vem pedir meu voto, é?"

Noves fora a brincadeira, o engajamento virtual possibilitado pelas redes sociais é sintomático ao escancarar o descontentamento com o atual modelo de representação. É uma espécie de ativismo da má vontade: a indignação, sempre seletiva, é compartilhada aos pares e seguida por um alívio quase imediato de dever cívico cumprido. Um dever que vê na obrigação do voto um estorvo bianual.

Para entender esse engajamento às avessas é necessário ao menos conjecturar sobre a lógica desse eleitor a se manifestar. Uma primeira pergunta seria: os candidatos e futuros políticos são ruins porque o eleitor é preguiçoso ou o eleitor é preguiçoso porque os candidatos e futuros políticos são ruins?

Antes é preciso definir: ruim por que e para quem? A resposta parece óbvia. Ruim porque as propostas e bandeiras se repetem. Os jingles são medonhos. Os sorrisos forçados afrontam. O debate infantiliza a própria campanha. Exemplo disso é que tudo o que de pior surge na música nas vésperas da votação aterrissa aos montes na campanha eleitoral. Assim os "tchu e tchás" e "tchê tcherere tchê tchês" da rádio transformam candidatos, sérios ou não, em meros postulantes de Teletubbies."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 06 Sep 2012 05:41 PM PDT



"Representantes dos pequenos e médios veículos de comunicação alegam que lei que regulamenta a contratação de publicidade pelos órgãos públicos contribui para a concentração da verba nos grandes conglomerados. Os chamados bônus de volume, que suscitaram discórdias no julgamento do "mensalão", são apontados como mecanismo que favorecem o oligopólio.

Najla Passos e Vinicius Mansur, Carta Maior

A alegada inconstitucionalidade da lei 12.232/2010, que regulamenta a contratação de publicidade pelos órgãos públicos, é apenas um dos aspectos que tem suscitado críticas à norma jurídica. Representantes dos pequenos e médios veículos de comunicação alegam que a lei prejudica também a pluralidade de vozes necessária à democracia, ao contribuir para a concentração da verba publicitária nos grandes conglomerados de mídia. O bônus de volume, que ela institucionaliza, é parte importante da polêmica.

O acórdão 2.062 do TCU já apontava, em 2006, a dificuldade de controlar negociações envolvendo bonificações, uma vez que elas são de âmbito privado. E observava também que o bônus "favorece a concentração das inserções publicitárias em poucos veículos". O diretor comercial da revista Caros Amigos, Wagner Nabuco, concorda. "O BV só reforça o oligopólio da mídia", afirma.

Segundo ele, no Brasil, a remuneração básica de uma agência de publicidade decorre da comissão fixa de 20% (conhecida como desconto-padrão) sobre o valor despendido na compra de espaços publicitário nos veículos de comunicação; de comissão sobre serviços prestados por terceiros (produtoras de vídeo, fotografia, eventos, etc); e do bônus de volume. "Somente as grandes corporações tem capacidade de abrir mão de parcela expressiva das receitas de publicidade e, em muitos casos, pagar o bônus às agências antes mesmo dos anúncios serem veiculados", acrescenta.

O diretor esclarece que existe também a possibilidade da agência receber taxas fixas (fees) pelos serviços que presta. Caso, por exemplo, das que atendem as Casas Bahia, cujo investimento em publicidade, em 2011, foi de R$ 3,37 bilhões, o maior do Brasil. Grandes anunciantes como as Casas Bahia tem deixado de pagar o desconto-padrão de 20% para remunerar os serviços por fees mensais ou anuais, em geral, muito abaixo dos valores obtidos com o desconto-padrão. Na prática, estão impedindo que as agências faturem por comissão duas vezes em cima do dinheiro do anunciante. Como consequência, cresce a importância do BV no lucro do setor publicitário."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 06 Sep 2012 04:52 PM PDT
Amanda Cieglinski, Agência Brasil



"Nos países das Américas Central e do Sul, a população acredita que a educação irá melhorar na próxima década, mas muitos cidadãos ainda dão "nota vermelha" para os sistemas locais de ensino. É o que aponta a pesquisa Olhares sobre a Educação Ibero-Americana, divulgada hoje (6) pela Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI). No levantamento, foram entrevistadas mais de 22 mil pessoas em 18 países da região, incluindo o Brasil.

Os brasileiros estão entre os mais otimistas em relação ao futuro da educação no país nos próximos dez anos. Para 62% dos entrevistados, a educação vai melhorar, 26% acreditam que ficará no mesmo patamar e 9% avaliam que irá piorar. Apenas o Paraguai tem um resultado melhor: naquele país, 64% esperam avanços na área. Já os hondurenhos são os que menos acreditam no futuro do sistema educacional de seu país: só 26% acham que a situação irá melhorar, enquanto 37% acreditam que ficará no mesmo nível e 23% preveem piora. Em todos os países, o percentual de pessoas que avaliam de forma positiva o futuro da educação é superior ao daquelas que têm uma percepção negativa.

"Esse otimismo do cidadão é um fator de enorme pressão aos sistemas educativos. Expectativas positivas contribuem fortemente para que a educação funcione", avalia o secretário-geral da OEI, Álvaro Marchesi.

Por outro lado, os brasileiros estão entre os que têm a pior avaliação sobre a qualidade do ensino público no seu país. A nota atribuída pelos entrevistados, em uma escala de 0 a 10, foi 5,2 pontos, a quarta mais baixa entre os países pesquisados, ao lado de Honduras. O país que, na avaliação dos entrevistados, tem o pior sistema de ensino é o Chile, cuja nota foi 4,6. Os mais satisfeitos são os costa-riquenhos e os nicaraguenses, que atribuíram nota 7 à educação."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 06 Sep 2012 04:44 PM PDT



"Serra rebateu: "o que é que ele (Russomanno) vai fazer com o rabo dele?"; o tema em pauta é segurança pública e a troca de amabilidades começou quando o prefeito Gilberto Kassab criticou proposta de Russomanno que prevê atuação de vigias particulares na segurança pública


Candidato do PRB a Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno não diregiu bem as críticas do prefeito Gilberto Kassab a uma de suas propostas de campanha. Russomanno rebateu as críticas do prefeito que, ontem, disse que a proposta do candidato de usar vigias particulares na segurança pública poderia criar novas milícias. "Ele não tem noção nenhuma de segurança pública, nem foi estudar um pouquinho para saber o que já foi feito antes. Por sinal, ele não fez absolutamente nada pela segurança", disse Russomanno, para concluir: "Então ele devia enfiar o rabo no meio das pernas e cuidar das coisas dele".

O ataque não ficou sem resposta, mas veio do candidato à Prefeitura José Serra (PSDB). "Ele foi muito indelicado. Até porque abre espaço para perguntarem o que é que ele vai fazer com o rabo dele", disse o tucano. "O Russomanno vive dizendo que quer discutir a cidade, mas, quando rebatem uma proposta, ele responde de maneira grosseira e vulgar", continuou Serra. "O que ele propõe é transformar vigias em PMs, o que é absurdo e inconstitucional", completou.

Propostas

Nesta quinta-feira, Russomanno defendeu o cadastro (que, segundo ele, era feito na década de 1970) e a uniformização dos vigias noturnos, que ganharão, caso ele seja eleito, um rádio para poder comunicar ocorrências à polícia. Russomanno ainda repetiu a promessa de aumentar o efetivo da Guarda Civil Metropolitana de 6.300 para 20 mil homens.


Já Serra disse que Russomanno se apropia de iniciativas que já existem para fazer propostas. "Ele propôs integrar o sistema de vigilância do Estado com o da prefeitura, o que já existe", rebateu mais uma vez. O tucano, que visitou as obras do monotrilho da Vila Prudente, na zona oeste, prometeu tirar do papel outras quatro obras do modal que já estão projetadas, mas ainda não começaram."
Foto: Edição/247


Posted: 06 Sep 2012 09:01 AM PDT
Bob Fernandes, Terra Magazine






"Falta um mês para as eleições. Os candidatos a prefeito dividem, dia sim, dia não, o tempo no rádio e TV com candidatos a vereador. Portanto, na prática, os candidatos a prefeito têm apenas mais 14 programas para tentar ganhar corações e mentes dos eleitores.

Celso Russomanno, do PRB, com 35% das intenções de votos, tem 14 pontos de vantagem sobre o segundo colocado, José Serra, do PSDB, que tem 21%. E Russomanno tem 19 pontos de vantagem em relação a Fernando Haddad, do PT, que está com 16% das intenções, segundo o Datafolha. Pelo menos outra pesquisa, esta reservada e de outra instituição, flagra o mesmo cenário.

Diante disso, Russomanno vai se consolidando para um segundo turno. Qualquer um, Serra ou Haddad, que tentasse desconstruir Russomanno agora correria um enorme risco, o de atrair antipatia. Seria manobra de alto risco para Haddad, e mais arriscado ainda para Serra, que já tem 42% de rejeição dos eleitores.

Salvo algum fato realmente desastroso que Russomanno tenha praticado na vida, e que seja explosivo ao ser noticiado, parece claro que tentativas de desconstruí-lo só se darão no segundo turno. Ou às vésperas do segundo turno, se até lá um dos candidatos tiver se consolidado no segundo lugar."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 06 Sep 2012 08:32 AM PDT




"Um dia depois da resposta humilhante de Dilma a FHC, que acusara Lula de lhe ter deixado uma herança pesada', a 'Folha' tentou mais uma vez indispor a Presidenta e seu antecessor. Matéria do jornal desta 4ª feira, com feitio de encomenda para amenizar o revés sofrido por FHC e o despenhadeiro eleitoral vivido por Serra, afirma que Lula e governadores reuniram-se durante a Rio+20, quando teria sido discutida a sua candidatura em 2014. 

A assessoria de Lula emitiu nota em que afirma que a Folha mente ao inventar um encontro que nunca houve e uma agenda que ele não cogita. Como disse premonitoriamente o professor Venício de Lima em coluna postada em Carta Maior  no dia 04-09: "O Brasil talvez seja hoje o único país do mundo onde a oposição sistemática da grande mídia se dirige não à presidente em exercício, mas a um ex-presidente da República". Nesta 4ª feira Dilma deu o troco novamente: veio a SP almoçar com Lula e gravar apoio a Haddad. Ato contínuo Serra convocou FHC para aparecer em seu programa. A julgar pelo prestígio do grão-tucano, será uma profícua miscigenação de impopularidades."


Posted: 06 Sep 2012 08:22 AM PDT



Posted: 06 Sep 2012 08:14 AM PDT


A safra de grãos pode alcançar 164,5 milhões de
toneladas em 2012, segundo os dados do IBGE
Correio do Brasil / Abr



'A safra brasileira de grãos deve chegar a 164,5 milhões de toneladas em 2012, superior em 2,8% à obtida em 2011 (160,1 milhões de toneladas) e 0,7% maior que a estimativa de julho (163,3 milhões de toneladas). A estimativa está no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de agosto, divulgado nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geográfica e Estatística (IBGE).

Os 49,5 milhões de hectares de área a ser colhida representam um aumento de 1,6% na comparação com 2011 e de 0,2% na avaliação do mês anterior. O arroz, o milho e a soja, que juntos representam 91,3% do volume da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, respondem por 85,1% da área a ser colhida: em relação ao ano anterior, o arroz teve sua área reduzida em 13,4%, enquanto o milho e a soja tiveram um acréscimo de área de 11,1% e 3,8%, respectivamente. Quanto à produção, a do milho aumentou em 29,3%, mas a de arroz e de soja sofreram quedas de 14,9% e 12%, na comparação com 2011."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 06 Sep 2012 07:43 AM PDT
Segundo o Datafolha, José Serra foi considerado o candidato mais animado por 83% dos eleitores.




"ALTO DE PINHEIROS - Preocupado com a explosão de sua taxa de rejeição, que atingiu 43% segundo o Datafolha, o candidato José Serra decidiu visitar Paulo Maluf para se aconselhar. Do alto de sua experiência no assunto, o ex-prefeito teria dito que ainda dá tempo para o tucano tentar uma vaga como vereador, com boas chances.

Assim que Serra deixou a mansão dos Maluf, no Jardim Europa, o assessor Adilson Laranjeira convocou uma coletiva de imprensa para divulgar uma nota urgente: "José Serra não tem nem nunca teve contas no exterior", disse Laranjeira, encerrando a entrevista.

Com o candidato muito abatido, seu assessor para assuntos aleatórios, Andrea Matarazzo, chamou os jornalistas para explicar o verdadeiro significado do desempenho surpreendente do tucano: "A pesquisa precisa ser analisada na sua profundidade. Todo mundo que já leu Freud sabe que a rejeição não passa de um sintoma, de um recalque da paixão. O que os números dizem é que 43% dos eleitores paulistanos estão apaixonados por Serra, mas ainda não sabem bem disso". E prosseguiu: "Nosso trabalho agora é fazer com que esse amor recôndito desabroche nas urnas". "O resto", arrematou, "não passa de trololó".

Fiel à estratégia da campanha tucana, Serra reapareceu à tarde para dizer que, como os demais 43% do eleitorado, também "não votaria em mim de jeito nenhum".


Posted: 06 Sep 2012 07:11 AM PDT



Amigos do Presidente Lula

"O candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, José Serra, vai usar depoimento do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na propaganda eleitoral no rádio e na TV, aumentar o número de cabos eleitorais na rua e reforçar a estratégia de colar sua imagem à do governador Geraldo Alckmin. Por enquanto, o prefeito Gilberto Kassab (PSD) manterá aparições discretas nos programas.

As ações, definidas pela coordenação da campanha, são uma tentativa de estancar a queda nas pesquisas e fortalecer o tucano no centro expandido, onde a campanha identificou um avanço na intenção de votos do candidato do PRB, Celso Russomanno.As informações são da Folha

A declaração de apoio de FHC é parte da estratégia para minar o avanço de Russomanno e impulsionar Serra em redutos antipetistas.

Ela ocorre no momento em que a presidente Dilma Rousseff prepara a entrada na campanha de Fernando Haddad (PT), com quem Serra divide tecnicamente o segundo lugar nas pesquisas.

FHC gravou ontem à noite três modelos de declaração. Um deles deve ir ao ar na sexta-feira. No começo da semana, ele foi sondado por telefone por José Henrique Reis Lobo, ex-presidente do PSDB municipal, sobre a disponibilidade para gravar."
Matéria Completa, ::AQUI::


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610



--
Francisco Almeida / (91)81003406
Postar um comentário