sábado, 18 de agosto de 2012

Via: BRASIL! BRASIL! : Para O Globo, Equador deflagrou guerra diplomática ao 'desafiar Reino Unido' e conceder asilo a Assange



BRASIL! BRASIL!


Posted: 17 Aug 2012 06:17 PM PDT


Antônio Mello, Blog do Mello

"É inacreditável a capacidade das Organizações Globo e da mídia corporativa em geral de manipular, distorcer, torturar a informação até que ela confesse o que eles desejam.

Hoje, a primeira página de O Globo faz chamada para reportagem sobre o caso Assange (veja reprodução acima) desta forma:

"Londres ameaça prender Assange

O Equador desafiou o Reino Unido e deu asilo a Julian Assange, deflagrando uma crise diplomática. Londres reagiu e disse que não haverá salvo-conduto, chegando a ameaçar prender o criador do WikiLeaks na embaixada. (...)

O que aconteceu foi exatamente o oposto:

Reino Unido desafiou o Equador, chegando a ameaçar prender o criador do WikiLeaks na embaixada, deflagrando uma crise diplomática. O Equador reagiu e deu asilo a Julian Assange.

"É impressionante o comportamento bajulatório de nossa mídia colonizada, que ainda estende tapete vermelho para antigos senhores do mundo, ignorando até a Convenção de Viena, respeitada por todos os povos:

É preciso deixar claro que a Convenção de Viena, de 1962, proíbe claramente essa invasão dos locais diplomáticos, conforme seu artigo 22:

"1. Os locais da Missão são invioláveis. Os Agentes do Estado acreditado não poderão neles penetrar sem o consentimento do Chefe da Missão.

"2. O Estado acreditado tem a obrigação especial de adotar todas as medidas apropriadas, para proteger os locais da Missão contra qualquer intrusão ou dano, e evitar perturbações à tranquilidade da Missão ou ofensas à sua dignidade.

"3. Os locais da Missão, em mobiliário e demais bens neles situados, assim como os meios de transporte da Missão, não poderão ser objeto de busca, requisição, embargo ou medida de execução".

Nenhuma lei interna de país aderente a  convenção internacional dessa magnitude, pode sobrepor-se ao Tratado. Nos 50 anos de sua vigência, isso nunca ocorreu.  [Fonte]

Assange pediu asilo ao Equador porque o Reino Unido resolveu enviá-lo à Suécia, de onde quase certamente seria despachado aos Estados Unidos, onde pode ser condenado à morte, porque mostrou ao mundo, entre outras coisas, estas imagens de um helicóptero americano Apache assassinando civis (inclusive crianças) no Iraque, em 2007:





Posted: 17 Aug 2012 06:04 PM PDT




Posted: 17 Aug 2012 05:54 PM PDT
Altamiro Borges, Blog do Miro


"Em entrevista ao sítio UOL, o governador Geraldo Alckmin insinuou ontem que pode disputar novamente a Presidência da República em 2014. Segundo relato do jornalista Fernando Rodrigues, o tucano incluiu o seu nome na lista dos presidenciáveis do PSDB e defendeu a realização de prévias na sigla. A notícia não deve ter agradado muito o cambaleante Aécio Neves, que já foi apontado por FHC como o "candidato óbvio" da legenda. Agora, o senador mineiro tem dois paulistas no seu encalço: José Serra e o "picolé de chuchu".

A declaração surpreendeu até o jornalista da Folha/UOL. "Alckmin disputou o Palácio do Planalto em 2006, quando perdeu para Lula. Em 2010, foi eleito governador de São Paulo e esta é a primeira vez que o tucano admite em público estar interessado em concorrer a presidente outra vez... Dentro do PSDB, o senso comum é o de que Alckmin, 59 anos, será apenas candidato a mais um mandato no Palácio dos Bandeirantes. Ontem, entretanto, ele deu a entender que seu futuro eleitoral ainda está em aberto".


Clima de desconfiança no ninho tucano

A "insinuação" confirma que o clima no ninho tucano não anda nada bom. Caciques do PSDB desconfiam que José Serra, caso seja eleito prefeito de São Paulo – hipótese hoje não tão segura – abandonará novamente o cargo para disputar a eleição presidencial em 2014. A escolha do vice na sua chapa, indicado pelo fiel aliado Gilberto Kassab, agravou a suspeita. Serra já concorreu duas vezes ao Palácio do Planalto – em 2002, derrotado por Lula, e em 2010, derrotado por Dilma – e nunca abandonou o sonho presidencial.

Já o senador mineiro Aécio Neves nunca convenceu a cúpula tucana e esbarra na resistência da seção paulista do PSDB. Ele até andou mudando a sua postura, abandonando o falso figurino de "conciliador" e radicalizando seu discurso. Mas não conseguiu emplacar. É visto como um político anódino e fanfarrão. Os tucanos mais venenosos chegam a ironizar que ele não aguenta sequer um bafômetro! Diante dos inúmeros obstáculos, Aécio já estaria avaliando a possibilidade de concorrer novamente ao governo de Minas Gerais.

Ressaca e insônia

Na entrevista, Geraldo Alckmin deixou explícito que nada está definido no PSDB. Daí a sua defesa matreira da consulta interna. "Vejo com simpatia, com boa possibilidade para a eleição presidencial, você fazer também uma primária, abrir esse debate no partido, ouvir mais o partido". Na condição de um dos fiadores da campanha de Serra, ele também rejeitou assinar um documento garantindo que o tucano cumprirá o mandato na prefeitura, caso seja eleito. Ou seja: a bicadas tucanas continuam sangrentas!

A entrevista de Geraldo Alckmin deve ter causado uma baita ressaca em Aécio Neves e uma enorme insônia em José Serra!"


Posted: 17 Aug 2012 05:07 PM PDT
Apenas EUA, Canadá e Trinidad Tobago
se opuseram à reunião de ministros para
discutir o impasse diplomático


"Organização dos Estados Americanos é o terceiro fórum diplomático regional a discutir asilo concedido pelo Equador ao criador do WikiLeaks. Unasul e Alba se reúnem neste fim de semana

Tadeu Breda, Rede Brasil Atual

O conselho permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA) convocou para a próxima sexta-feira (24) uma reunião extraordinária em Washington com a presença dos chanceleres dos 35 países-membros do grupo para discutir as ameaças feitas pelo Reino Unido de que, se fosse preciso, invadiria a embaixada do Equador em Londres para deter o criador do WikiLeaks, Julian Assange, e extraditá-lo à Suécia.

Também hoje (17), o presidente do Equador, Rafael Correa, foi a público para comentar pela primeira vez o asilo concedido por seu governo ao fundador do WikiLeaks e os problemas diplomáticos que a decisão vem ocasionando. "O fator fundamental pelo qual se deu o asilo diplomático a Julian Assange é que não foi garantida sua não extradição a um terceiro país", expressou. "Jamais quisemos tentar interromper as investigações da justiça sueca sobre um suposto delito, jamais."

"Vocês devem estar conscientes de que existe uma base legal no Reino Unido – a Lei sobre Instalações Diplomáticas e Consulares de 1987 – que nos permitiria tomar ações para prender o sr. Assange nas instalações da embaixada", diz o documento enviado pelo governo britânico à diplomacia equatoriana na última terça-feira. "Sinceramente, esperamos não ter de chegar a esse ponto, mas se vocês não podem resolver o assunto, esta é uma opção válida para nós."

O tom do comunicado irritou o governo do Equador, que, por meio de sua delegação na OEA, propôs aos demais países do continente americano uma reunião de chanceleres para discutir uma possível violação da embaixada equatoriana pelas autoridades britânicas. Após dois dias de discussões, a proposta foi aceita pela maioria dos embaixadores da região por configurar-se um atentado à Convenção de Viena, assinada pela comunidade em 1961 para garantir, entre outros direitos, a imunidade das instalações diplomáticas em todo o mundo."
Foto: Juan Manuel Herrera/OAS
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 17 Aug 2012 04:34 PM PDT
O engenheiro e o doutor. Que diriam eles de como ficaram seus partidos?


Mino Carta, CartaCapital

"Do PMDB dos dias de hoje, que diria o Doutor Ulysses? Digo, aquele que enfrentou os cães raivosos da ditadura, ironizou a "eleição" de Ernesto Geisel ao criar sua anticandidatura e liderou a campanha das Diretas Já. E do PDT, que diria Leonel Brizola, um dos poucos a esboçarem uma tentativa de resistência ao golpe de 1964, cassado e exilado, no retorno vigiado pelo poder ditatorial no ocaso, e ininterruptamente perseguido pela Globo? Quem ainda recorda as duas notáveis figuras tem todas as condições para imaginar o que diriam.

A CPI do caso Cachoeira acaba de escantear a convocação do jornalista Policarpo Jr., diretor da sucursal de Veja em Brasília, que por largo tempo manteve parceria criminosa com o contraventor. As provas irrefutáveis da societas sceleris apresentadas por CartaCapital na edição da semana passada não somente foram olimpicamente ignoradas pela mídia nativa, o que, de resto prevíamos, mas também não surtiram efeito algum junto à CPI. A qual, como se sabe, teria de apurar em todos os aspectos os crimes cometidos pelo talentoso Carlinhos e seus apaniguados. Entre eles, está demonstrado, Policarpo Jr.

Se as façanhas da semanal da Editora Abril não entraram na pauta da CPI é porque aqueles que nela representam PMDB e PDT são contrários à convocação do jornalista de Veja. Há precedentes para explicar. Sem justificar, é óbvio. Quando dos primeiros sinais de que Policarpo Jr. estava envolvido no entrecho criminoso, um dos filhos de Roberto Marinho foi a Brasília para um encontro com o vice-presidente da República e líder peemedebista Michel Temer. Tomava as dores de Roberto Civita, nosso Murdoch subtropical, sob a alegação de que alvejar Veja significaria mirar na mídia nativa em geral e pôr em xeque a liberdade de imprensa. Outro encontro, no mesmo período, Temer teve com o presidente-executivo da Abril, Fábio Barbosa. Cabe lembrar que fato igual não se deu nos tempos da censura dos ditadores a alguns órgãos de imprensa, quando os Marinho se relacionam com extrema cordialidade com os ministros da Justiça (Justiça?), e Veja  estava sob censura feroz.


E eis que surgem as provas cabais da participação de Policarpo Jr., mas a vontade dos barões midiáticos prevalece, com a inestimável contribuição do PDT, escudado nos argumentos de um notório simpatizante das Organizações Globo, Miro Teixeira, idênticos, palavra por palavra, àqueles usados por um dos Marinho na conversa  com Temer. Donde, caluda, como se nada tivesse ocorrido, de sorte a cumprir a recomendação da casa-grande: nada de encrencas, deixemos as coisas como estão. Encrencas para quem? Para a minoria privilegiada, omissa. E a liberdade de imprensa? É a de Veja agir como bem entende."
Foto: Arquivo/AE e Rolando de Freitas/AE
Editorial Completo, ::AQUI::


Posted: 17 Aug 2012 09:53 AM PDT


Paulo Moreira Leite, ÉPOCA / Vamos Combinar

"É possível  enxergar efeitos políticos  por trás do debate sobre a metodologia do julgamento do mensalão.

Joaquim Barbosa resolveu apresentar seu voto de maneira fatiada em oito partes. Apresenta sua opinião sobre cada denúncia e apresenta seu voto. Em seguida, o ministro revisor, Ricardo Lewandovski, apresenta seu voto. O plenário se manifesta. Em oito capítulos.

Aprendi, nos meus cursos de filosofia, que a única forma de compreender o mundo é partir do geral para particular – e não o contrário. Também aprendi que, nas contas matemáticas, a ordem dos fatores pode não alterar o produto. Na vida real, isso pode acontecer.

Há um problema de conceito no julgamento. Essa discussão atravessa as denúncias contra todos os réus: foi um caso de compra de votos? Foi simples caixa 2? Uma mistura de ambos?

Os partidos do governo Lula atuaram de forma convencional, como sempre fizeram – no mensalão tucano, no mensalão do DEM – ou agora estamos diante de uma "organização criminosa"?

Essa é a questão. É isso o que todos querem saber. O ministério público fala em "compra de consciências", em "suborno", em "propina" para fatos que, na visão de muitas pessoas, honradas, com passado político democrático e respeitável, nada mais representam do que uma velha expressão de nossos maus costumes eleitorais. O debate reside aí. Temos uma acusação séria, com fatos demonstrados e bem explicados, ou temos uma acusação oportunista, de fundo político?"
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 17 Aug 2012 09:38 AM PDT
Reportagem com jovem preso
causou ação do ministério público


Jéssica Oliveira, Portal IMPRENSA

"Os Ministérios Públicos Estadual (MPE) e Federal (MPF) ajuizaram uma ação civil pública contra a Band-BA, informou o portal ibahia, na última quarta-feira (15/8).  

Segundo o portal, a TV Bandeirantes Bahia é acusada de apresentar no programa "Brasil Urgente Bahia" reportagens com violação à ordem jurídica e ofensa a diversos princípios constitucionais e a tratados internacionais de direitos humanos, a partir de reportagem feita em maio de 2012. Entenda aqui

Indenização e programação alterada

A ação requer que entrevistas e imagens com exposição ilegal de presos não sejam exibidas em programas veiculados pela emissora, além de uma indenização no valor de R$ 200 mil por danos morais coletivos, a ser revertida para o Fundo de Defesa de Direitos Difusos. Os ministérios pediram também que o valor seja pago pela União, acionada por ser "omissa" na fiscalização da classificação indicativa do programa.

A ação também pede que a emissora seja condenada a custear 20 programas televisivos para promoção dos direitos humanos, com duração de 30 minutos cada um, semanalmente, no horário em que atualmente é exibido o "Brasil Urgente Bahia".

Argumentos da promotoria

Para os promotores de Justiça Márcia Virgens, Edmundo Reis e José Emannuel Lemos e o procurador da República Domênico D'Andrea Neto, autores da ação, o programa exibe imagens de presos em situação "extremamente vulnerável, sem o auxílio jurídico de advogado ou defensor público", violando direitos, atingindo a dignidade da pessoa humana, a presunção de inocência e o direito de imagem. 

À IMPRENSA, a assessoria da emissora afirmou que não foi notificada e que não vai se pronunciar sobre o assunto."


Posted: 17 Aug 2012 09:22 AM PDT


Rui Martins, Direto da Redação

"Será que o governo inglês se julga ainda na época da rainha Vitória e ousará invadir a embaixada do Equador para retirar o militante Julian Assange, criador do Wikileaks, ali refugiado, para extraditá-lo para a Suécia, de onde será enviado aos Estados Unidos ?

A situação ficou tensa em Londres, depois do anúncio do Foreign Office, equivalente ao Ministério das Relações Exteriores, de que não deixará Julian Assange partir para o Equador. Ou seja, a Inglaterra se recusa a conceder um salvo-conduto para o militante do Wikileaks partir em segurança para o Equador.

Ora, isso equivale a desrespeitar a Convenção de Viena e o direito internacional e, uma primeira consequência, poderá ser a invasão das embaixadas da Inglaterra em Quito ou outros países, ou pior ainda, a queda dessa garantia firmada pela Convenção de Viena e a possibilidade de serem invadidas as embaixadas de quaisquer países em todo mundo.

Será que a prepotente e colonialista Inglaterra ousará desrespeitar esse princípio internacional, imaginando que o Equador não merece mesmo respeito devido aos outros países ?

Sabendo-se que o juiz espanhol Baltasar Garzon, agora advogado, defende Julian, isso nos lembra ter sido ele quem pediu a prisão do ex-ditador do Chile em Londres. Pinochet ficou meses em prisão domiciliar nos arredores de Londres, mas o ministro inglês do Interior, Jack Straw, numa vergonhosa decisão optou pela libertação do ex-ditador, sob a alegação de estar idoso e doente.

Evidentemente, caso a Inglaterra decida invadir a embaixada equatoriana e extrair de dentro o militante Julian Assange, isso equivalerá a um ato de guerra. Porém, todos sabem que o Equador não tem condições para enfrentar a Inglaterra, o máximo ao seu alcance será um protesto diplomático."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 17 Aug 2012 09:10 AM PDT


"Ibope soou o alarme; ultrapassagem de Celso Russomano no segundo turno, perda de apoio nas bases do PSDB e consolidação de rejeição fazem José Serra viver o pior momento nesta eleição; até mesmo com problemas de caixa, programa de televisão já é visto como tábua de salvação

Marco Damiani, Brasil 247

Há algo de estranho no reino da candidatura José Serra. De muito estranho. Os problemas vieram à tona junto com os números do Ibope, mas se acumulam mais aceleradamente por baixo da eterna aparência de soberba do candidato desde que ele próprio, usando de força política, dobrou o PSDB para fazer o chamado 'chapão' com o PSD do prefeito Gilberto Kassab, quarenta dias atrás. Algo de estranho detectado bem antes, quando num périplo  cumprido a contragosto pelos diretórios zonais do seu partido, nos bairros, Serra cansou de ouvir  pessoalmente reclamações de militantes humildes, entre revolta e lamentação,  lembrando a ele terem sido esquecidos nas nomeações para cargos tanto em sua gestão na Prefeitura como no governo, entre 2005 e 2010.

A falta de apoio nas bases tucanas corroeu as tensas relações com a cúpula, aumentando a inapetência de Geraldo Alckmin para atuar contra as dissidências. Além de deixar correr, ou "não fazer nada", na expressão de um tucano de alta plumagem, o governador passa agora a ocupar seu próprio espaço na sucessão de 2014. Ao avisar o senador mineiro Aécio Neves que também é pré-candidato entre os tucanos e pedir prévias para a escolha do nome, Alckmin igualmente sinaliza Serra com uma placa de contramão à estratégia trampolim serrista que combinaria o salto à Prefeitura, agora, com uma pirueta para à Presidência daqui a dois anos. A vez, depois de duas rodadas presidenciais com Serra, volta a ser de Alckmin, diz o governador, que teve a candidatura presidencial em 2006. Ele sabe o caminho e quer percorrê-lo de novo. No plano municipal, despreocupado, vê diretórios zonais do partido, como o do Jabaquara, esta semana, migrarem politicamente para o lado de seu ex-secretário e amigo pessoal Gabriel Chalita, do PMDB. Não se importa, ao contrário, acha bom."
Foto: Edição/247
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 17 Aug 2012 08:54 AM PDT
A média obtida por São Paulo nos anos iniciais fica abaixo da média estabelecida pelo MEC


"Dados divulgados esta semana indicam deficiências da política de educação na cidade mais rica do país. Prefeitura se diz satisfeita com nota abaixo da meta instituída pelo governo federal

Cida de Oliveira, Rede Brasil Atual

As escolas municipais de São Paulo estão abaixo da média nacional do Índice de Desenvolvimento da Educação (Ideb) 2011, divulgada na última terça-feira (14) pelo Ministério da Educação (MEC). As escolas brasileiras obtiveram nota 5 no índice que articula o desempenho dos estudantes em provas de matemática e língua portuguesa com taxas de aprovação.

Conforme dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação, a média dos anos iniciais (1º ao 4º ano) dos estabelecimentos mantidos pela gestão Gilberto Kassab (PSD) é 4,8 – mesma nota obtida por municípios bem mais pobres, como Jequitinhonha (MG), Bocaina, Floriano e São João do Piauí (PI), Registro, Francisco Morato e Barra do Turvo (SP), com arrecadação bem menor que a da cidade mais rica do país.

Nos anos finais (5º ao 9º), o resultado é pior: 4,3, inferior às de Água Branca (PI), com 4,4; Cacoal (RO), com 4,7; Aliança do Tocantins (TO), 4,9; e Formoso do Araguaia (TO), com 4,5. Ainda segundo o Ideb, a rede municipal está abaixo da média em 5% nos anos finais e 2% nos anos iniciais.

Para Madalena Guasco Peixoto, professora titular da Faculdade de Educação da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo, os resultados – que não surpreendem – refletem muito mais que problemas curriculares. "Faltam hoje investimentos na carreira docente, como programas de educação continuada, convênios com universidades e salários mais atrativos, como já aconteceu em outras gestões municipais", diz."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 17 Aug 2012 08:08 AM PDT
Eles usam o Facebook e outros sites para consultar onde conseguir a próxima refeição


"Pesquisa mostra que moradores de rua veem as redes sociais como um lugar onde podem interagir 

Terra / Jornal do Brasil

Uma pesquisa da Universidade de Dayton, nos Estados Unidos, revela que moradores de rua que usam redes sociais encontram nelas condições mais igualitárias e um contexto de maior aceitação. O estudo, conduzido pelo sociólogo e criminologista Art Jipson, será apresentando durante o 107º Encontro Anual da American Sociological Association, de 17 e 20 de agosto na cidade de Denver, EUA.

Jipson entrevistou diversos moradores de rua e descobriu que eles usam o Facebook e outros sites de relacionamento não só para criar páginas de ajuda, mas também para consultar questões práticas, como onde conseguir a próxima refeição, encontrar lugares seguros e quentes para dormir, além de pesquisar serviços sociais que os interessem.

"Eu tenho tanto direito a isso (usar o Facebook) quanto qualquer outra pessoa. Só porque eu sou sem-teto não significa que eu não me importe com essas coisas, sabe? Minha família está no Facebook. Meus amigos estão no Facebook. As pessoas que se preocupam comigo estão no Facebook", disse um dos entrevistados."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 17 Aug 2012 07:20 AM PDT




Posted: 17 Aug 2012 07:11 AM PDT


UOL

'A economia brasileira cresceu mais do que o esperado em junho, indicando que a atividade já estava dando sinais de recuperação. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma espécie de prévia do Produto Interno Bruto (PIB), subiu 0,75% em junho frente a maio. É a maior elevação mensal desde março de 2011 (quando a expansão ficou em 1,47%).

Com o resultado de junho, o segundo trimestre encerrou com alta de 0,38% na comparação com o 1º trimestre. Neste caso, houve desaceleração sobre janeiro e março, que havia apresentado alta de 0,63% sobre o quarto trimestre de 2011.

O IBC-Br incorpora estimativas para a produção nos três setores básicos da economia --serviços, indústria e agropecuária.

Após ter recuado 0,01% em maio ante abril, segundo dados revisados pelo BC, o IBC-Br voltou a mostrar força. O governo tem tomado diversas ações para estimular a economia, afetada pela crise internacional, e assumiu o discurso que ela vai acelerar o passo a partir do segundo semestre."
Matéria Completa, ::AQUI::


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610


--
Francisco Almeida / (91)81003406
Postar um comentário