quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Via Email: BRASIL! BRASIL!: Médicos brasileiros envergonham o País


BRASIL! BRASIL!


Eles são responsáveis pelo corredor polonês?

Posted: 27 Aug 2013 05:59 PM PDT


"Não foi por explosão espontânea que os médicos cearenses chamaram seus colegas cubanos de "escravos, escravos!"; o ódio, a violência e o preconceito demonstrados na noite da segunda-feira 26 foram atitudes disseminadas, a partir do conforto das redações da mídia tradicional, por três colunistas; Reinaldo Azedo, em Veja, foi o primeiro a chamar os visitantes de "escravos"; Eliane Catanhêde, na Folha, acrescentou que viajariam ao Brasil em "aviões negreiros"; Augusto Nunes, do Roda Viva, chamou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, de "princesa Isabel às avessas"; assim como não existiria o nazismo sem o Mein Kampf, de Hitler, o corredor polonês de Fortaleza não ocorreria sem os jornalistas que gravaram no imaginário dos médicos o rebaixamento completo dos cubanos; nessa toada, a próxima pregação será "lincha, lincha!"?

Brasil 247

O que move o mundo são as ideias. Para frente ou para trás. A instalação do nazismo, na Alemanha dos anos 1930, foi precedida pela publicação do ideário de Adolf Hitler, o livro Mein Kempf. Na China comunista, Mao Tsé-Tung tinha o seu Livro Vermelho, de leitura obrigatória nas escolas. De ambos nasceram ideologias totalitárias, cegas aos direitos humanos, avessas à diversidade, pregadoras da violência.

Hoje, no Brasil, o conjunto dos ideais disseminados por alguns dos mais conhecidos colunistas da mídia tradicional aponta para um caminho análogo, sem volta, de interdição do debate, aviltamento do adversário, exclusão do diferente. Corteja o totalitarismo já superado pela sociedade brasileira.

"Escravos, escravos!". A palavra de ordem dos médicos cearenses contra seus colegas cubanos, que se preparavam para receber as primeiras noções sobre que Brasil é esse que eles vieram apoiar, não foi gritada por acaso. Essa figura foi gravada no imaginário coletivo dos médicos cearenses – e pode estar se multiplicando em outras regiões brasileiras – por três, em particular, colunistas adulados na mídia tradicional."
Artigo Completo, ::AQUI::

Charge do Bessinha

Posted: 27 Aug 2013 05:52 PM PDT


Vídeos: médicos cubanos são hostilizados

Posted: 27 Aug 2013 05:51 PM PDT




Médicos, sim, desumanidade, não

Posted: 27 Aug 2013 05:46 PM PDT


O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e
a vice-ministra da Saúde de Cuba, Marcia Covas,
durante entrevista coletiva na segunda-feira 26
/ Elza Fiuza/ABr

"Em nenhum lugar, e apesar das carências, é justo e legítimo deixar os excluídos ao Deus dará

Wálter Maierovitch, CartaCapital

 Fico a imaginar o que pensariam os médicos que integram a organização humanitária Médicos sem Fronteira sobre a postura dos seus colegas brasileiros e dos órgãos de classe acerca da resistência ao programa denominado Mais Médicos. Ou seja, acerca da presença, em território nacional, de médicos estrangeiros e a fim de atender, sem concorrência com médicos brasileiros e com regras estabelecidas em compromissos escritos, em localidades carentes de assistência sanitária. Mais ainda, o convite a médicos estrangeiros restou antecedido de consulta a profissionais brasileiros, convocados e que declinaram apesar da remuneração digna de 10 mil reais mensais.

Como conheço o trabalho do Emergency (organização não governamental sem finalidade lucrativa), também imagino um pronunciamento, sobre esse tema de Mais Médicos, de Gino Strada, cirurgião de guerra, humanista, médico italiano e pacifista já indicado para o prêmio Nobel.
Mais informações »

Em crise de manutenção, Metrô de São Paulo põe trens com falhas para circular

Posted: 27 Aug 2013 05:29 PM PDT


Reformados, trens da frota K foram tirados e
colocados em operação seis vezes em cinco
dias / Rubens Chaves/Arquivo/Folhapress

"Registros mostram que empresa releva problemas de segurança em composições da mesma frota cujo trem descarrilou no início de agosto, colocando em risco vida de trabalhadores e usuários

Tadeu Breda, RBA

A Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) ignorou falhas apontadas por funcionários e colocou em circulação, na noite da última sexta-feira (23), pelo menos um trem com defeito para atender os usuários da Linha 3-Vermelha, que liga a capital paulista de leste a oeste. A "solução" teria sido adotada para contornar um desfalque de sete composições no trecho, todas afastadas por problemas técnicos. Registros no diário de condutores e telas de monitoramento do sistema revelam ainda que, na semana passada, dois trens da chamada frota K foram retirados e colocados em circulação pelo menos seis vezes em cinco dias – também devido a falhas.

A frota K possui 25 composições, que estão sendo paulatinamente reformadas desde 2010 pelo consórcio MTTrens, formado pelas empresas MPE, Temoinsa e TTrens – esta última envolvida nas denúncias de cartel em conluio com governos tucanos em São Paulo. Pertence a essa frota a composição que descarrilou na manhã do dia 5 de agosto, nas proximidades da estação Palmeiras-Barra Funda, na Linha 3 Vermelha. Havia passageiros, mas, felizmente, ninguém se feriu. Segundo o Sindicato dos Metroviários, o acidente foi provocado pela ruptura de uma peça chamada "truque" ou "truck", termo técnico que designa o sistema composto por rodas, tração, frenagem e rolamentos do trem.
Mais informações »

Sim. Existe 'controle' da mídia no Brasil

Posted: 27 Aug 2013 05:21 PM PDT


Venício A. de Lima, Observatório da Imprensa
 
"Em debate sobre "A mídia e a corrupção", realizado durante o seminário "Corrupção: diálogos interdisciplinares", promovido pelo tradicional Centro Acadêmico Afonso Pena (CAAP), da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais, na quarta-feira (21/8), respondi a uma pergunta de futura advogada preocupada em saber se as normas e princípios da Constituição de 1988 permitiam o "controle" sobre a mídia no Brasil.

Respondi de imediato: não; claro que não. As normas e princípios da Constituição de 1988 impedem claramente que haja "controle" do Estado sobre a mídia. Não há possibilidade de volta à censura estatal nem de qualquer ameaça do Estado à liberdade de expressão ou à liberdade da imprensa.

Embutido na pergunta, tudo indica, estava o conhecido mantra da grande mídia brasileira e de seus eloquentes porta-vozes que identificam qualquer manifestação sobre regulação, independentemente de sua origem, como tentativa autoritária de "controlar" a mídia por intermédio do Estado ou, em outras palavras, volta à censura estatal, atentado à liberdade de expressão e à liberdade da imprensa (tratadas, aliás, como se fossem a mesma coisa).

Resposta errada

O debate continuou, outras perguntas foram feitas e me dei conta de que havia cometido um erro grave. Minha resposta assumia como verdadeiro o falso pressuposto contido no mantra da grande mídia de que somente o Estado pode "controlar" a mídia.

Solicitei, então, ao mediador do debate que, por favor, me permitisse corrigir uma resposta incorreta."
Artigo Completo, ::AQUI::

Estudantes criam sistema de choques para evitar o Facebook

Posted: 27 Aug 2013 03:44 PM PDT


Estudantes criam sistema de choques para evitar o uso excessivo do Facebook (Divulgação)

"Dois estudantes do MIT criam sistema de choques para evitar o Facebook. Ideia surgiu porque ambos desperdiçavam mais de 50 horas por semana na rede social


O problema é conhecido de muitos dos que trabalham em frente a um computador: as visitas mais do que frequentes ao Facebook, ao Twitter ou ao e-mail podem ter efeitos devastadores na produtividade. Preocupados com o número de vezes que iam ao Facebook, dois investigadores do MIT criaram um sistema que dá pequenos choques quando o utilizador visita muitas vezes aquela rede social.
Mais informações »

Médicos brasileiros envergonham o País

Posted: 27 Aug 2013 09:48 AM PDT


"A foto acima diz tudo; um médico cubano negro, que chegou ao Brasil para trabalhar em um dos 701 municípios que não atraíram o interesse de nenhum profissional brasileiro, foi hostilizado e vaiado por jovens médicas brasileiras; com quem a população fica: com quem se sacrifica e vai aos rincões para salvar vidas ou com uma classe que lhe nega apoio?


Em nenhum país do mundo, os médicos cubanos estão sendo tratados como no Brasil. Aqui, são chamados de "escravos" por colunistas da imprensa brasileira (leia mais aqui) e hostilizados por médicos tupiniquins, como se estivessem roubando seus empregos e suas oportunidades. Foi o que aconteceu ontem em Fortaleza, quando o médico cubano negro foi cercado e vaiado por jovens profissionais brasileiras.

Detalhe: os cubanos, assim como os demais profissionais estrangeiros, irão atuar nos 701 municípios que não atraíram o interesse de nenhum médico brasileiro, a despeito da bolsa de R$ 10 mil oferecida pelo governo brasileiro. Ou seja: não estão tirando oportunidades de ninguém. Mas, ainda assim, são hostilizadas por uma classe que, com suas atitudes, destrói a própria imagem. Preocupado com a tensão e com as ameaças dos médicos, o ministro Alexandre Padilha avisou ontem que o "Brasil não vai tolerar a xenofobia" (leia mais aqui).
Mais informações »
You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610



--
Francisco Almeida 




Postar um comentário