terça-feira, 27 de novembro de 2012

Via Email: BRASIL! BRASIL!




BRASIL! BRASIL!


Posted: 27 Nov 2012 05:14 AM PST
                           Bob Fernandes, Terra Magzine


Posted: 27 Nov 2012 05:01 AM PST
Altamiro Borges, Blog do Miro


"O Datafolha pesquisou e a Folha preferiu ofuscar. Na edição de domingo, o jornal tucano evitou dar maior destaque à pesquisa realizada pelo instituto do mesmo grupo empresarial que aponta uma vertiginosa queda de popularidade de Geraldo Alckmin. A taxa de aprovação do governador tucano despencou em apenas dois meses. Em setembro, 40% dos entrevistados consideravam a sua gestão ótima e boa. Agora, apenas 29% avaliam como positivo o governo de São Paulo, enquanto 63% o consideram ruim ou péssimo.

A acelerada queda de popularidade decorre, principalmente, do aumento da violência no estado e da perda de controle do governador no quesito segurança pública. Segundo o Datafolha, 71% dos entrevistados não acreditam nas versões apresentadas pelo governo sobre o caos no setor. Desconfiam das informações sobre mortes nas últimas semanas e avaliam que o quadro é bem mais aterrorizador na guerra travada entre as forças policiais e o crime organizado, liderado pelo Primeiro Comando da Capital (PCC).

Apesar da blindagem da mídia, que no período eleitoral evitou falar sobre os avanços da violência em São Paulo para não prejudicar os tucanos, a população mostra-se descontente com os rumos da administração estadual, hegemonizada há quase 20 anos pelo PSDB. A pesquisa confirma que a situação dos tucanos não será nada fácil para as eleições de 2014. A mídia demotucana terá que inventar muitos factóides para evitar uma nova derrota desta força conservadora e inapta."


Posted: 27 Nov 2012 04:36 AM PST



Posted: 27 Nov 2012 04:27 AM PST
"Veículos de comunicação começam a sugerir as próximas etapas da oposição ao PT. Em editorial, a Folha de S. Paulo, de Otávio Frias, diz que Dilma terá vento a favor se conseguir se desvencilhar de Lula; Merval Pereira, colunista do Globo, diz que isso talvez não seja mais possível; aposta é na ruptura



Um novo escândalo, o da Operação Porto Seguro, "emborrasca o velho PT de Lula e Dirceu", diz a Folha, em editorial, sugerindo ainda que a presidente mostre firmeza e se desvencilhe rapidamente do caso, ganhando vento a favor. A aposta, portanto, é na divisão entre velho e novo PT. Para o colunista Merval Pereira, do Globo, essa separação talvez não seja mais possível. Estaria ocorrendo tarde demais.
Mais informações »


Posted: 26 Nov 2012 04:37 PM PST
"A resposta rápida do Planalto ao "caso Rose" já amenizou os efeitos da crise. Mas a operação deixa uma série de questões em aberto. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, sabia? Se sabia, avisou a presidente Dilma? O ex-presidente Lula foi mesmo grampeado? O que a Polícia Federal, que mantém uma queda de braço sobre salários com o governo federal, levantou sobre a presidência da República? Para quem acha que são questões irrelevantes, um argumento: uma ação do FBI na Casa Branca jamais aconteceria sem que Barack Obama soubesse antes



"A Polícia Federal, que andava sumida no início do governo Dilma, está de volta. Quando muitos achavam que as operações espetaculares, que foram a marca do governo Lula, haviam ficado para trás, os homens de preto retomaram a ação – e em grande estilo. Na sexta, a batida da PF aconteceu na presidência da República, em São Paulo.

Nesta segunda, um dos alvos foi Marco Polo del Nero, o homem que seria o provável presidente da Confederação Brasileira de Futebol na Copa de 2014.
Mais informações »


Posted: 26 Nov 2012 04:22 PM PST
Saul Leblon, CartaMaior / Blog das Frases


"Dilma e Lula tem juntos 45% das intenções espontâneas de voto para 2014.

O conservadorismo personificado em Serra e Aécio, e a alternativa verde estampada em Marina Silva, adicionam ao balaio oposto 9% de menções.

A maiúscula atrofia do campo conservador explode na pesquisa do Ibope divulgada neste domingo. Não por acaso apresentada sob a pátina de uma irrelevante ultrapassagem de quem deixou o governo há dois anos por quem ainda o exerce.

O fato esférico é que a 24 meses das urnas presidenciais, 55% dos eleitores tem um nome de preferência estabelecido. Em 2010, oito meses antes do pleito, 52% dos eleitores não tinham candidatos (23% mencionavam Lula, inelegível).

Hoje, quatro em cada cinco referendam o bloco de forças progressistas que comanda a sociedade e o desenvolvimento do país desde 2003.

Mais informações »


Posted: 26 Nov 2012 04:08 PM PST


Rosemary
"Acima de tudo, ela é mais uma escada pela qual se tenta pegar novamente Lula


Paulo Nogueira, Diário do Centro do Mundo

Lula é, certamente, o homem mais odiado pelo chamado 1%, para usar a já histórica expressão do Movimento Ocupe Wall St. (Para os 99%, o posto é de Serra, com o surgimento de uma concorrência potencial em Joaquim Barbosa, o Batman.)

É impressionante o júbilo com que é celebrada pelo 1% qualquer notícia que possa servir de munição contra Lula, o lulismo, o lulo-petismo e outras designações criadas pelos obsequiosos porta-vozes de um grupo pequeno mas barulhento que torce e trabalha para que o Brasil jamais se torne uma Dinamarca, ou uma Noruega, ou uma Finlândia.

São sociedades harmoniosas, não divididas entre 1% e 99%, como o Brasil. Apenas para registro, o Brasil campeão mundial da desigualdade – com todos os problemas decorrentes disso, a começar pela criminalidade – foi obra exatamente deste grupo.

O Estado brasileiro foi durante décadas uma babá do 1%. Calotes em bancos públicos eram sistematicamente aliviados em operações entre amigos – mas com o dinheiro do contribuinte. Cresci, como jornalista, nos anos 1980, com o Jornal do Brasil transformando dívidas com o Banco do Brasil em anúncios.

Este é apenas um caso."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 26 Nov 2012 03:08 PM PST
Ricardo Kotscho, Balaio do Kotscho

"Faz algum tempo que a palavra crise não aparece no noticiário político, ao contrário do que aconteceu durante todo o primeiro ano de governo de Dilma Rousseff, na época da chamada "faxina", quando a presidente teve que demitir oito ministros acusados de irregularidades diversas.

Desta vez, a presidente Dilma Rousseff agiu de forma fulminante para espantar uma nova crise envolvendo denúncias sobre uma rede de corrupção no governo federal.

Supreendida pela Operação Porto Seguro, da Polícia Federal, deflagrada na sexta-feira, Dilma não esperou o fim de semana passar.

Convocou ministros para uma reunião de emergência no sábado, no Palácio da Alvorada, e determinou a demissão ou afastamento imediato dos funcionários denunciados, entre eles a chefe do escritório da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha, e o advogado-geral-adjunto da União, José Weber Holanda Alves.
Mais informações »



Posted: 26 Nov 2012 03:02 PM PST



"Autoridades do governo do Rio não fazem discursos em palanque; intenção foi apenas a de marcar posição a favor do Estado sem constranger a presidente; prefeitos de todos os municípios produtores de petróleo, diferentes categorias profissionais, artistas e intelectuais participaram do ato; autoridades acreditam que Dilma irá vetar os artigos 3 e 4 da lei aprovada pelo Congresso; "Isso já será suficiente para zerar as perdas do nosso Estado", disse o vice-governador Luiz Fernando Pezão ao 247
Marco Damiani_247 / Brasil 247

Com a presença de delegações de todos os municípios fluminenses produtores de petróleo, o centro do Rio de Janeiro foi tomado por cerca de 50 mil pessoas na manifestações chamada de "Veta, Dilma". Coordenada pelo governador Sérgio Cabral e pelo vice Luiz Fernando Pezão, a manifestação atraiu políticos de todos os partidos.
Mais informações »


Posted: 26 Nov 2012 06:58 AM PST
Folha de S. Paulo


(...)
OPERAÇÃO DURKHEIM

"A investigação da operação Durkheim começou em setembro de 2009 com a apuração sobre um caso de suicídio de um policial federal em Campinas, que apontou a possível utilização de informações sigilosas, obtidas em operações policiais, para extorquir políticos, suspeitos de envolvimento em fraudes em licitações.

Segundo o inquérito, as duas organizações atuam em paralelo e de modo independente, mas tinham elo sobre uma pessoa investigada, que atuava com os dois grupos suspeitos.

A PF informou que foi descoberta uma grande rede de espionagem ilegal, composta por vendedores de informações sigilosas que se apresentam ao mercado como detetives particulares, e por seus fornecedores, pessoas com acesso aos bancos de dados sigilosos, como funcionários de empresas de telefonia, bancos e servidores públicos.
Mais informações »


Posted: 26 Nov 2012 06:40 AM PST



Posted: 26 Nov 2012 06:38 AM PST
"O controle da Globo sobre o futebol brasileiro não se exerceria sem Varões de Miami como Ricardo did you accept the bribe ? Teixeira, Andres Sanches e Del Nero.


Paulo Henrique Amorim, Conversa Afiada

"O futebol brasileiro, o Brasileirinho e a Selecinha, como se sabe, são subsidiárias da Globo, altamente rentáveis.

Clique aqui par ver que "se você aguenta assistir ao Galvão, não entende por que o Mano caiu".

Assim, como a F-1, evento em que atletas brasileiros são induzidos a perder e é patrocinado pela Petrobrás …

O Brasil é o país do mundo que mais dá bola à F-1 – por causa da Globo, que, agora, faz campanha maciça do evento, porque desaba no Globope.

O Clube dos 13 e a Globo são como o Gurgel e o Demóstenes – e, agora, o Gurgel e o Sarney: a corda e a caçamba.

O controle da Globo sobre o futebol brasileiro não se exerceria sem Varões de Miami como Ricardo did you accept the bribe ? Teixeira, Andres Sanches e Del Nero.

Presidente do Corinthians, Andres chegou a dizer que a Globo é composta de gangsters, mas, mesmo assim, adora a Globo.

Vamos ver se a Polícia Federal chega à Globo, na hora em que meter a mão no câncer.

Os "telejornais" da manhã da Globo desta segunda-feira pouparam Del Nero do constrangimento.

Afinal, business is business."



Posted: 26 Nov 2012 06:29 AM PST
Luciano Martins Costa, Observatório daImprensa

"A observação imediata da imprensa, como é feita neste espaço diariamente, é um exercício delicado, pelo constante risco de avaliações incorretas, o que exige a leitura sistemática, a manutenção de fontes confiáveis e arquivos facilmente acessíveis.

Outra coisa é a observação que é feita na pesquisa acadêmica, utilizando metodologias consagradas nas ciências sociais e beneficiada pelo tempo disponível para a maturação das conclusões.

Em ambos os casos, o pesquisador tem a possibilidade de identificar ocorrências isoladas que são capazes de representar tendências mais amplas.

É o caso, por exemplo, do artigo produzido pela jornalista gaúcha Deysi Cioccari, e apresentado na sexta-feira (23/11), durante o evento Interprogramas na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo, no qual ela analisa exclusivamente os registros fotográficos feitos pela Folha de S. Paulo e a revista Veja durante o processo de cassação do ex-senador Demóstenes Torres.
Mais informações »



Posted: 26 Nov 2012 06:11 AM PST
Redação, PortalIMPRENSA


"O deputado americano, Ted Poe, pediu que o governo de seu país determine a suspensão de contas no Twitter de militantes do Hamas, organização política palestina, informou o portal da Exame, no último domingo (25/11). Para ele, organizações classificadas como terroristas devem ser excluídas de serviços de internet criados por americanos, como Twitter, Google e Facebook.

Para Poe, eleito pelo Partido Republicano no Texas, permitir que militantes do Hamas usem o Twitter é liberar terroristas para usar a tecnologia criada por americanos para disseminar sua propaganda de ódio e violência. 

Se o governo acatar o pedido do deputado, precisaria ainda de autorização judicial para forçar o Twitter a deletar as contas do Hamas. No entanto, apenas a pressão do governo americano pode ser suficiente para que o Twitter limite o uso de microblog, excluindo representantes do Hamas."


Posted: 26 Nov 2012 05:20 AM PST


Mauro Mateus dos Santos, o Sabotage
'Diretor de documentário fala da criatividade do rapper, que morreu no auge da carreira, e hoje é considerado uma lenda no movimento Hip Hop; versatilidade fez Sabotage ser comparado a grandes nomes da música nacional


José Francisco Neto, Redação Brasil de Fato

Na manhã do dia 24 de janeiro de 2003, uma das maiores vozes do rap nacional era calada. Mauro Mateus dos Santos, o Sabotage, foi assassinado com quatro tiros perto de casa no bairro da Saúde, Zona Sul de São Paulo. Neste dia, o rapper iria cantar no Rio Grande do Sul.

O "maestro do Canão" – referência à favela em que morava – entrou para a história como músico e ator. Considerado uma lenda no movimento Hip Hop, Sabotage começou a carreira em 1988, quando se inscreveu em concursos de rap. Num deles, no salão Zimbabwe, conheceu Mano Brown e Ice Blue, ambos do Racionais MC's, que se impressionaram com a performance de palco dele. Mas foi com o grupo RZO (Rapaziada Zona Oeste) que Sabotage viu seu trabalho repercutir no rap nacional.

Na sequência, gravou o primeiro e único disco solo, intitulado "Rap é Compromisso", gravado pelo selo Cosa Nostra, o mesmo que lançou o disco "Sobrevivendo no Inferno", dos Racionais MC's.
Além de rapper, Sabotage também atuou no cinema. Participou do filme "O Invasor", de Beto Brant, e também de "Estação Carandiru", de Hector Babenco. 

O rapper agora voltará à cena, no documentário "Sabotage, o Maestro do Canão", que será lançado no 1º semestre do ano que vem. Além do circuito comercial, será exibido em mostras itinerantes nas periferias. Dirigido por Ivan Vale Ferreira, da 13 Produções, o documentário traz depoimentos de diversos músicos e pessoas ligadas a ele, demonstrando a importância desse artista que misturou estilos e se tornou uma lenda após sua morte.

Em entrevista ao Brasil de Fato, o diretor do documentário fala da trajetória do rapper e da falta que ele faz hoje no cenário musical.

Brasil de Fato - Como surgiu a ideia de fazer o documentário sobre a vida do Sabotage?

Esse projeto começou em 2002. Ele é fruto de outro projeto que eu já realizei, um documentário que se chama "Favela no ar". Nesse documentário chegaram dois gringos aqui no Brasil, e eles fazem um trabalho bem legal de viajar o mundo pegando cultura underground dos lugares. Na pauta deles estava o Brasil. Eles vieram pra cá e, em São Paulo, precisavam de alguém para ajudá-los na produção. Na época indicaram meu sócio, o Tiago Bambine, que me chamou para fazer o projeto com ele. A gente foi produzir entrevistas com alguns artistas do cenário mais underground do rap naquela época. A gente entrevistou o RZO, o 509-E, o Kl Jay, o Xis, entrevistamos uma galera e o Sabotage também pra fazer esse trampo. O início foi em junho, época da Copa do Mundo. Aí passaram-se seis meses e o Sabotage foi assassinado, isso em janeiro de 2003. Esse material todo que a gente tinha filmado estava lá com os gringos, eles iam ver o que iam fazer ainda. Mas ia demorar o processo. Aí eu liguei pros caras e disse "bicho, o Sabota morreu, eu queria que vocês mandassem o material da entrevista que a gente fez com ele, porque eu tô querendo fazer um trampo aqui em homenagem a ele".
Foto: 13 Produções
Entrevista Completa, ::AQUI::


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610



--
Francisco Almeida / (91)81003406
Postar um comentário