terça-feira, 16 de outubro de 2012

Via Email: BRASIL! BRASIL!



BRASIL! BRASIL!


Posted: 15 Oct 2012 05:46 PM PDT
"Comitê Anfitrião da Assembleia Geral da SIP critica ausência de Dilma e lembra que foi a segunda vez que o presidente do Brasil não prestigiou o encontro. Em cerimônia, organização atacou novamente os governos da Venezuela, Argentina, Bolívia e Equador. E o governador Alckmin afirmou que a liberdade de expressão tem sido "executada por lemas grandiosos como a democratização da comunicação".


Bia Barbosa, Carta Maior

A presidenta Dilma Rousseff foi convidada e era aguardada na cerimônia oficial de abertura da 68a Assembleia Geral da SIP (Sociedade Interamericana de Imprensa), nesta segunda-feira (15), em São Paulo. Apesar do evento estar acontecendo desde a última sexta, somente hoje as autoridades brasileiras estariam presentes. Dilma não compareceu, e a SIP ficou ofendida.

"Na segunda vez que a SIP veio ao Brasil, o presidente era Fernando Collor. Convidado para abrir a Assembleia, até o último minuto ele confirmou que participaria. Na véspera, avisou que não viria. Pela segunda vez, coincidentemente, recebemos ontem à noite um telefonema do gabinete da presidente Rousseff comunicando que ela não viria a São Paulo. Pela segunda vez, o presidente do Brasil deixa de fazer a abertura, que caberá então ao governador Geraldo Alckmin", criticou Julio César Mesquita, do Grupo Estado e presidente do Comitê Anfitrião da Assembleia da SIP no Brasil.

Antes do governador tomar a palavra, Mesquita também comparou o início dos anos 90 com o período atual. "Naquele ano, o panorama era diferente. A censura havia desaparecido no continente, com a exceção de Cuba, onde os irmãos Castro controlavam as liberdades, o que ocorre até hoje. Mas, à época, a SIP já antecipava que dois novos inimigos surgiriam: o narcotráfico e os congressos latino-americanos, com projetos de lei para impedir o trabalho dos jornalistas. Agora, o cenário não é animador. Há atentados contra jornalistas no continente (...) e há a volta ao passado negro de governos populistas, fascistas e totalitários, que voltaram a ser realidade na América do Sul, como é o caso da Venezuela, Argentina, Bolívia e Equador, que diariamente atacam as imprensas dessas nações", afirmou Mesquita.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ocupou então a tribuna para proferir o mesmo discurso feito em maio deste ano num seminário sobre liberdade de imprensa organizado pelo Instituto Internacional de Ciências Sociais. Usando as mesmas palavras de outrora, reconheceu que o Brasil vive hoje uma situação de liberdade para o exercício do jornalismo, mas lembrou que a liberdade de expressão "deve ser defendida dia a dia de suas ameaças".
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 15 Oct 2012 05:32 PM PDT



Posted: 15 Oct 2012 05:25 PM PDT
Ricardo Kotscho, Balaio do Kotscho



"Em tempo (atualizado às 20h55):
recebi agora informações de Brasília sobre alterações nas datas do roteiro da presidente Dilma Rousseff na campanha do segundo turno, que agora ficou assim:

Salvador, sexta-feira, dia 19

São Paulo, sábado, dia 20

Manaus, segunda-feira, dia 22

***

Está definido o roteiro de viagens da presidente Dilma Rousseff para participar de comícios neste segundo turno das eleições.

Dilma irá a apenas três cidades: além de São Paulo, onde subirá no palanque de Haddad nesta sexta-feira (19), como o Balaio já havia antecipado no início da semana passada, a presidente estará em Salvador, no sábado, e em Manaus, ainda em dia a ser marcado.

Até as 16 horas desta quarta-feira (17), a assessoria de Eduardo Campos ainda não havia confirmado a participação do governador pernambucano e presidente do PSB no ato em apoio ao petista Fernando Haddad, ao lado de Lula e Dilma.


Certo é que Campos irá amanhã a Campinas, no interior de São Paulo, onde está aliado ao PSDB, para subir no palanque do candidato do seu PSB, Jonas Donizetti, que disputará o segundo turno com Márcio Pochmann, do PT.

Desde a noite de domingo passado, quando foram divulgados os resultados do primeiro turno, e Eduardo Campos despontou como um dos grandes vencedores da eleição, o governador pernambucano vem sendo cortejado tanto pelo PT como pelo PSDB."
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Matétia Completa, ::AQUI::


Posted: 15 Oct 2012 04:31 PM PDT
Carta Capital

"Quando governador de São Paulo entre 2007 e 2010, o hoje candidato à prefeitura de São Paulo José Serra (PSDB) distribuiu um material semelhante ao kit anti-homofobia que o MEC (Ministério da Educação) de Fernando Haddad  tentou emplacar em 2010 — e que hoje pauta parte da campanha de Serra contra o petista. A informação é da jornalista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

O material, distribuído pelo governo paulista em 2009, era destinado aos professores e os aconselhava a mostrar aos alunos figuras de "duas garotas de mãos dadas, dois garotos de mãos dadas, uma garota e um garoto se beijando no rosto, dois homens se abraçando depois que um deles faz um gol e duas garotas se beijando".

O próprio governador Serra, o então vice-governador Alberto Goldman e o secretário da educação da época, Paulo Renato Souza, assinavam o material.

O kit anti-homofobia, apelidado de "kit gay" pelo Pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus vertente Vitória em Cristo, foi incorporado à campanha tucana para criticar o rival Fernando Haddad (PT) na disputa pela prefeitura de São Paulo. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo no domingo 14, Serra critica o plano do MEC porque estes supostamente "diz que é bom ser bissexual porque aumenta em 50% a chance de ter programa no fim de semana"."Isso não é combater homofobia, é uma espécie de doutrina. O problema do 'kit gay' é, acima de tudo, pedagógico. Quer doutrinar em vez de educar", disse o candidato do PSDB.

José Serra é alvo de críticas à esquerda e à direita por trazer à tona o tema do kit gay no contexto da eleição municipal. Silas Malafaia tem feito campanha contra Haddad e pedido voto para Serra aos seus fiéis. Embora o tucano oficialmente tenha tentado se distanciar do pastor, reportagem de O Estado de S. Paulo da sexta-feira 12 aponta que o distanciamento entre ambos, na verdade, é uma estratégia combinada entre a campanha de Serra e Malafaia."



Posted: 15 Oct 2012 04:24 PM PDT
"Principal cabo eleitoral do candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo neste segundo turno, Silas Malafaia rasga elogios a livro recém lançado de Reinaldo Azevedo; "um dos jornalistas mais sensacionais e éticos do País", disse; destaca abordagens sobre "mensalão e sindicalismo gay"; impressiona a obsessão de leitor e autor, que também vota Serra, sobre a questão gay...; assista perfomance



Com 30 anos de televisão e fundador da igreja pentecostal Assembléia de Deus Vitória em Cristo – uma entidade que se aproveitou da capilaridade e penetação da Assembléia de Deus para se estabelecer -, Silas Malafaia tornou-se, neste segundo turno da eleição para prefeito de São Paulo, no principal cabo eleitoral do candidato José Serra. Seu papel de protagonista foi alcançado pelos ataques que gosta de desferir ao chamado 'kit gay' – material produzido, mas não distribuído, pelo Ministério da Educação na gestão de Fernando Haddad, com o sentido de combater a homofobia. Hoje, soube-se por reportagem da jornalista Mônica Bergamo que o próprio Serra, quando governador de São Paulo, deu seu aval para um material didático muito semelhante, para o qual um dos 'materiais necessários' era uma fotografia de duas meninas 'se beijando na boca'.

Ainda não se sabe qual será a reação de Malafaia, mas até a véspera, quer dizer, ontem, o domingo 14, ele se mantinha em campanha ativa por Serra. Desta feita, usou um de seus muitos horários na televisão aberta, pelas quais paga, com dinheiro recolhido em suas igrejas, mais de um milhão de reais ao mês, para propagandear um livro. Trata-se de "No País dos Petralhas II", do jornalista Reinaldo Azevedo, blogueiro da revista Veja. "É um dos jornalistas mais sensacionais e éticos do País", classificou Malafaia, exibindo o livro de Azevedo aos telespectadores. "Não é da minha editora, não", apressou-se em dizer o vídeopastor Malafaia. Entre os temas abordados no livro, ele destacou as preciosas angulações de Azevedo sobre as questão do "mensalão e do sindicalismo gay".

Eleitor de José Serra e também seu cabo eleitoral, pela recomendação de voto feita em seu blog, Azevedo, espera Malafaia, deve ter ficado feliz pela propaganda gratuita. Quanto a Serra, o próprio Malafaia não pode dizer o mesmo. Numa mensagem fotografada dentro do tablet de um assessor de Serra, o vídeopastor mandou dizer ao candidato que não se importaria se ele tivesse de "se distanciar" dele em suas entrevistas. Continuar, ainda assim, a apoiá-lo. Será que Reinaldo quererá fazer o mesmo?"

Assista abaixo a perfomance de Malafaia:






Posted: 15 Oct 2012 04:16 PM PDT
Alberto Dines, Observatório da Imprensa


"Uma capa histórica na edição de quarta-feira (10/10) da Folha de S.Paulo (ver aqui). Numa única edição, aquele que pretende ser "um jornal a serviço do Brasil" despencou no abismo da paranoia, da irresponsabilidade e prestou um enorme desserviço à formação cívica do leitor.

A condenação pelo Supremo Tribunal Federal de José Dirceu e da antiga cúpula do PT levou os responsáveis pela edição a perderem o senso de medida e os compromissos dos jornalistas em preservar sua dignidade e a dos personagens que circulam em suas páginas.

Puro hooliganismo: o jornal vilipendiou uma tragédia política, acirrou rancores, transformou um julgamento exemplar num rififi futebolístico, pisoteou os padrões de decência do nosso jornalismo, inclusive a célebre entrevista de Roberto Jefferson à repórter Renata Lo Prette – hoje na GloboNews – que marcou o início do escândalo do mensalão."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 15 Oct 2012 04:10 PM PDT
Portal Terra



"O candidato à prefeitura de Campinas pelo PSB, Jonas Donizette, lidera a disputa no 2º turno das eleições, de acordo com a primeira pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira. Na sondagem encomendada pela EPTV, o socialista está com 45% das intenções de voto contra 39% de seu adversário, Marcio Pochmann (PT).

Com a margem de erro de quatro pontos percentuais, o candidato do PSB está próximo do mesmo índice que o levou ao 2º turno, 47%. Já Pochmann, está com 11 pontos percentuais a mais que a votação do último dia 7 de outubro, quando ficou em segundo lugar com 28%. Votos brancos e nulos somam 10%. Indecisos chegam aos 6%."
Pesquisa Completa, ::AQUI::


Posted: 15 Oct 2012 09:02 AM PDT


Resultados de 2012 qualificam PSB,
de Roberto Amaral para participar
decisivamente das eleições
presidenciais de 2014

"Ex-ministro Roberto Amaral, vice-presidente dos socialistas, rechaça aliança com PSDB pelo Planalto e reafirma apoio da legenda à reeleição da presidenta Dilma Rousseff


Maurício Thuswohl, Rede Brasil Atual

Entre os principais partidos do Brasil, o PSB está entre os que experimentaram maior crescimento nestas eleições municipais, passando de 310 para 433 prefeituras em todo o país (aumento de 39,68%). Vencedor no primeiro turno em capitais importantes como Belo Horizonte e Recife, disputará o segundo turno em Fortaleza, Cuiabá e Porto Velho, entre outras, fato que coloca os socialistas na linha de frente das especulações sobre um eventual reordenamento das forças políticas brasileiras com vistas a 2014.

Reunida no fim da semana passada, a Executiva Nacional do PSB, no entanto, frustrou os setores da sociedade que – por conta dos rompimentos locais entre socialistas e petistas em Minas Gerais e Pernambuco – já preveem a dissolução da aliança nacional que une os dois partidos e falam até mesmo no governador pernambucano Eduardo Campos como candidato à Presidência da República em 2014 ou vice em uma chapa composta com o PSDB de Aécio Neves. Mas o PSB reafirma a aliança com o PT e o apoio à reeleição da presidenta Dilma Rousseff.

Em entrevista exclusiva à Rede Brasil Atual, o vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, analisa o resultado eleitoral dos socialistas, sobretudo em Belo Horizonte, e reafirma a posição política do partido no campo da esquerda "do qual nós não nos afastamos em hipótese nenhuma". Sobre o rompimento com o PT, diz que "nem a imprensa nem os partidos de direita vão decidir os projetos do PSB".

Como a Executiva Nacional do PSB avalia o resultado eleitoral do partido nestas eleições?

Em primeiro lugar, nossa avaliação é que a vitória do PSB foi política. Não foi o resultado eleitoral que determinou a vitória política, mas sim as vitórias políticas que antecederam o dia da votação que determinaram nossa vitória eleitoral, numérica, aritmética. Essa vitória passou por marcarmos nossa posição, por fixarmos nossa imagem junto ao eleitorado, que nos reconheceu. Essa é a conquista fundamental e que nos traz, evidentemente, muitas responsabilidades.


É evidente que estamos festejando as muitas vitórias que tivemos, assim como estamos lamentando as pequenas derrotas, mas ressaltando aí também avanços políticos. Em Aracaju, por exemplo, nós não fomos ao segundo turno, mas fomos os grandes vencedores políticos na cidade com a candidatura do deputado Valadares Filho. Começamos do zero e chegamos a quase 38% dos votos. Foi uma grande vitória que marca uma nova presença nossa e projeta um novo espaço para o PSB na política de Sergipe. Dei esse exemplo, de uma pequena capital do Nordeste, para mostrar que a vitória política se faz com política, e não apenas com resultados aritméticos."
Foto: José Cruz/arquivo ABr
Entrevista Completa, ::AQUI::


Posted: 15 Oct 2012 08:44 AM PDT



Posted: 15 Oct 2012 08:42 AM PDT
"Nesses últimos anos tem havido uma intensificação de opiniões, manifestações e de repulsa à atividade política em escala mundial, uma tendência agressiva, virulenta mesmo, com o objetivo de afastar o cidadão comum do engajamento nas causas transformadoras da realidade em que ele vive.


Eduardo Bomfim, Vermelho

Um discurso falso - a política sempre determinou os rumos das sociedades em todas as épocas, doloso porque está associado aos interesses de impedir a participação popular através de restrições democráticas, consolidando mais ainda o monopólio político, ideológico, nas mãos de reduzidos, poderosos grupos com capacidade decisória de abrangência global.

A perda relativa de autonomia dos Estados Nacionais submetidos às regras de organismos internacionais, antes razoavelmente representativas do equilíbrio internacional entre os Países, age como complemento a essa hegemonia e tem o mesmo fim, ou seja, a extraordinária concentração, centralização do capital financeiro a nível internacional.

Esse monopólio do poder, intimidação, dissuasão e intervenção, encontra-se associado à maior máquina de guerra que a humanidade já conheceu, coordenada pelos Estados Unidos da América, além de um fabuloso aparato midiático que controla a informação mundial, dissemina comportamentos, criminaliza opositores."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 15 Oct 2012 08:06 AM PDT
Silvio Meira, Terra Magazine/ dia a dia, bit a bit


"mais de 50 países, talvez 80, já usavam algum tipo de robô para aplicações militares em 2011. segundo o estudo que revela tal número, o mercado global de robôs militares era de US$5.8B em 2010 e, mesmo na crise econômica atual, subiria para US$8B em 2016. o brinquedo do vídeo abaixo é só parte do arsenal de máquinas "inteligentes" para apoio a ações militares que [ainda?] são lideradas por humanos. este "robô" é capaz de seguir um "líder" humano, carrega mais de 300kg e não precisa ser reabastecido [com gasolina] por mais de 30km. veja o vídeo.



cada vez mais equipamentos como este irão para o campo de batalha, para reduzir e/ou prevenir mortos e feridos humanos, mas não só: as mudanças nas táticas e a necessidade de reduzir os gastos militares, combinados com evolução de hardware [materiais, sensores, componentes, dispositivos em geral] e software permitem o desenvolvimento, cada vez mais rapidamente, de robôs cada vez mais sofisticados.

eu e você podemos não gostar disso, mas robôs militares são um fato de realidade. o problema é o que fazer para que eles, literalmente, "se comportem", seja lá o que isso for [agora] ou vier a ser [num futuro próximo]. de preferência, quem estuda o assunto quer garantir que as distopias onde a humanidade é subjugada por robôs não passam de cenários inatingíveis."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 15 Oct 2012 07:53 AM PDT
"Tucano abre horário eleitoral gratuito na tevê para interpretar situações de mais de dez anos atrás, na gestão de Marta Suplicy, e bater na tecla das falhas do Enem; José Serra disse que gestão de prefeito Gilberto Kassab é exemplar em relação a creches, apesar do déficit de mais de 100 mil vagas; Fernando Haddad exibiu apoio de Gabriel Chalita e programa de incentivos fiscais para empresas se instalarem na periferia da cidade; um vê a eleição pelo retrovisor, outro acende os faróis para enxergar mais longe


Brasil 247

No primeiro dia de retorno da propaganda eleitoral na TV e no rádio, a campanha do candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, foi marcada por fortes ataques ao adversário petista, Fernando Haddad, e à gestão do PT na capital paulista. Em seu programa, o tucano atacou a atuação de Haddad no Ministério da Educação, usou o candidato a vice Alexandre Schneider para destacar as falhas do Enem e voltou a dizer que pegou a Prefeitura falida quando assumiu em 2004, uma "herança recebida do PT".

Serra também afirma que o adversário petista não acredita em convênio de creches e citou a gestão de Gilberto Kassab (PSD), com alto índice de rejeição da população, segundo o Datafolha, como exemplo de solução para o problema dos salários de professores – segundo ele, não resolvido na administração de Marta Suplicy (2001-2004), que não teria dado aumento aos profissionais. Respondendo a duras críticas por ter deixado a Prefeitura em 2006 a fim de se candidatar ao Governo do Estado, o candidato do PSDB também reafirma sua permanência no cargo durante todo o mandato."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 15 Oct 2012 07:33 AM PDT
Agência Brasil


"O crescimento econômico brasileiro está em processo de aceleração, com a inflação sob controle, na avaliação do presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini.

Em uma apresentação feita em uma conferência econômica sobre o Brasil, no Japão, o presidente do BC reforçou que a inflação no país está convergindo para a meta de "forma não linear". A meta de inflação é 4,5%, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

De acordo com o boletim Focus divulgado hoje (15) pelo BC, elaborado com base em projeções de instituições financeiras, a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve encerrar 2012 em 5,43%, e o próximo ano em 5,42%.

Além da inflação e da expectativa de crescimento econômico sustentável, Tombini citou, como fatores da estabilidade macroeconômica brasileira, a redução da dívida líquida do setor publico e da vulnerabilidade externa.

Na apresentação, o presidente do BC também destacou a estabilidade das instituições financeiras, bem capitalizadas, com liquidez e com provisão. Além disso, citou a expansão da classe média e as múltiplas oportunidades de investimento no país."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 15 Oct 2012 07:25 AM PDT
A Gazeta


"Enquanto o petista Lúdio Cabral lidera com 47% das intenções de voto estimulado, o socialista Mauro Mendes obteve 41%. A margem de erro é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento aponta que 9% do eleitorado ainda não sabe para quem dará o voto no próximo dia 28, data em que acontece o 2º turno.

Na amostra estimulada, quando aos entrevistados são apresentados os nomes dos 2 candidatos, brancos e nulos somam 3%. Foram ouvidas pelo Instituto 800 pessoas, neste domingo (14), a exatos 7 dias após a votação em 1º turno. Pesquisa, registrada sob o número 00672/2012 na Justiça Eleitoral, é a primeira de uma série que o Gazeta Dados fará mostrando o desempenho de Lúdio e Mauro nesta nova etapa quando a eleição fica "zerada"."


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610



--
Francisco Almeida / (91)81003406
Postar um comentário