terça-feira, 18 de setembro de 2012

Via Email: BRASIL! BRASIL!



BRASIL! BRASIL!


Posted: 17 Sep 2012 06:23 PM PDT



José Roberto de Toledo, Estadão.com.br / Blog

"O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), está em 21º lugar no ranking dos prefeitos das capitais feito pelo Ibope. Ele tem saldo negativo de 24%, pois há mais paulistanos que julgam seu governo ruim ou péssimo (44%) do que bom ou ótimo (20%). Kassab tem oscilado dentro desse patamar desde  o começo do ano. Nem a propaganda da campanha de José Serra (PSDB) na TV, elogiando o prefeito, conseguiu melhorar sua avaliação.

Há um empate na liderança do ranking: Nelsinho Trad (PMDB), de Campo Grande (MS), e Raimundo Angelim (PT), de Rio Branco (AC), têm 61% de saldo. Nenhum dos dois concorre à reeleição, mas os candidatos a prefeito apoiados por eles são líderes na pesquisa de intenção de voto do Ibope."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 17 Sep 2012 06:08 PM PDT



Eduardo Guimarães, Blog da Cidadania

"Se os republicanos voltarem ao poder nos EUA, a América Latina será varrida por uma onda de tentativas de golpes ("constitucionais" ou não) de Estado que buscará eliminar a independência política e econômica que, ao fim do século XX,  fechou aos norte-americanos  a porta do "quintal" onde colhiam boa parte dos lucros astronômicos que aprofundaram a desigualdade entre aquela nação e o resto do mundo.

Com Obama no poder, há hoje certo recato dos EUA em promover derrubada de governos em democracias mais estáveis como a brasileira, a venezuelana ou a argentina, ainda que democracias em estágio menos adiantado, como a paraguaia ou a hondurenha, já tenham tombado por ação ou omissão dos setores ultraconservadores que os democratas norte-americanos mantém na inteligência e nas forças armadas, entre outros setores.

Ao golpismo brasileiro ainda falta o apoio decidido e garantido do grande irmão nortista. Agora, porém, imagine, leitor, se os setores que estão tentando criminalizar centenas de milhares de adversários políticos com o julgamento do mensalão pudessem contar com o incentivo e o apoio propagandístico e diplomático dos Estados Unidos…

O último fim de semana marcou uma nova etapa do processo desencadeado a partir da subida do julgamento do mensalão à agenda política do país. A acusação da revista Veja a Lula através de uma matéria obscura, cheia de furos e desmentidos – e, ainda assim, comprada acriticamente, até aqui, pelos maiores jornais do país e pela oposição demo-tucana – mostra que uma tempestade político-institucional se avizinha.

Os setores politizados da cidadania que simpatizam com o projeto político-administrativo que venceu eleições em 2002 e não parou mais – e que, hoje, conta com o apoio decidido da esmagadora maioria dos brasileiros, conforme as pesquisas de opinião – estão sendo literalmente acusados por um dos muitos casos de corrupção que envolvem a qualquer grupo político."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 17 Sep 2012 06:02 PM PDT



"A Editora Abril e seu carro chefe, o panfleto semanal intitulado Veja, reforçaram, neste final de semana, a inovação jornalística que pretendem ter inaugurado: o jornalismo com base no "ouvir dizer", em fontes e entrevistas inexistentes, fundado na mentira e na calúnia.

Vermelho

Não é uma prática nova na imprensa de direita no Brasil. Já na década de 1950 a revista O Cruzeiro, que era o grande panfleto da direita na época, era notável por esse mesmo jornalismo mequetrefe, apelidado "de dentro pra fora" - isto é, feito a partir de fatos inventados na redação.

Da mesmo forma como hoje Veja se esmera em destruir a imagem do presidente Luís Inácio Lula da Silva e das forças progressistas e de esquerda, naqueles anos O Cruzeiro investia contra o presidente Getúlio Vargas e pagou um preço alto por sua miopia histórica e política. A confiança dos leitores caiu aceleradamente, a circulação começou a minguar e, em poucos anos, O Cruzeiro perdeu a importância que tivera e naufragou melancolicamente.

E qual é a estrutura dessa mentira? Ela é revelada pela própria matéria assinada pelo repórter Rodrigo Rangel, e pela Carta ao Leitor do diretor da revista. Não havendo declarações diretas e insofismáveis do empresário Marcos Valério, ele confessam , no próprio texto, que a mentira ali contada tem "base em revelações de parentes, amigos e associados". Esta é a essência do jornalismo mequetrefe de Veja: a mentira e a calúnia."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 17 Sep 2012 05:43 PM PDT


O deputado Federal Francisco Oliveira,
o Tiririca, tem se destacado por seu
apoio à arte circense
Correio do Brasil 



"O primeiro palhaço eleito deputado na história do país está rindo à toa. No último mês, Tiririca (PR-SP) viu uma proposta de sua autoria dar o primeiro passo para virar lei e foi indicado por jornalistas que cobrem o Legislativo como um dos 25 melhores deputados do ano. Com a indicação na primeira fase, ele disputa agora o voto do internauta, que definirá a ordem final de classificação do Prêmio Congresso em Foco 2012, que será entregue no dia 8 de novembro.

- Para mim, só de estar na lista é uma vitória. Não sou político, estou político. É uma diferença grande. Estou bem pra caramba. E o mais importante: sem deixar de ser eu mesmo aqui – comemorou. Ele acredita que está surpreendendo quem não apostava em sua atuação. "Estou superfeliz com isso, mostrando para os meus eleitores que eles não deram voto perdido. Não estou fazendo feio. Não quero decepcionar o povo nem me decepcionar", afirmou.


Na Câmara há um ano e meio, Tiririca contou estar "totalmente adaptado" ao trabalho parlamentar e que se sente cada vez mais livre no exercício do mandato. "Cabe a você caminhar pelo caminho certo ou errado. Aqui, tem esses dois caminhos. A responsabilidade é maior, qualquer vacilo que eu der, a imprensa e os colegas vão cair em cima: 'Oh, o palhaço está fazendo palhaçada'", disse. "Eu me sinto vigiado aqui 24 horas", acrescentou."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 17 Sep 2012 05:33 PM PDT
Saul Leblon, Carta Maior / Blog das Frases



"Carlinhos Cachoeira e seu ubíquo braço-direito, o araponga Dadá, não estão mais à solta para emprestar artes e ofício às reportagens' e 'denúncias' programadas por 'Veja'. Quase não se nota. Se o plantel perdeu talento específico, o engajamento na meliância política ganhou em arrojo e sofreguidão. A constelação de colunistas que orbita em torno daquilo que 'Veja' excreta arregaçou mangas e redobra esforços.

A afinação do jogral não deixa dúvida sobre o alvo mais cobiçado, como mostra a meticulosa análise de Marco Aurélio Weissheimer, nesta pág.
O troféu da vez é Lula, não a pessoa, mas o símbolo de uma barragem que reordenou a política brasileira criando espaço à ascensão do campo popular.

Buliçosos escribas do jornalismo isento sugerem nesta 2ª feira que podem superar as mais dilatadas expectativas na caça ao tesouro. As postagens do colunismo amigo de Demóstenes Torres --outro centurião da linha de frente abatido sem deixar vácuo-- sugerem a travessia de um Rubicão.

O conservadorismo age como se não houvesse amanhã. A crise econômica não destruiu o governo do PT e o país retoma o crescimento neste 4º trimestre. Então, é agora ou nunca.

Com a ajuda das togas que atiçam o linchamento contra o partido no STF, a mídia demotucana arranca uma escalada preventiva vertiginosa. Comete-se de forma explícita aquilo que até mesmo Dadá e Cachoeira teriam pejo em praticar desguarnecidos das sombras: a chantagem ancorada em 'provas' improváveis, mas tornadas críveis através do incessante centrifugador de carniça de quatro hélices: Veja-colunistas- bancada demotucana-Procuradoria geral da República."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 17 Sep 2012 08:59 AM PDT



Posted: 17 Sep 2012 08:56 AM PDT



 Carlos Willian Leite, Revista Bula

"Publico nesta edição uma seleção de 40 frases célebres de personalidades de díspares perfis, nacionalidades e épocas — venenosas, mal humoradas, engraçadas ou cruéis —, as frases revelam o olhar preciso e ferino de seus autores sobre os temas abordados. A autenticidade de cada frase foi checada para não incorrer nos risco das falsas atribuições em meio a profusão de textos apócrifos e equívocos relativos à autoria. A seleção traz nomes como H. L. Mencken, Ambrose Pierce, Ernest He­mingway, Nelson Ro­drigues, Voltaire, Paulo Francis, Otto Von Bismarck, Woody Allen, Robert Benchley, J. Pierpont Mor­gan, Simone de Beauvoir, além provérbios e frases autorais, que foram emprestadas às personagens e obras por intermédio de seus criadores.

— O adultério é a democracia aplicada ao amor.
H. L. Mencken

— Todo homem decente se envergonha do governo sob o qual vive.
H. L. Mencken

— A guerra é a forma de Deus ensinar geografia aos americanos.
Ambrose Pierce

— Se as duas pessoas se amam, não pode haver final feliz.
Ernest Hemingway

—  Qualquer idiota consegue ganhar a vida representando. Ora, Shirley Temple já fazia isso aos 4 anos! 
Katharine Hepburn

— A cama é a ópera dos pobres.
Provérbio italiano

— Todo canalha é magro.
Nelson Rodrigues

— O casamento é a única aventura ao alcance dos covardes.
Voltaire

— Todos os casamentos são felizes. Tentar viver juntos depois é que causa os problemas.
Shelley Winters

— Os baianos invadiram o Rio para cantar "Ó, que saudades eu tenho da Bahia.... "Bem, se é por falta de adeus, PT saudações.
Paulo Francis

— O filme é uma merda, mas o diretor é genial.
Paulo Francis

— Ser da classe média é achar Godard o máximo.
Paulo Francis

— Quando ouço falar em ecologia, saco logo meu talão de cheques.
Paulo Francis

— A ignorância é a maior multinacional do mundo.
Paulo Francis

— O balé é o  beisebol das bichas.
Oscar Levant

— Todo homem se torna a coisa que mais despreza.
Robert Benchley"
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 17 Sep 2012 08:23 AM PDT
Leandro Fortes, CartaCapital



"Quando Dilma Rousseff se vestiu para ir à festa de aniversário de 90 anos da Folha de S.Paulo, logo depois de assumir a Presidência, em 2011, eu fui um dos poucos a reagir publicamente na imprensa. Mesmo entre os blogueiros progressistas, lembro apenas de outra voz dissonante a reclamar da atitude servil da presidenta, a da historiadora Conceição Oliveira, do blog "Maria Frô". De resto, o gesto foi forçosamente saudado como um ato de estadista, de representação formal do governo e do Estado brasileiro junto a uma "instituição" nacional, no caso, o conservador diário instalado na rua Barão de Limeira, na capital paulista. O mesmo diário que, meses antes, estampara uma ficha falsa de Dilma na primeira página, com o objetivo de demonizá-la como guerrilheira e assassina e, assim, eleger o candidato do jornal, José Serra, do PSDB.

Não é difícil compreender, contudo, o que pretendia Dilma ao aceitar fazer parte da noite de gala da família Frias. Terminada a Era Lula, a presidenta se viu na contingência de criar uma rede própria de relações na mídia, com quem imaginou ser possível firmar um acordo de civilidade. Lula, a seu tempo, também caiu nessa esparrela. Mas nem a experiência do governo anterior, nem as baixarias encampadas pela mídia na campanha de 2010, ao que parece, foram capazes de convencer Dilma da inutilidade desse movimento.


A mídia que aí está, protegida pelas cidadelas dos oligopólios e por uma adestrada bancada parlamentar de vários níveis, nunca irá se conciliar com um governo de cores populares, de ligações esquerdistas, mesmo esse esquerdismo envergonhado do PT. Essa mídia tem como única agenda a defesa do grande capital, do latifúndio e do liberalismo econômico predatório regulado pelas forças do mercado. É uma mídia constrangedoramente provinciana, mas absolutamente descolada da realidade brasileira, ignorante da força dos movimentos sociais e nutrida, cada vez mais, por jornalistas pinçados da mesma classe média que acostumou a paralisar pelo medo. E, em muitos casos, por experientes jornalistas cooptados pela perspectiva de visibilidade e uma aposentadoria tranquila, às favas com os escrúpulos, pois."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 17 Sep 2012 07:52 AM PDT
Usuários apedrejaram composição após pane




"A Polícia Militar foi acionada às 8h15 desta segunda-feira para conter um tumulto provocado por passageiros na estação Comendador Ermelino da Companhia de Trens Metropolitanos (CPTM), na zona leste da capital. Segundo a PM, tudo começou quando os trens que trafegam pela Linha 12-Safira deixaram de circular, provocando a ira dos usuários da CPTM, que começaram a depredar a estação.

Ainda de acordo com a corporação, os passageiros tentaram agredir os vigias da estação. Não há informações de quantos policiais participavam da ocorrência ou da existência de feridos.

A CPTM informou que o problema na linha foi provocado por uma composição que sofreu um pane na estação Engenheiro Goulart. Por esse motivo, toda a linha foi bloqueada para o tráfego de trens. Por volta das 9h45, não havia previsão para a liberação do trecho interrompido.

Além da Linha 12-Safira, um incêndio em uma favela na região central de São Paulo provocou a interdição de outras duas linhas da CPTM. As linhas 7-Rubi e 8-Diamante deixaram de operar entre as estações Luz e Barra Funda por causa das chamas."
Foto: Lucas Dantas/Futura Press


Posted: 17 Sep 2012 06:51 AM PDT



"Manter viva a causa do PT: para além do "Mensalão"

Leonardo Boff, Vi o Mundo

Há um provérbio popular alemão que reza: "você bate no saco mas pensa no animal que carrega o saco". Ele se aplica ao PT com referência ao processo do "Mensalão". Você bate nos acusados mas tem a intenção de bater no PT. A relevância espalhafatosa que o grosso da mídia está dando à questão, mostra que o grande interesse não se concentra na condenação dos acusados, mas através de sua condenação, atingir de morte o PT.

De saída quero dizer que nunca fui filiado ao PT. Interesso-me pela causa que ele representa pois a Igreja da Libertação colaborou na sua formulação e na sua realização  nos meios populares. Reconheço com dor que quadros importantes da direção do partido se deixaram morder pela mosca azul do poder e cometeram irregularidades inaceitáveis. Muitos sentimo-nos decepcionados, pois depositávamos neles a esperança de que seria possível resistir às seduções inerentes ao poder. Tinham a chance de mostrar um exercício ético do poder na medida em  que  este poder reforçaria o poder do povo que assim se faria participativo e democrático. Lamentavelmente houve a queda. Mas ela nunca é fatal. Quem cai, sempre pode se levantar. Com a queda não caiu a causa que o PT representa: daqueles que vem da grande tribulação histórica sempre mantidos no abandono e na marginalidade. Por políticas sociais consistentes, milhões foram integrados e se fizeram sujeitos ativos. Eles estão inaugurando um novo tempo que obrigará  todas as forças sociais a se reformularem e também a mudarem seus hábitos políticos.

Por que muitos resistem e tentam ferir letalmente o PT? Há muitas razões. Ressalto  apenas duas decisivas."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 17 Sep 2012 06:41 AM PDT



Agência Brasil

"Dezoito viaturas do Corpo de Bombeiros trabalham para conter um incêndio que começou por volta das 7h na favela do Moinho, erguida sob o Viaduto Orlando Murgel, no bairro do Campos Elísios, próximo à região central da capital.

Por enquanto, o Corpo de Bombeiros a existência de vítimas. Por causa do incêndio, duas linhas de trens da companhia paulista tiveram de ser interrompidas. O trânsito também foi interditado no local."



Posted: 17 Sep 2012 06:29 AM PDT
Luis Nassif, Luis Nassif Online



"Há dois marcos na nova etapa da jogo político brasileiro: o fim político de José Serra e o novo protagonismo político do STF (Supremo Tribunal Federal).

Vamos analisar algumas variáveis que serão determinantes do novo tempo político.

A luta pela civilidade política ainda tem um longuíssimo caminho pela frente.

1. A radicalização exacerbada não desaparece com Serra.

A ultradireita que emergiu no país nos últimos anos não se organizou em torno de Serra. Ele foi apenas o oportunista que pretendeu cavalgar a onda – como tantas outras que cavalgou, antes, como a do desenvolvimentismo, da socialdemocracia, sem nunca empunhar de fato a bandeira. Hoje está claro, mesmo para quem conviveu a vida toda com ele, que jamais passou de um arrivista.

Como explico na abertura da série "O caso de Veja", o ódio como arma política começou como um sentimento algo difuso, que ganhou eco na agressividade de alguns comentaristas de televisão – imitando o estilo da Fox norte-americana. O episódio do "mensalão" serviu como agente deflagrador da intolerância, assim como a perspectiva da velha mídia de derrubar mais um presidente e retornar aos tempos de glória do pós-impeachment.

Apesar do gatilho ter sido o "mensalão", é algo muito mais orgânico, cuja raiz (em termos globais) está na ascensão das novas massas, no fim do sonho neoliberal, no protagonismo da mídia na era Murdoch.

Serra percebeu a mudança de ventos e se adaptou ao novo figurino. O terreno era-lhe familiar porque a intolerância e os métodos obscuros já eram parte integrante de sua personalidade. Termina a carreira execrado pela esquerda, sob desconfiança da direita, deplorado por amigos que um dia acreditaram nele e… desprezado pela velha mídia por inservível."
Artigo Completo, ::AQUI::


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610



--
Francisco Almeida / (91)81003406
Postar um comentário