segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Via Email: BRASIL! BRASIL!



BRASIL! BRASIL!


Posted: 15 Sep 2012 05:32 PM PDT



Posted: 15 Sep 2012 05:18 PM PDT


Campanha de Haddad aposta em Lula
para levar candidato ao segundo turno
"Pesquisas indicam que 1/3 do eleitorado tradicional do PT na cidade ainda não sabem que ex-ministro da Educação é o candidato do partido



Eduardo Maretti, Rede Brasil Atual

Faltando 22 dias para o primeiro turno das eleições municipais, o candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, inicia neste fim de semana uma série de atividades para "recuperar" o voto de petistas que estariam migrando para Celso Russomanno (PRB). Para tanto, Haddad vai percorrer redutos históricos do partido ao lado das principais armas de sua campanha nesta reta final: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ex-prefeita, agora ministra da Cultura, Marta Suplicy.

Lula e Marta desembarcam na periferia já neste sábado. Eles participam de comícios no Capão Redondo (16h) e na Cidade Dutra (19h), ambos na zona sul da cidade. Amanhã estarão com Haddad em um centro de tradições nordestinas na zona Oeste, em evento que deve contar com a presença de vários governadores do Nordeste.

Pesquisas de intenção de voto indicam que cerca de um terço dos eleitores do partido desconhecem Haddad e não o identificam como "o candidato de Lula", principalmente nas regiões periféricas da cidade, onde o PT é mais forte. Na corrida eleitoral, segundo todos os levantamentos de intenção de voto, Haddad divide o segundo lugar com José Serra (PSDB), na casa dos 18%. Russomanno lidera com 35%."
Foto: Divulgação
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 15 Sep 2012 04:55 PM PDT



Altamiro Borges, Blog do Miro

'A edição da revista Veja desta semana, que traz na capa o publicitário Marcos Valério e acusa Lula de ser "o chefe do mensalão", já deixou excitados os golpistas de plantão. O presidente nacional do DEM, senador Agripino Maia, divulgou agora à tarde nota em que exige "explicações". Já o deputado Roberto Freire, dono do PPS, sempre servil à oposição demotucana, pede a abertura de processo contra o ex-presidente. Como já virou hábito, a mídia direitista pauta os partidos da direita, hoje tão fragilizados.

Em sua nota, o demo Agripino Maia, acusado por desvios de recursos públicos no Rio Grande do Norte e abatido com o fiasco da sua prefeita em Natal, é matreiro: "O que eram suspeitas se colocam agora como objeto real de investigação pelas revelações atribuídas a Marcos Valério, principal agente operador do mensalão. Se confirmadas as revelações fica evidenciado que o mensalão estava instalado no Palácio do Planalto e no Palácio da Alvorada, símbolos maiores do poder da República. O Brasil espera explicações".

"Abrir um novo processo"

Já o presidente do PPS, o decadente Roberto Freire, é mais incisivo. "É dever do Ministério Público, diante de uma denúncia crime, que é o caso da reportagem [da Veja], abrir um novo processo". Em nota oficial distribuída à imprensa, ele baba sangue. "Diante das novas revelações feitas pelo publicitário Marcos Valério de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva era o chefe do mensalão, a direção nacional do PPS avalia que é dever da Procuradoria Geral da República abrir uma nova investigação".

As notas de Agripino Maia e Roberto Freire, dois políticos travestidos de vestais da ética, só confirmam que o julgamento do chamado "mensalão do PT" foi marcado nas vésperas das eleições com intento oportunista. A direita nativa não brinca em serviço e conta, em suas manobras, com a valiosa ajuda da mídia. A revista Veja publica uma capa escandalosa, as emissoras de televisão amplificam o assunto e os jornalões tratam de replicar o caso durante a semana. A jogada é velha, mas muita gente ainda não percebeu!"


Posted: 15 Sep 2012 04:15 PM PDT




"O prefeito Gilberto Kassab fez uma visita surpresa à sede da TV Globo em São Paulo, na semana passada, para reclamar de reportagens que a emissora vem exibindo nos telejornais locais.

Kassab chegou à Globo de helicóptero, acompanhado de um considerável contingente de seguranças. Por causa disso, a visita está sendo chamada de "ataque aéreo" pelos funcionários da emissora.

A incerta provocou um corre-corre na Globo. Constrangidos, chefes do jornalismo de São Paulo conversaram com o prefeito em um prédio ao lado do estúdio-redação do jornalismo.

Kassab reclamou da cobertura especial que a emissora vem fazendo das eleições de 2012, principalmente de uma série de reportagens conduzida por Márcio Canuto e exibida no SP TV 1ª Edição.

A série apresenta problemas que o sucessor de Kassab enfrentará, como congestionamentos, ônibus lotados e falta de iluminação pública e de coleta seletiva de lixo, entre outros.

A reclamação gerou um clima de histeria e de indignação no jornalismo. Reportagens em produção foram revistas. O cuidado com textos e imagens que tratam de eleições e de problemas de São Paulo triplicou. Se antes uma reportagem era vista por um chefe, agora é revisada por três.

Após a publicação deste post, a Central Globo de Comunicação enviou a seguinte nota:

"É comum a visita de autoridades e políticos a veículos de comunicação; de nossa parte, não nos negamos em recebê-los e reafirmamos nosso compromisso com uma cobertura isenta cujos princípios são do conhecimento de todos".




Posted: 15 Sep 2012 03:36 PM PDT



"Total equivale a 30% do gasto da União; auge foi na 2ª metade do governo Serra, quando ele era candidato a presidente

Ricardo Mendonça, Folha de S. Paulo 

Entre 2007 e 2011, o governo do Estado de São Paulo gastou R$ 608,9 milhões com publicidade. O valor equivale a cerca de 30% do total gasto pela União no período. Ou seis vezes o investimento da Secretaria da Cultura em 2011. 

Os dados foram obtidos pela Folha com base na Lei de Acesso à Informação. Um conjunto de planilhas mostra, ano a ano, o quanto foi investido em cada veículo de comunicação. Os valores, corrigidos pela inflação pela reportagem, tratam apenas das secretarias. Não computam a publicidade de fundações, autarquias e estatais, como o Metrô e a Sabesp. 

O auge dos foi em 2009 e 2010, quando o então governador José Serra (PSDB), que hoje disputa a prefeitura, era candidato a presidente. Em 2009, foram R$ 173 milhões em anúncios, quase o triplo de 2007, início de sua gestão. 


Em 2010, o desembolso total recuou 9%. Mas considerando a norma que proíbe publicidade estatal nos três meses que antecedem a eleição, a média dos nove meses permitidos de 2010 acabou sendo o recorde dos cinco anos: R$ 17,6 milhões por mês."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 15 Sep 2012 03:31 PM PDT


Posted: 15 Sep 2012 03:30 PM PDT
"Como a "bomba" de Veja contra Lula é toda no condicional, até veículos conservadores, como o Estadão, pisam no freio




"O título da matéria publicada no Estadão.com diz tudo. "Marcos Valério apontaria participação de Lula no Mensalão, afirma revista". Como a "bomba" de Veja contra Lula é toda construída no condicional (embora seja vendida na capa como uma entrevista real do publicitário), o título do Estadão está no futuro do pretérito. Apontaria, seria, poderia etc, etc.

A repercussão obtida pela reportagem, até agora, está restrita ao meio político, com declarações previsíveis de adversários de Lula, como Roberto Freire e Agripino Maia. Na imprensa, mesmo aquela considerada golpista pelo PT, ela tende a arrefecer, uma vez que o advogado de Valério, Marcelo Leonardo, já desmentiu as afirmações atribuídas por Veja a seu cliente."


Posted: 15 Sep 2012 09:36 AM PDT



Mauro Malin, Congresso em Foco

"Na Folha de S. Paulo de quinta-feira (13/9), as políticas ditas de segurança pública de São Paulo e do Rio de Janeiro são abordadas na mesma página 2 pelos colunistas Rogério Gentile e Paula Cesarino Costa, respectivamente. O gancho são chacinas ocorridas nas duas principais regiões metropolitanas, uma executada pela Rota paulista, outra atribuída a traficantes da Baixada Fluminense.

Gentile usa linguagem e enfoque oficialistas: "policiais voltaram a ser alvo da ação covarde de criminosos"; "o governo Alckmin tem tratado o assunto com cautela e nega que esteja havendo um ataque organizado à polícia". O parágrafo final condensa o acatamento da lógica das autoridades:


"Num momento assim, é necessário que o Estado reforce medidas preventivas de segurança, bem como aprofunde investigações para prender os criminosos. E segure a tropa, que, obviamente, tem de agir com vigor, mas no limite da legalidade."

O trecho caberia perfeitamente num editorial da Folha ou do Estado de S. Paulo.

Cesarino Costa começa constatando que "a onda de assassinatos na Baixada Fluminense no fim de semana obrigou a Secretaria de Segurança a fazer uma operação emergencial numa região esquecida e que parece secundária na política atual."

Comenta depois uma hipótese apresentada pelos moradores do bairro onde houve a chacina: traficantes teriam se mudado para essa região fronteiriça do município da capital após a instalação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) em favelas das zonas sul, norte e central do Rio de Janeiro.

Em dois parágrafos, a jornalista questiona o discurso oficial e esboça a explicação essencial:


"O caso traz à tona dúvida sobre a estratégia do secretário José Mariano Beltrame. Como combater a criminalidade no Estado? Haveria como formar número suficiente de policiais?"
"Pobre, feia e superpopulosa, a Baixada Fluminense é o retrato da desigualdade estadual. Social, econômica e política."

Qual das duas abordagens contribui para uma reflexão lúcida do leitor a respeito dos problemas de criminalidade violenta?"



Posted: 15 Sep 2012 09:01 AM PDT
"Ele é rejeitado por quase metade dos paulistanos porque representa apenas um projeto pessoal de poder



Leonardo Attuch, Brasil 247

Uma longa estrada, de 50 anos de política, está chegando ao fim. Da presidência da União Estadual dos Estudantes, em São Paulo, no ano de 1962, à candidatura a prefeito da capital, agora, José Serra teve todas as chances que buscou na política – e aproveitou quase todas elas. Falhou nas duas tentativas de atingir a Presidência da República, e sem dúvida não terá a terceira. De tanto perseguir sua ambição, Serra atrapalhou-se em encruzilhadas determinantes para o seu caminho. A escolha mais errada, vê-se, neste momento, por meio dos seus 46% de rejeição no eleitorado paulistano, foi ter usado a mesma Prefeitura de São Paulo como trampolim para chegar ao governo do Estado e, daí, de novo à Presidência. Passada em cartório, a promessa de cumprir inteiramente o mandato de prefeito foi rasgada e, em picadinhos, jogada no lixo.

Igualmente não contribuiu para uma melhor sorte o fato de Serra jamais ter deixado claro aos que nele acreditaram qual é, efetivamente, seu pensamento sobre os grandes temas municipais, estaduais e nacionais. Corre na internet, com milhares de cliques, um vídeo com as muitas contradições em seu discurso ao longo da carreira. Serra é privatista ou estatizante? Um economista da escola ortodoxa, como Delfim, ou da linha heterodoxa, tal qual Conceição? Nacionalista ou globalizante? Ou será que representa apenas sua própria vontade de poder?"
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 15 Sep 2012 08:43 AM PDT



Posted: 15 Sep 2012 08:22 AM PDT
Saul Leblon, Carta Maior / Blog das Frases



"Na campanha presidencial de 2010, Serra deu R$17,6 milhões por mês ao dispositivo midiático demotucano para veicular publicidade do governo de São Paulo. É como se o tucano transferisse 980 salários mínimos por dia (40 salários por hora), uma Mega-Sena por mês (a deste sábado é de R$ 17 milhões) aos veículos que o apóiam.

Durante a gestão Serra em SP (2007/2011), o governo do Estado transferiu R$ 608,9 milhões à mídia 'isenta' para comprar espaço publicitário. Significa que Serra, sozinho, repassou aos veículos que formam o dispositivo midiático conservador um valor equivalente a 30% dos gastos totais com publicidade do governo federal no mesmo período. Os valores absolutos foram publicados pela Folha deste sábado.

O auge da generosidade tucana foi no ciclo eleitoral de 2009/2010:R$ 246 milhões. A Globo foi a mais aquinhoada na gestão Serra: R$ 210 milhões, 50% do total destinado a TVs, embora sua fatia na audiência seja declinante no período: caiu de 41% para 38% do total. Serra destinou às TVs religiosas mais recursos do que à TV Cultura, cuja audiência é superior.

A empresa de publicidade que intermediou a maioria dos contratos, ficando com 20% de comissão --como acontecia com o Valerioduto- foi a 'Lua', cujo proprietário é Rodrigo Gonzales. Rodrigo vem a ser filho do publicitário Luiz Gonzales,o marqueteiro de Serra e Alckmin, que fez a campanha presidencial do tucano em 2010 e comanda a atual, à prefeitura de SP. A agencia Lua também tem a conta publicitária da Dersa e do programa Nota Fiscal Paulista.( valores divulgados pela Folha; 15-09)"


Posted: 15 Sep 2012 07:52 AM PDT



"O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou na última sexta-feira (14) no comício de apoio à candidatura de Nelson Pelegrino na Praça Castro Alves, o mais nobre palco das manifestações populares na capital baiana. Milhares de pessoas se aglomeraram para acompanhar os discursos de Lula e dos candidatos a prefeito e vice da coligação "Todos juntos por Salvador", Nelson Pellegrino (PT) e Olívia Santana (PCdoB) e outras lideranças políticas da cidade.

Vermelho

É a primeira atividade de que Lula participa na campanha eleitoral deste ano na região Nordeste do País. Sua presença em Salvador pode representar o momento da virada e da arrancada para a vitória da candidatura de Pellegrino e Olívia à Prefeitura.

Em declarações à imprensa, o governador Jaques Wagner, que recebeu o ex-presidente no aeroporto e acompanhou-o durante a estada na capital baiana, Lula é o comandante de "uma jangada com a vela aberta, conduzida hoje pela presidenta Dilma Rousseff".

"O tempo da fruta é no dia 07 de outubro. O tempo da fruta é no dia 28 de outubro", afirmou Wagner, confirmando a expectativa de segundo turno com o candidato Nelson Pelegrino disputando votos até os últimos instantes da eleição.

"Não podemos deixar Salvador na contramão desse projeto", assegurou o governador" (... )"Na hora de entregar a obra, Dilma não olha o partido do governador. Nós estamos fazendo obras nos 417 municípios da Bahia, independentemente de partido", comentou o chefe do executivo estadual, empolgado com o que ele chamou de "virada de Pelegrino".

Pelegrino fez críticas severas aos adversários. "O time de Neto é ele e Imbassahy", disse, evidenciando a aliança entre o DEM e o PSDB na capital baiana, comentando o anúncio da adesão do deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB) à campanha de ACM Neto.
Durante seu discurso, Pelegrino lembrou da influência que o ex-presidente teve na construção de um projeto baseado na melhoria da qualidade de vida da população."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 15 Sep 2012 07:39 AM PDT


Posted: 15 Sep 2012 06:45 AM PDT



"Caminhoneiro José Machado que teve seu prontuário divulgado pela prefeitura não estava mentindo e apareceu novamente na propaganda eleitoral. Disse estar de "alma lavada" e exigiu pedido de desculpas de José Serra, que o acusava de mentir


O caso do caminhoneiro José Machado voltou a se destacar na propaganda eleitoral em São Paulo. Há pouco mais de uma semana, ele deu um depoimento, usado pelo PT, contando que esperava por dois anos para um tratamento de catarata em São Paulo. Alinhada com a campanha de José Serra, a prefeitura divulgou seu prontuário, indicando que ele não tinha a doença. Dias atrás, um laudo apontou que, ao contrário do que informa o prontuário vazado, ele tem sim a doença – o que até José Serra, nitidamente constrangido, confirmou.

Ontem, José Machado voltou a aparecer na propaganda do PT. Num vídeo exibido no programa de Haddad, os tucanos foram acusados de "desmoralizar a vítima". O programa também exibiu novo depoimento de Machado, que disse se sentir "com a alma lavada".

"O estrago que [a contestação] causou na minha vida não tem dinheiro nenhum que apague. Se ele [Serra] não tiver coragem de me pedir desculpa, que pelo menos diga ao jornal: 'Foi engano'", afirmou Machado. O trabalhador concluiu: "Mentira pode fazer parte da cultura deles, não da minha. Não tenho cultura, mas tenho vergonha".


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610



--
Francisco Almeida / (91)81003406
Postar um comentário