quinta-feira, 5 de julho de 2012

Via Email: BRASIL! BRASIL!



BRASIL! BRASIL!


Posted: 04 Jul 2012 05:26 PM PDT


Luis Nassif, Luis Nassif Online

"Na série "O caso de Veja" mostro como 2005 foi um ano de mudanças inexplicáveis da revista em relação a Daniel Dantas. De repente, de grande vilão Dantas torna-se uma vítima, defendida com unhas e dentes pela revista.

O mesmo acontece em relação a José Serra.

Em abril de 2004 o sub-procurador geral da República, José Roberto Figueiredo Santoro, interroga Carlos Cachoeira em plena madrugada no próprio prédio da Procuradoria. O encontro é filmado e aperece no Jornal Nacional. Santoro era o procurador que atuou decididamente em favor de Serra no caso Lunnus - que inviablizou a candidatura de Roseana Sarney nas eleições de 2002.

Na edição seguinte, Policarpo Junior e Alexandre Oltramari saem em defesa de Cachoeira, em uma matéria em que denunciam Serra-Santoro por dossiês contra Roseane, Ciro Gomes e Tasso Jereissati.

No quebra-cabeças para entender a piração midiática, essa peça permite as seguintes conclusões:

1. O pacto Serra-Veja foi posterior a 2004, no mesmo período em que se fecha o pacto Veja-Daniel Dantas. Mais uma coincidência sobre as semelhanças dos dois esquemas - além do esquema midiático que atuava tanto em defesa de Dantas quanto de Serra.

2. Não foi Serra quem aproximou Veja de Cachoeira. Mas, provavelmente, a partir desse episódio, ocorre a aproximação Cachoeira-Veja de Serra.

Governo
Mais perguntas e
nenhuma resposta

O escândalo Waldomiro continua
sem solução e já surge outro com
conexões muito complexas



--------------------------------------

Policarpo Junior e Alexandre Oltramari

O subprocurador-geral da República, José Roberto Figueiredo Santoro, 50 anos, é um homem de múltiplos interesses. É apaixonado por cinema, música clássica e é fluente em quatro idiomas. O subprocurador é sobrinho do físico Alberto Santoro, um dos descobridores da menor partícula da matéria, o top quark, e do músico Cláudio Santoro, autor de catorze sinfonias e um dos grandes maestros brasileiros. Na semana passada, ele apareceu em uma fita cassete, divulgada pelo Jornal Nacional, tentando convencer o bicheiro Carlos Cachoeira a lhe entregar um vídeo no qual um ex-assessor do ministro José Dirceu, Waldomiro Diniz, é flagrado pedindo propina. Na gravação, feita às 3 horas da madrugada no gabinete de Santoro, ouve-se o subprocurador explicar ao bicheiro que se eles forem vistos juntos tão tarde da noite seu chefe na procuradoria, Cláudio Fonteles, indicado pelo PT para o cargo, poderia desconfiar de seu excesso de zelo. "Daqui a pouco o procurador-geral vai dizer assim: 'P..., você tá perseguindo o governo que me nomeou procurador-geral, Santoro, que sacanagem é essa? Você tá querendo ferrar o assessor do Zé Dirceu, que que você tem a ver com isso?' " (veja os principais trechos da gravação).

Na contagem aritmética simples das abóboras políticas do microcosmo de Brasília, a divulgação da fita em que o subprocurador é grampeado foi um alívio para José Dirceu. Na visão do governo, o conteúdo da gravação deixa claro que houve manipulação política da outra fita, a de vídeo, em que Waldomiro pede ao bicheiro Carlos Cachoeira contribuição para campanhas políticas, além de uma propina. O episódio retratado na fita de vídeo ocorreu há dois anos, portanto, antes de Waldomiro se instalar no Palácio do Planalto. Fora do Palácio do Planalto a visão é outra. O surgimento da nova fita não melhora em nada a situação de quem quer que seja. Ela só ajuda a piorar a situação de um número ainda maior de pessoas. Os últimos acontecimentos em Brasília são terríveis para a imagem do Ministério Público, que até então estava fora do escândalo.  


A guerra das fitas sugere que não existe propriamente um Ministério Público, mas ministérios privados, cujos membros teriam lealdade a interesses partidários, e não compromisso exclusivo com o interesse público. Nessa linha de raciocínio, por seu zelo em meter-se na apuração de um escândalo que acabaria estourando no colo de José Dirceu, ex-homem forte do Planalto, Santoro estaria querendo apenas "ferrar" o governo, e não apurar um crime. Santoro pertenceria então ao ministério privado dos tucanos, os oposicionistas do PSDB. Outros procuradores, como o famoso Luiz Francisco de Souza, que se notabilizaram pelo excesso de zelo em apurar desvios do governo passado, o dos tucanos, e até agora não mostraram nenhum empenho em levantar escândalos de petistas, formariam no outro time. Esses últimos seriam, então, procuradores do ministério privado do PT. Péssimo negócio para os brasileiros."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 04 Jul 2012 05:02 PM PDT


"Crimes, que já duram 20 dias, deixam profissionais da capital em tensão; há uma semana, a ViaSul tirou sete linhas de circulação para evitar novos ataques


A violênica que atinge São Paulo já dura 20 dias e até esta terça-feira 3, 17 ônibus haviam sido queimados na capital e em municípios ao redor. Além disso, 11 bases da polícia – sendo dez da Polícia Militar e uma da Guarda Civil Municipal – foram atacadas a tiros, no mesmo período. Segundo levantamento feito pela reportagem do portal UOL, com base em dados da imprensa, o caos já deixou ao menos 30 vítimas, entre policiais e suspeitos.

O incêndio frequente de ônibus deixa os motoristas em grande alerta. Na última quarta-feira, 27, a ViaSul tirou sete linhas de circulação por volta de 19h a fim de evitar mais atentados. Os ônibus deveriam ficar nas ruas até meia-noite e, com a interrupção, prejudicaram parcialmente os bairros Ipiranga, Sacomã, Vila Prudente e Cursino, maior parte na zona sul. Durante o dia, pelo menos três linhas haviam transferido seu ponto final para as proximidades do 83º DP, também por temor de ataques. A empresa não informou se irá implantar novas medidas de segurança para os motoristas.

Os crimes até hoje ocorreram principalmente nas zonas leste e sul de São Paulo, mas há diversas ocorrências em municípios próximos à capital, como Guarulhos e Ferraz de Vasconcelos. Há registros de ocorrências também no litoral e no interior paulista. Ao todo, 34 pessoas foram detidas acusadas de participar de assassinatos de agentes.

Há suspeitas de que os crimes sejam uma forma de retaliação do PCC – Primeiro Comando da Capital – a uma operação da ROTA – Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar –, que aconteceu no final de maio e deixou um líder da facção morto. Segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, 40 PMs foram mortos apenas nesse ano."



Posted: 04 Jul 2012 04:05 PM PDT


"Maior jornal do País, a Folha lança uma revista que será disponibilizada apenas nos tablets, como o iPad e o Galaxy

Brasil 247

Mais do que qualquer outro jornal, a Folha tem tentado aprofundar sua transformação em empresa digital. Há pouco mais de uma semana, numa decisão polêmica, a empresa instituiu seu muro de cobrança, permitindo que não assinantes tenham acesso a apenas 20 textos por mês, na internet. Agora, a Folha está lançando uma nova publicação, a revista semanal "Folha 10", que será disponibilizada apenas nos tablets. Leia, abaixo, o comunicado do grupo:

A Folha lança uma revista exclusiva para tablets, o "Folha 10". Ela reúne dez dos melhores e mais polêmicos textos publicados pelo jornal ao longo da semana, que atualizam o leitor sobre as discussões mais importantes dos últimos dias.

A edição deste domingo tem como destaques o julgamento do mensalão e a crise política no Paraguai.

O suplemento sairá sempre aos domingos e poderá ser lido por assinantes da Folha (da versão impressa ou da digital) e por quem comprar uma edição avulsa do jornal no aplicativo da Apple."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 04 Jul 2012 10:19 AM PDT




Posted: 04 Jul 2012 10:11 AM PDT
Marta afirma que senador se mostrou
um homem mentiroso e manipulador



"A senadora Marta Suplicy (PT-SP) declarou que "Demóstenes Torres, por todas as mentiras que contou e à dupla personalidade que revelou, não tem mais lugar nesta Casa". Ela fez essa afirmação, durante a reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado (CCJ). A comissão vai votar o relatório do senador Pedro Taques (PDT-MT) que defende a cassação do mandato de Demóstenes.

Marta disse que foi uma "grande surpresa" tomar conhecimento das denúncias contra Demóstenes Torres, pois antes ela "acreditava no senador, seja por sua defesa da ética ou por seu brilhantismo como opositor".

– Tínhamos grande admiração por Demóstenes, mas ele se revelou uma pessoa com capacidade de mentir, enganar e manipular como raramente se vê. Uma pessoa com duas personalidades. Que pessoa é essa? – questionou ela.

A senadora lembrou que Demóstenes ganhou um telefone da marca Nextel do contraventor Carlinhos Cachoeira – e que esse mesmo tipo de aparelho havia sido dado por Cachoeira a outros criminosos.

Por sua vez, o relator do processo no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado, Humberto Costa (PT-PE) contestou as críticas feitas pelo advogado de Demóstenes, Antônio Carlos de Almeida Castro – o Kakay.

Humberto disse que, ao citar documentos do Supremo Tribunal Federal em seu parecer, "em nenhum momento foram utilizadas informações que não tivessem sido admitidas pelo próprio senador Demóstenes". Como exemplo desse critério, Humberto Costa mencionou uma gravação que ele não mencionou no relatório porque havia sido contestada por Demóstenes.

– O que averiguamos é se houve contradição entre o que Demóstenes disse e o que ele fez – declarou Humberto Costa, acrescentando que o senador acusado "assumiu uma militância contra os jogos de azar que nunca existiu".
Humberto reiterou que "os fatos são claros, evidentes e indefensáveis: houve grave quebra do decoro parlamentar". O relatório de Pedro Taques que irá a votação ratifica as conclusões do parecer de Humberto Costa."



Posted: 04 Jul 2012 09:54 AM PDT






Posted: 04 Jul 2012 08:59 AM PDT
Lula assiste a documentário ao
lado de sua esposa, Marisa Letícia,
e do prefeito Luiz Marinho


"Durante apresentação de documentário em São Bernardo, ex-presidente afirma que dará prioridade a Fernando Haddad, em São Paulo, e a candidatos do partido no ABC

Redação, Rede Brasil Atual 

"O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acompanhou na noite de ontem (3), em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, a exibição do documentário "Pela Primeira Vez", que mostra a transição de governo entre Lula e a presidente Dilma Rousseff. O filme foi dirigido por Ricardo Stuckert, ex-fotógrafo de Lula na Presidência da República. O curta é produzido em 3D e tem 30 minutos.

Segundo o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), que acompanhou Lula durante a exibição, o ex-presidente reafirmou que pretende participar de campanhas eleitorais do PT – tanto no ABC quanto em São Paulo com Fernando Haddad –, mas somente a partir de "meados de agosto", quando espera estar em melhores condições de saúde. A campanha eleitoral terá início nesta sexta-feira (6).

"Precisamos cuidar para que ele (Lula) evite falar e poupar a voz para que em meados de agosto possa estar 100% e participar, ativamente, da campanha. Se Lula estiver melhor em meados de agosto, dará uma contribuição à campanha de Haddad (em São Paulo) e na região metropolitana, pois ele evitará se locomover de avião. Nas outras cidades do país, que tiver TV, irá gravar vídeos", explicou Marinho. 

Lula não fez discurso e evitou a imprensa. Mas falou rapidamente sobre sua participação nas campanhas. "Lógico (que participará). Estarei nas campanhas de Marinho, Mário Reali (Diadema), Donisete Braga (Mauá) e Carlos Grana (Santo André)", disse.


É a segunda vez que Lula assiste ao documentário, que mostra a transição do seu governo para a presidente Dilma Rousseff. A sessão de ontem aconteceu Centro de Formação de Profissionais da Educação (Cenforpe). Para o ex-presidente, o curta-metragem representa bem o que aconteceu em primeiro de janeiro de 2011. "Pela Primeira Vez é o retrato fiel da passagem do poder para a primeira mulher presidente do país", disse Lula."
Foto: Rodrigo Pinto/ABCD Maior


Posted: 04 Jul 2012 08:08 AM PDT
Conceição Lemes, Vi o Mundo

"Nesta quinta-feira 5, haverá reunião administrativa da CPI do Cachoeira para decidir as próximas oitivas e quebras de sigilo. Entre os requerimentos a serem votados, estão as convocações de:

Fernando Cavendish, ex-presidente da  Delta Construções. Há suspeitas de que a Delta, durante a sua presidência, teria vínculos com o esquema do bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Luiz Antonio Pagot, ex-diretor-geral do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit) do Ministério dos Transportes. Ele relatou a influência do bicheiro na sua demissão do Dnit.

Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, ex-diretor da Dersa. São Paulo fez contratos de quase um bilhão com a Delta; R$ 178, 5 milhões, celebrados nas gestões Alckmin (2002 a março de 2006 e de janeiro de 2011 em diante) e R$ 764,8 milhões no governo Serra (janeiro de 2007 a abril de 2010). Paulo Preto assinou o maior deles. A Dersa contratou em 2009 a Delta para executar a ampliação da marginal do Tietê por R$ 415.078.940,59 (valores corrigidos). Pela Delta, assinou Heraldo Puccini Neto, que teve a prisão preventiva decretada em abril e continua foragido.

Adir Assad, empresário de São Paulo que atua nos segmentos de construção civil e eventos. Suas empresas, entre as quais a SM Terraplenagem, receberam cerca de R$ 50 milhões da Delta.

Raul Filho, prefeito de Palmas, Raul Filho (PT-TO). Apareceu em vídeo divulgado no último domingo, negociando doações com o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

"Cavendish, Pagot, Paulo Preto, Raul Filho e Adir Assad estão entre os nomes que serão apreciados no dia 5", informa ao Viomundo o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), vice-presidente da CPI do Cachoeira. "Mas não dá para adiantar quem será e quem não será chamado já. O que eu posso garantir é que todos os nomes relacionados com a organização criminosa do senhor Carlinhos Cachoeira serão investigados. A CPI não vai blindar quem quer que seja."

"O saldo da CPI na última semana foi muito positivo", prossegue. "A casa do Marconi Perillo caiu. Além disso, tivemos demonstrações de que essa organização criminosa continua muito ativa e articulada, apesar do Cachoeira preso."

Viomundo – Mas a CPI suspendeu algumas convocações e nessa terça-feira nenhuma das quatro pessoas convocadas para depor compareceu. 

Paulo Teixeira – Quanto à suspensão de alguns requerimentos, nós decidimos por isso até que tivéssemos acesso à quebra do sigilo bancário, já que CPI tem mais condições de fazê-lo do que a Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF). Essas informações começam a chegar e vão nos permitir avançar em todo o braço dessa organização criminosa.
Quanto ao não comparecimento de algumas testemunhas, isso acontece em qualquer CPI. Mas as quatro serão reconvocadas. A saber: Rosely Pantoja da Silva, sócia da Alberto & Pantoja, empresa fantasma de Cachoeira; Edivaldo Cardoso, ex-presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de Goiás; o policial aposentado Joaquim Gomes Thomé Neto, acusado de ser um dos espiões do bicheiro; e Ana Lorenzo, dona da Serpes Pesquisa de Opinião e Mercado, contratada para a campanha do governador goiano, Marconi Perillo (PSDB), em 2010 e que, segundo a Polícia Federal, recebeu cheques do esquema de Cachoeira.

Viomundo – A mídia tem feito avaliações negativas dos trabalhos da CPI. Como analisa o papel dela até o momento?

Paulo Teixeira — A CPI surgiu de uma investigação da Polícia Federal com o acompanhamento do Ministério Público Federal que resultou numa decisão judicial que levou à prisão os principais líderes de uma organização criminosa bem organizada, com raízes muito profundas, e que operava a partir do estado de Goiás.

A CPI está complementando esse trabalho que, aliás, foi muito bem feito. A CPI está dissecando todo o fluxo de recursos da organização criminosa: quais empresas alimentavam-na e quais ela alimentava. Ou seja, origens, destinos, valores…


A CPI tem agora uma equipe grande de técnicos do Banco Central, Controladoria Geral da União (CGU), Tribunal de Contas da União, Polícia Federal, Senado, que está analisando os dados. São técnicos fazendo uma análise financeiro-contábil da circulação do dinheiro. Nós queremos ter um diagnóstico rápido da organização e provas consistentes para levar a julgamento célere as pessoas envolvidas."
Entrevista Completa, ::AQUI::


Posted: 04 Jul 2012 07:59 AM PDT


Eduardo Guimarães, Blog da Cidadania

"Vai passando despercebido um fenômeno poucas vezes visto na década passada e que era raro até há pouco tempo, mas que parece estar crescendo. Colunistas e comentaristas de renome na grande mídia estão eventualmente divergindo dos patrões – ou, se preferirem, da "linha editorial" dos veículos nos quais trabalham.

Ao longo dos últimos anos uma voz se levantou contra as posições monolíticas que aprisionavam todos os colunistas e comentaristas da grande mídia, sem qualquer exceção de relevo. Paulo Moreira Leite, colunista da Época, em seu blog hospedado no portal da Globo passou a divergir abertamente da ideologia e das posições políticas dos patrões.

Recentemente, mais dois jornalistas da Globo passaram a divergir da empresa pontualmente, coisa que não faziam em questões nas quais a grande mídia "fechava questão". Ricardo Noblat e Miriam Leitão se rebelaram, em alguma medida.

Noblat, por exemplo, chegou a reconhecer a inexistência de provas ou indícios contra o governador petista Agnelo Queiróz e a existência de fartura de provas contra o tucano Marconi Perillo no que diz respeito às relações de ambos com Carlinhos Cachoeira. Além disso, tem se posicionado claramente contra o golpe no Paraguai.

Miriam Leitão, por sua vez, apóia a Comissão da Verdade sem investigação "dos dois lados", farsa que pretende nivelar os crimes da ditadura à resistência a ela. E também condenou o golpe no país vizinho, ainda que tenha estragado tudo comparando a situação do Paraguai à da Venezuela, onde a democracia funciona de forma impecável no que diz respeito à vontade eleitoral do povo.

Já na Folha de São Paulo, Jânio de Freitas, que era o único a divergir de verdade da linha editorial e com frequência menos pífia, vem aumentando o próprio tom em um coro de divergentes do qual, talvez, tenha sido pioneiro. Também reconheceu a farsa contra Agnelo e foi peremptório ao condenar o golpe no Paraguai, no que teve a companhia de Clóvis Rossi."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 04 Jul 2012 07:22 AM PDT


"Revelação está em vídeo periciado pela Polícia Federal; nas imagens, Mino Pedrosa, assessor do bicheiro, diz ao araponga Dadá, que petistas morderam uma isca preparada por tucanos; caso levou eleição presidencial de 2006 ao segundo turno; "tem que f... o barbudo", comemorava o araponga Dadá, referindo-se ao ex-presidente Lula

Brasil 247

Há duas semanas, o juiz federal Paulo Cézar Alves Sodré, da 7ª Vara Criminal de Mato Grosso, abriu uma ação penal contra petistas envolvidos num escândalo que ficou conhecido como o "Dossiê dos Aloprados". Às vésperas da eleição presidencial de 2006, eles foram presos num hotel em São Paulo com R$ 1,7 milhão em espécie. O dinheiro serviria para plantar denúncias contra José Serra, que, naquele ano, disputou o governo de São Paulo contra Aloizio Mercadante.

Entre os envolvidos, havia figuras próximas ao ex-presidente Lula, como seu amigo Jorge Lorenzetti, conhecido como o "churrasqueiro" do Palácio do Planalto. À época, foi Lula quem definiu os personagens do escândalo como "aloprados". Apesar do seu repúdio à montagem do dossiê, a imagem do dinheiro apreendido, no Jornal Nacional, ajudou a levar a eleição presidencial, contra Geraldo Alckmin, ao segundo turno.

O caso, no entanto, pode ter agora uma reviravolta. Um vídeo apreendido pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo sinaliza que o bicheiro Carlos Cachoeira pode estar por trás da armação. Nas imagens, o jornalista Mino Pedrosa, que foi assessor de Cachoeira, conversa com o araponga Dadá, membro da quadrilha, sobre o caso. E diz que o PSDB preparou uma armadilha, na qual o PT o caiu. Dadá, então, comemora. "Tem que f... o barbudo", referindo-se a Lula.

Leia, abaixo, texto de Marcelo Auler, no Jornal do Brasil:

Em um dos vídeos apreendidos na casa de Adriano Aprígio, ex-cunhado do bicheiro Carlinhos Cachoeira, o ex-sargento da Aeronáutica Idalberto Matias de Araújo, o Dadá, comemora o envolvimento de petistas no chamado Escândalo dos Aloprados.

Em setembro de 2006, às vésperas do início da propaganda eleitoral na televisão, petistas foram presos em um hotel em São Paulo com R$ 1,7 milhão. Com o dinheiro pretendiam comprar um dossiê que supostamente envolvia o tucano José Serra - então candidato à presidência da República - com o desvio de verbas do orçamento destinadas à compra de ambulâncias. O escândalo prejudicou Lula, que concorria à reeleição e esperava ganhar no primeiro turno, o que não aconteceu.

O vídeo apreendido, já periciado pela Polícia Federal, mostra uma conversa entre o jornalista Mino Pedrosa e Dadá, o araponga que atendia à quadrilha do bicheiro. Pedrosa relata que o PSDB armou a história do dossiê e o "PT caiu nela".
O araponga vibra e comemora: "Tem que f..... o Lula! Tem que f..... o barbudo!"



Posted: 04 Jul 2012 07:06 AM PDT


Extra / Valor Online

"O movimento dos consumidores nas lojas de varejo de todo o país aumentou 7,6% no primeiro semestre deste ano, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio. O desempenho, contudo, é o menor desde 2010. Em junho, o movimento caiu 0,2% na comparação com maio.

No primeiro semestre de 2010, a atividade cresceu 10,7% ante o mesmo período do ano anterior. Em 2011, avançou 9,6%.

A Serasa Experian avaliou que os elevados níveis de endividamento e de inadimplência impediram um desempenho mais favorável da atividade varejista nos primeiros seis meses de 2012.

A situação fez com que os consumidores priorizassem o pagamento de dívidas em vez de contraírem novos financiamentos."
Matéria Completa, ::AQUI::


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610



--
Francisco Almeida / (91)81003406

Postar um comentário