terça-feira, 3 de abril de 2012

Via Email: BRASIL! BRASIL!




BRASIL! BRASIL!


Posted: 02 Apr 2012 06:48 PM PDT




Posted: 02 Apr 2012 06:44 PM PDT


"No Brasil, estamos assistindo estupefatos ao descortinamento do conúbio inacreditável entre setores da mídia e crime organizado: gravações feitas pela Polícia Federal com autorização da Justiça revelam que a maior revista do pais, "Veja", teria sido regularmente pautada por bandidos que usam espiões privados, alguns egressos do antigo SNI, para muitas vezes forjar escândalos. O artigo é de J. Carlos de Assis.

J. Carlos de Assis, Carta Maior

Décadas atrás li a autobiografia do general Reinhard Gehlen, o chefe da espionagem alemã no Leste europeu durante a Segunda Guerra, o qual, com o fim desta e a derrota de Hitler, salvou a própria cabeça e as cabeças de seus auxiliares mais próximos vendendo aos americanos seus arquivos e sua rede de contatos no coração da União Soviética. Tornou-se uma legenda, pela eficiência com que organizou, nas duas situações – sob Hitler, e sob os americanos -, sua excepcional rede de espionagem contra os soviéticos.

O fim da guerra deveria ter significado também o seu fim. Precavido, antes da derrocada final alemã enterrou algo como 50 barris de microfilmes em montanhas da Áustria para negociá-los com os vencedores. Deu certo. Gehlen acabou conquistando a confiança dos americanos, e da própria CIA, transferindo para eles sua lealdade e, principalmente, seus arquivos materiais e mentais. Na antiga função, notabilizara-se sobretudo por ter sob seu comando centenas de brilhantes jovens espiões, recrutados entre a elite dos exércitos alemães. Na nova, manteve esses critérios.

Cerca de 4 mil agentes do antigo Reich foram "transferidos" para os serviços de espionagem da nova Alemanha dirigidos por Gehlen. Foram fundamentais para a organização de um serviço de informação ocidental direcionado contra os soviéticos. Antes, não havia nenhum sistema de espionagem estruturado nesse sentido pelos americanos. Sem os serviços de Gehlen, e sem essa "transferência", os Estados Unidos teriam uma tremenda dificuldade na condução ideológica de seu lado na Guerra Fria, que não se limitava apenas à espionagem, mas também à comunicação.

Essas reminiscências me vieram à mente com o fim da União Soviética, e com a pergunta óbvia: O que foi feito do imenso aparato de espionagem, informação e contra-informação soviético, deixado sem pai nem mãe enquanto o Estado se desestruturava no desgoverno Yeltsin? Sabemos que algo dele sobreviveu nas mãos de Putin, mas até que este antigo homem de informação assumisse o poder dezenas de milhares de espiões de dentro e de fora da União Soviética perderam privilégios e rendas, sendo forçados a buscar outros meios de vida."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 06:26 PM PDT


"Na época, 'ninguém tinha idéia do que estava acontecendo', afirmou o presidente da entidade

O Estado de S. Paulo

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, pediu no final de semana a renúncia do senador Demóstenes Torres. Mas em 2010 coube ao hoje parlamentar investigado a tarefa de redigir o prefácio de um livro editado pela OAB em comemoração à aprovação da Lei da Ficha Limpa.

No texto, após elogiar a atuação da entidade no processo de aprovação da lei, Demóstenes Torres afirmou: "Por causa da nova lei, a nação vai conquistar muito, pois o volume de recursos para beneficiar a população é inversamente proporcional ao número de bandidos abrigados na vida pública."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 06:09 PM PDT


Mariana Jungmann, Agência Brasil

"O processo de expulsão do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) ainda nem começou e o presidente do Democratas, senador José Agripino Maia (RN), já dá a saída dele como certa. Para Agripino, Demóstenes foi "uma decepção" e "dificilmente o partido não tomará essa posição" de expulsá-lo.

"O incômodo partidário está posto. A Casa, o Senado, está em xeque. A classe política, como um todo, também está. Mas quem mais está em xeque é a formulação programática do partido. É a conduta partidária do Democratas, que não convive com a perda do padrão ético", declarou o presidente do DEM após reunião com a cúpula do partido em sua casa, em Brasília.

Na opinião de Agripino Maia, Demóstenes Torres reiteradamente se desviou da conduta partidária quando se relacionou intimamente com o controlador do jogo do bicho no estado de Goiás, Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Gravações telefônicas feitas pela Polícia Federal flagraram o senador e o bicheiro em conversas nas quais tratam de dinheiro, de informações privilegiadas e do destino de projetos de lei que interessavam a Cachoeira. Além disso, o próprio senador admitiu que recebeu como presente de casamento de Carlinhos Cachoeira eletrodoméstico no valor de R$ 30 mil."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 05:57 PM PDT


Cláudio Lembo, Terra Magazine

"O noticiário da vida pública nacional é estarrecedor. Todos os dias - sem qualquer pausa - surgem novos escândalos. É cenário apocalíptico. Ninguém se salva.

Em matéria de igualitarismo, chegamos a um ponto comum. Todos são igualmente pecadores. Uns mais, outros menos. Todos um pouco. Há um caldo cultural a envolver toda a coletividade.

Certamente, alguns protestarão. Comigo não. Sou honesto! Será? Quem nunca violou um sinal vermelho de trânsito como motorista ou pedestre? A resposta negativa será rara.

As pequenas e as grandes infrações indicam, apesar dos múltiplos graus, fragilidade moral, ou a mesma doença que envolve toda a sociedade: a corrupção dos valores estabelecidos.

É lamentável a presença de senadores, deputados, magistrados e membros do Executivo em assuntos dúbios, isto quando não marcados pela criminalidade.

As explicações para este estado de coisas são muitas. O consumismo torna as pessoas insensíveis aos valores morais. O que vale é possuir. Depender. Ostentar.

Já não importa o velho conceito de honra. Ninguém mais está preocupado em se mostrar integro. O importante é oferecer uma imagem de vitorioso.

Ora, esta situação avassaladora encontrou uma sociedade acostumada a se orientar pelo padre, pelo juiz ou pelo delegado. Assim era em qualquer pequena cidade do interior do País."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 05:47 PM PDT


Eduardo Guimarães, Blog da Cidadania

"É compreensível que gente como Reinaldo Azevedo e Ricardo Noblat esteja tentando vender a teoria de que as provas dos crimes do senador Demóstenes Torres não podem ser usadas porque, devido ao cargo que ocupa, só poderia ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal ou sob sua autorização.

Chega ao blog informação de que Demóstenes estaria fazendo ameaças à mídia, aos seus pares do DEM e até a pelo menos um membro do STF no sentido de que, caso seja estraçalhado, levará muitos ex-amigos consigo para o cadafalso.

O senador bandido está disposto a tudo para não perder o mandato simplesmente porque, sem imunidade parlamentar, dificilmente deixará de ir fazer companhia ao seu amigão Carlinhos Cachoeira lá no PF Hilton.

Demóstenes estaria ameaçando revelar que veículos como a Veja saberiam de suas atividades criminosas e que nada revelavam porque ele os municiava com informações contra o PT, entre outros favores que lhes prestaria na "Câmara Alta".

Enquanto isso, DEM, PSDB, editora Abril e Globo estariam propondo acionar sua bancada no STF para trocar a decapitação política de Demóstenes pelo adiamento do julgamento do mensalão, que deveria ocorrer em maio. Até porque, após o STF se pronunciar pela impunidade de Demóstenes, não teria como julgar o mensalão."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 05:34 PM PDT


Ricardo Kotscho, Balaio do Kotscho

"Enquanto  o Brasil todo não fala de outra coisa, não dá para mudar de assunto. Demóstenes vai renunciar? Vai pedir licença? Vai ser cassado? Ou vai sair assobiando como se não fosse com ele?

A semana começa com novas revelações dos incríveis diálogos entre  Professor & Doutor, como carinhosamente se tratavam o "empresário de jogos" Carlinhos Cachoeira e o ainda senador Demóstenes Torres (DEM-GO), que se tornou conhecido como o Grande Catão de Goiás.

Se alguém falasse em Professor & Doutor duas semanas atrás, poderíamos imaginar que se tratava apenas de mais uma dupla do gênero sertanejo universitário, o sucesso musical do momento.

Cachoeira está provisoriamente fora de circulação, hospedado no presídio de segurança máxima em Mossoró, no Rio Grande do Norte, onde dificilmente terá um dia a companhia do seu grande parceiro. Caso contrário, os dois poderiam pensar nesta ideia se tiverem que mudar de ramo."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 05:28 PM PDT


"O procurador e senador Demóstenes Torres, que sempre tentou passar uma imagem de figura acima de qualquer suspeita, sendo um dos grandes críticos do atual governo federal, agora é apanhado "com a boca na botija"

Marcos Lucena, Brasil 247

Há quem diga que a expressão falso-moralismo é pleonasmo, pois todo moralismo é falso. Mas que choca, choca. Quem não lembra da reportagem de Roberto Cabrini onde o Monsenhor Luiz Marques, o maior moralista da cidade de Arapiraca-AL, que expulsava mulheres com decote de suas missas, sendo flagrado em cenas de pedofilia com seus coroinhas? O procurador e senador Demóstenes Torres, que sempre tentou passar uma imagem de figura acima de qualquer suspeita, sendo um dos grandes críticos do atual governo federal, agora é apanhado "com a boca na botija".

Com o sistema eleitoral vigente no Brasil, está difícil existir essa pessoa acima de qualquer suspeita. Não é segredo que, afora raríssimas exceções como Tiririca e Romário, cuja fama serviu de trampolim para se elegerem deputados, é preciso gastar muita grana para se eleger. É só consultar no site dos Tribunais Eleitorais a previsão de gastos de campanha que veremos os milhões utilizados (isso sem considerar a existência de caixa dois de campanha). Como ninguém torra milhões do próprio bolso em campanhas eleitorais, surge a figura dos patrocinadores de campanha, que após elegerem seus patrocinados, solicitam favores pessoais àqueles representantes "do povo". Isso vale para qualquer partido. O sistema é que está corrompido.

Para os mais novos, que cresceram ouvindo falar de mensalão, petralhas etc., sendo o DEM o partido da ética, deve ter sido decepcionante. Não sabem que o DEM é o velho PFL, partido que estava tão queimado, que para sobreviver teve que mudar de nome e entregar o comando a outra geração de políticos, como filhos e netos de medalhões da política brasileira.

Como o povo anda dizendo, ainda tem muita água pra rolar nessa CACHOEIRA!"


Posted: 02 Apr 2012 12:54 PM PDT




Posted: 02 Apr 2012 12:48 PM PDT


"Andamento do processo depende de indicação do presidente do colegiado, que cabe ao PMDB

Ricardo Brito, Agência Estado / estadão.com.br

Os senadores Alvaro Dias (PSDB-PR) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) afirmaram nesta segunda-feira, 2, que vão cobrar do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que antecipe a reunião do Conselho de Ética para avaliar a representação do PSOL que pede a abertura de processo por quebra de decoro contra o ex-líder do Democratas Demóstenes Torres (GO). O parlamentar foi flagrado em grampos telefônicos defendendo interesses do empresário do ramo dos jogos Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Na semana passada, o conselho marcou uma reunião para a próxima terça-feira, dia 10, para eleger seu novo presidente. O cargo está vago desde setembro do ano passado, mês em que o senador João Alberto (PMDB-MA) deixou a Casa para ocupar um cargo no governo de Roseana Sarney. O presidente interino Jayme Campos (MT), que é do mesmo partido de Demóstenes, já se declarou impedido para conduzir o processo que envolve seu colega do DEM."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 12:39 PM PDT


"Extensão da Operação Monte Carlo ameaça julgamento rápido do maior escândalo do governo Lula; os dois casos estão nas mãos do ministro Ricardo Lewandowski; um lado, já vê sinais de conspiração; o outro, fará de tudo para postergar o processo

Brasil 247

O julgamento do século no Brasil, que poderia ocorrer em maio deste ano, corre o risco de ser adiado. Trata-se do processo do Mensalão, que será relatado pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, o mesmo que ficou também encarregado de conduzir a investigação criminal contra o senador Demóstenes Torres (DEM/GO), que, aparentemente agia como sócio e lobista do bicheiro Carlos Cachoeira. Há ministros do STF, que defendem o julgamento rápido do caso. É o caso, por exemplo, de Joaquim Barbosa e Marco Aurélio Mello. Outros, como Lewandowski e Carmen Lúcia, têm sinalizado que seria melhor que isso ocorresse depois das eleições municipais deste ano, para que um julgamento técnico não se transforme em julgamento político.

Em resumo, o escândalo decorreu de três reportagens. A primeira, de Policarpo Júnior, em Veja, foi o filme de Maurício Marinho recebendo uma propina de R$ 5 mil nos Correios, uma estatal que, à época, era comandada pelo PTB de Roberto Jefferson. Em seguida, Jefferson, sentindo-se traído pelo PT, concedeu duas entrevistas à jornalistas Renata Lo Prete. Na primeira, disse que havia o Mensalão -- um esquema de compra de apoio parlamentar. Na segunda, afirmou que este esquema era operado pelo publicitário Marcos Valério de Souza. A terceira reportagem da série, assinada por Leonardo Attuch, responsável pelo 247, na Istoé Dinheiro, foi a entrevista com Fernanda Karina, secretária de Valério, que deu consistência e credibilidade às denúncias de Jefferson, na condição de testemunha."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 12:21 PM PDT


Redação, CartaCapital

"Corra às bancas para adquirir a CartaCapital. Mas não em Goiás, de onde sumiu… Tem matéria que expõe relações suspeitas do governador Marconi".

O alerta é do deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ). Foi distribuído a seus 22,5 mil seguidores no Twitter após saber que a edição número 691 da revista havia supostamente desaparecido das bancas no estado (Leia mais AQUI). A reportagem de capa, assinada por Leandro Fortes, mostra como o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, influenciava a montagem do governo Marconi Perillo (PSDB) em Goiás.


Anunciado por leitores, o suposto boicote lembra uma prática comum na Bahia dos tempos de Antonio Carlos Magalhães – ou em lugares onde edições de jornais e revistas desapareciam conforme contrariavam os interesses dos mandatários locais. Como os tempos são outros, CartaCapital disponibiliza a íntegra da reportagem em seu site (leia clicando AQUI), para que nem em Goiás nem no Japão os leitores sejam privados da informação.


A reação na internet à notícia foi quase imediata.


"Sumir com revista de bancas de jornais, por matéria que incomoda –aconteceu hoje em Goiás com a CartaCapital – é ação fascista", prossegue o deputado.


O deputado integra a Frente de Combate à Corrupção – grupo de parlamentares que pede informações e documentos sobre o possível envolvimento de deputados federais nas ações investigadas pela Operação Monte Carlo, da Polícia Federal.


O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) disse a CartaCapital que também foi procurador no fim de semana por leitores se queixando do suposto sumiço das revistas."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 12:13 PM PDT


Redação, Rede Brasil Atual

"A Executiva Nacional do DEM recebe ainda hoje (2) as explicações do senador Demóstenes Torres (GO) sobre o envolvimento com o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, detido durante a Operação Monte Carlo da Polícia Federal. 

O presidente da sigla, José Agripino Maia (RN), afirmou que será "uma conversa definitiva" com o parlamentar, ameaçado de expulsão depois que ficaram comprovadas, por meio de escutas telefônicas divulgadas por diversos veículos de comunicação, as relações estreitas com Cachoeira. "Temos de ouvir as explicações dele. Não vou antecipar uma conversa que nem tive (com Demóstenes Torres). Seria uma falta de habilidade de minha parte antecipar os rumos de uma conversa que ainda não tive", disse à Agência Brasil."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 12:03 PM PDT


Agência Brasil

"O governo autônomo da Catalunha, na Espanha, anunciou hoje (2) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi o vencedor do 24º Prêmio Internacional Catalunha 2012. A informação foi divulgada pelo Instituto Lula.

O ex-presidente venceu por unanimidade a eleição, na qual concorriam 177 personalidades de 57 países. Durante o anúncio do prêmio, o presidente do governo catalão, Artur Mas, disse que a escolha de Lula foi motivada pela luta que o ex-presidente travou em seus dois mandatos pelo crescimento econômico do Brasil e para "erradicar a pobreza e a miséria" do país.

Na cerimônia, foi lida uma carta em que Lula manifesta "alegria e orgulho" pelo prêmio. "[O prêmio é] "uma conquista que reforça a minha convicção na importância de lutar por uma sociedade mais justa e democrática, sem fome e sem miséria", diz o ex-presidente na carta.

De acordo com o Instituto Lula, o júri, presidido pelo escritor e filósofo Xavier Rubert de Ventós, também elogiou a política adotada pelo ex-presidente, "a serviço de um crescimento econômico justo, que colocou seu país à frente da globalização".

O Premio Internacional Catalunya é concedido anualmente desde 1989 a personalidades internacionais dos meios político, econômico e cultural. Entre os homenageados anteriores incluem-se os ex-presidentes ou primeiros-ministros Jimmy Carter, dos Estados Unidos, em 2010; Vaclav Havel, da República Tcheca, e Richard von Weizsacker, da Alemanha, em 1995; Jacques Delors, da França, em 1998; os intelectuais Edgar Morin, da França, em 1994, Karl Popper, da Áustria e naturalizado britânico, em 1989, e Claude Lévi-Strauss, da França, em 2005."


Posted: 02 Apr 2012 11:58 AM PDT


"Golpe de 1964 chega, neste domingo, aos 48 anos

Cerca de 300 manifestantes fazem um ato contra o golpe militar de 1964 em frente ao cemitério da Consolação, na região central de São Paulo. Eles querem lembrar os 48 anos do golpe e cobram punição para os responsáveis pelos crimes da ditadura. Organizado por grupos políticos, de teatro e de samba, o protesto quer mostrar e punir aqueles que também se uniram aos militares durante os anos de chumbo. Os manifestantes ocupam a pista de subida da Rua da Consolação com um carro de som. O protesto é pacífico.

Na quinta-feira passada, terminou em confusão, corre-corre e pancadaria um protesto contra a comemoração pela passagem dos 48 anos do golpe militar de 1964, no Rio de Janeiro. Cerca de 300 militares da reserva participavam do evento, chamado de "1964 — A Verdade", na sede do Clube Militar, enquanto representantes de PT, PCB, PCdoB, PSOL, PDT e outros movimentos sociais de esquerda, fizeram a manifestação na frente das duas entradas do prédio. Uma pessoa foi detida e duas ficaram feridas.

Em São Paulo, o protesto seguirá por pontos do centro que lembram, de alguma maneira, a ditadura. Um deles é a Rua Maria Antônia, onde houve confrontos entre estudantes da Universidade Mackenzie, entre eles integrantes do Comando de Caça aos Comunistas, e alunos da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade São Paulo, que culminaram com a morte de um jovem. O protesto deve ser encerrado em frente à antiga sede do Departamento de Ordem Política e Social (Dops).
Foto: Michel Filho / O Globo
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 11:49 AM PDT



"Um jovem pesquisador brasileiro sustenta: EUA e Europa querem minar a aliança das periferias, porque não aceitam dividir poder global

Gabriel Elizondo, Al Jazeera / Outras Palavras

Oliver Stuenkel (na foto abaixo) fez parte da delegação brasileira para o fórum acadêmico Track II, em preparação para a Cúpula de Nova Délhi para líderes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (BRICS), que aconteceu na quinta feira.


Stuenkel é especializado nas relações do Brasil com a Índia, mas também foca mais amplamente suas pesquisas nos BRICS. Ele é atualmente professor de Relações Internacionais na Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo. Também coordena um blog chamado Post Western World, que olha como as potências emergentes estão mudando o mundo.


Abaixo, estão partes de minha entrevista com Stuenkel, na qual ele lança luz sobre o Brasil e as perspectivas e desafios que os BRICS enfrentam. Ele também contraria aqueles que dizem que os BRICS falharam.


Oliver Stuenkel: Ser parte dos BRICS é muito importante por que o conceito tem implicações geopolíticas. O país é visto como uma ameaça potencial aos poderes estabelecidos. E o Brasil tradicionalmente tem estado distante das áreas e temas mais importantes do mundo. Nunca fora visto antes como uma ameaça potencial, ou um país poderoso, com impacto relevante na situação global. Mas ser parte dos BRICS muda esta percepção, em algum grau. A aliança faz do Brasil um ator muito mais importante, na perspectiva europeia e norte-americana.


Penso que há, no Brasil, uma grande consciência de que ser parte dessa aliança, ou grupo, pode permitir participar, por exemplo, no debate sobre a emergência da Ásia. Isso é importante porque, até a inclusão da África do Sul, os BRICS eram basicamente três países (China, Rússia e Índia) que fazem parte da massa territorial da Eurásia. O Brasil é muito distante deles, geograficamente. Combinado com o fato de que Rússia, Índia e China se conhecem há muito tempo, isso contribuiu para o fato que, até a África do Sul se juntar, o Brasil manter-se como um estranho. A inclusão dos sul-africanos ajudou os BRICS a assumirem dimensão global, capaz de representar mais continentes. Também fez com que o Brasil se sentisse menos excluído.


A China ultrapassou os Estados Unidos, como maior parceiro comercial do Brasil. A relação do Brasil com os BRICS tornou-se mais importante que a relação com os Estados Unidos, ou até mesmo o Mercosul?


Stuenkel: É difícil responder isso, mas o governo brasileiro continua a focar na sua própria região. Existe um forte reconhecimento, no Brasil, de que o país sempre será parte da América do Sul e de que os laços econômicos e políticos com essa região sempre serão uma prioridade. No que diz respeito aos Estados Unidos, acredito que há uma divisão na liderança brasileira. Durante o governo Fernando Henrique Cardoso, a maioria dos políticos diriam que os EUA eram absolutamente uma prioridade. Mas agora, com os governos de Rousseff e Lula, existem pessoas tentando equilibrar as duas. Acredito que o Brasil nunca escolher entre os BRICS ou os Estados Unidos – sempre haverá um certo equilíbrio."
Entrevista Completa, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 09:59 AM PDT


Leandro Fortes, CartaCapital

"Restritas ao noticiário local de Goiânia, as informações sobre uma "minirreforma" no secretariado do governador de -Goiás, Marconi Perillo (PSDB), são o primeiro sinal de que suas ligações com o esquema -conjunto do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) e do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, prometem levar a crise para dentro do governo goiano.

Transformado em menos de um mês em zumbi político, Torres agoniza pelos corredores do Senado, agora sob risco de ser cassado. Mas não deve naufragar sozinho, se as investigações da Polícia Federal forem aprofundadas. Novos documentos, gravações e perícias que integram o relatório da Operação Monte Carlo, revelados com exclusividade por CartaCapital, apontam uma total sinergia entre o esquema do bicheiro, o senador e o governo de Marconi Perillo.

Em uma interceptação telefônica de 5 de janeiro de 2011, os agentes federais registraram uma conversa entre Cachoeira e seu principal auxiliar, Lenine Araújo de Souza, vulgo Baixinho. Na conversa, o bicheiro, a partir de um telefone em Miami, recebe a notícia de que um de seus indicados para o governo de -Goiás, identificado apenas por Caolho, acabou preterido, sem maiores explicações e aparentemente sem o conhecimento do governador. Segundo homem na hierarquia e braço operacional de Cachoeira, Souza administrava e operava o sistema de contabilidade da quadrilha. Também era responsável pelo pagamento de boa parte das propinas a agentes públicos, em troca de proteção e informação.

"Marconi, hora que souber disso (sic), vai ficar puto", reclama o bicheiro, no telefonema a Souza. E acrescenta, a seguir: "Já mandei avisar ele (sic)". Mas adiante, revela, por duas vezes, a ordem dada ao senador Torres para entrar no caso e falar diretamente com o governador. "O Demóstenes já está ligando para ele", garante Cachoeira.

Mais adiante, no mesmo grampo, o bicheiro pede a Souza para tomar providências e entrar em contato com Eliane Gonçalves Pinheiro, chefe de gabinete do governador. Ela chegou ao cargo no início do ano passado, depois das eleições de 2010, na qual foi responsável -pela arti-culação do tucano para que prefeitos do PP aderissem à campanha do PSDB ao governo estadual. Até então, era ligada ao ex–secretário extraordinário de Assuntos Estratégicos de Goiás Fernando Cunha, importante liderança tucana no estado, falecido em novembro de 2011. Segundo as investigações da PF, uma filha de Cunha é casada com um irmão de Cachoeira."
Foto: Gustavo Moreno/CB/D.A Press
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 02 Apr 2012 09:51 AM PDT


"Paralisação vai até quarta-feira, quando haverá nova assembléia

Lauany Rosa, Rede Brasil Atual

Profissionais de educação da rede municipal de ensino de São Paulo fazem greve de hoje (2) até quarta-feira (4). A paralisação tem como objetivo reivindicar melhores condições de salário e trabalho. A rede pública municipal paulistana possui mais de 74 mil profissionais em exercício.

A greve foi decidida durante assembleia na última quarta-feira (28), após a administração Gilberto Kassab (PSD) não atender às reivindicações salariais e se posicionar a favor da decisão do Tribunal de Justiça de que todas as creches e pré-escolas municipais deverão funcionar durante as férias escolares.

A categoria decidiu centralizar os esforços da campanha salarial nas seguintes reivindicações: aumento do piso salarial; fim dos contratos de terceirização de serviços e rede indireta; redução da jornada de trabalho para 30 hora semanais, sem redução de salário; antecipação dos índices de reajustes garantidos para 2013 (10,19%) e de 2014 (13,43%); redução do número de alunos por sala de aula; melhoria do atendimento médico hospitalar; e atendimento à demanda em todas as modalidades de ensino.

Na quarta, a partir das 14h, os professores voltam a se reunir em assembleia na Praça do Patriarca, no centro da cidade, para decidir se darão continuidade à greve."


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610





--
Francisco Almeida / (91)81003406

Postar um comentário