terça-feira, 5 de julho de 2011

Marajó, um dos destaques das férias de julho, no Pará

Agência Pará de Notícias:
"Um dos Estados mais exuberantes e atraentes do Norte do Brasil, com seus 143 municípios e seis polos turísticos, o Pará reúne inúmeros elementos que impulsionam a atividade turística: cultura, natureza, sol, praia de rio e de mar, artesanato, gastronomia típica influenciada pelas culturas indígena, negra e europeia, e uma biodiversidade única. Esses atrativos chamam a atenção de turistas do mundo inteiro ao longo do ano. Nestas férias de julho, os municípios já começam a receber reservas de visitantes de vários países e organizam boas programações de veraneio.

Segundo a Companhia Paraense de Turismo (Paratur), são 14 os principais destinos mais procurados, por terem melhores condições de acessibilidade e infraestrutura turística para receber grandes demandas, e ainda pela maior variedade de elementos capazes de agradar a todo tipo de turista. São eles: Belém (polo Belém), Soure (polo Marajó), Santarém e vila de Alter do Chão (polo Tapajós), Bragança, Curuçá, Marapanim e Salinópolis (polo Amazônia Atlântica), Barcarena, Cametá, Conceição do Araguaia, Marabá, Parauapebas e Tucuruí (polo Araguaia Tocantins) e Altamira (polo Xingu).

Roteiro dos polos:

BELÉM

O que visitar: Cidade Velha - Complexo Feliz Lusitânia; Catedral de Belém, Museu de Arte Sacra; Forte do Presépio, que abriga um Museu; Complexo Ver-o-Peso; Museu Histórico do Pará, instalado no Palácio Lauro Sodré, e Estação das Docas - gastronomia, lazer e cultura em um dos mais imponente espaços turísticos da Amazônia; Basílica de Nazaré; Theatro da Paz, herança da Belle Époque; Praça da República; Praça Batista Campos; Mangal das Garças, que tem borboletário, mirante e o Museu da Navegação; Espaço São José Liberto, antigo presídio, que abriga o Polo Joalheiro, o Museu de Gemas e a Casa do Artesão; Jardim Botânico Bosque Rodrigues Alves; Museu Paraense Emílio Goeldi, uma das mais importantes reservas naturais e de conhecimento científico do país, e o Bioparque Amazônia. No entorno da cidade, mais de 70 ilhas e um cotidiano de vida ribeirinha encantador, entre elas as ilhas de Mosqueiro, Outeiro e Cotijuba.

TAPAJÓS

O que visitar: Santarém, município sede do polo, com inúmeras opções de artesanato, passeios, gastronomia à base de peixe, belos e confortáveis hotéis. À frente da cidade, o fascinante encontro das águas esverdeadas do rio Tapajós com as águas escuras do rio Amazonas. Por quilômetros, as águas dos dois rios correm lado a lado, mas nunca se misturam. O fenômeno atrai turistas de todo o mundo, assim como a bela vila de Alter do Chão, maior aquífero do mundo. O lugar, rota dos grandes cruzeiros marítimos, apaixona seus visitantes pela bela praia de águas doces e esverdeadas e areia branca, às margens do rio Tapajós. Outras opções de passeio são o Lago Verde, Ilha do Amor, Serra da Piroca. Vale a pena se deliciar com a “piracaia”, peixe assado na brasa servido em um ritual tipicamente tapajônico.

Recomenda-se visitar Santarém o ano todo, mas no mês de setembro a natureza é mais generosa, ao revelar toda a exuberância da praia de Alter do Chão. É também quando acontece o Sairé, principal manifestação cultural do lugar, um ritual de ritmos, cores e coreografias indígenas, com destaque para o duelo dos botos Cor de Rosa e Tucuxi. O Sairé é uma festividade de caráter religioso, originária das missões religiosas na Amazônia, mas vem se modernizando a cada ano. Ainda no polo Tapajós há Belterra, município guardião da arquitetura herdada do ciclo da borracha, ainda visível na fachada das casas de toda a vila. Bosques de seringueiras completam a paisagem.

MARAJÓ

O que visitar: Ao desembarcar no Porto do Camará, em Salvaterra, Marajó, o turista deve estar preparado para apreciar praias de águas mornas e salobras, observar búfalos que servem de montaria à polícia e aos visitantes, trilhas no mangue, passeios de canoa e revoada de guarás, alguns dos atrativos da maior ilha fluvial e marítima do mundo, a lha do Marajó. Passeios por campos alagados, degustação do queijo bubalino oferecidos nos hotéis e fazendas são convites irrecusáveis para quem deseja conhecer o arquipélago do Marajó, composto por aproximadamente três mil ilhas e ilhotas distribuídas em 15 municípios, em uma área de mais de 50 mil km² , banhada pelo oceano Atlântico e pelos rios Amazonas e Pará. O artesanato marajoara também merece ser visto, com seus desenhos inconfundíveis aplicados em cerâmicas marajoaras, peças de vestuário de couro bubalino. Inspiradas na região, as bio-jóias são produzidas a partir de sementes, folhas e cipós.

Além de Soure, conhecida como “A Pérola do Marajó”, vale destacar no arquipélago o município de Salvaterra. Inúmeros hotéis e pousadas garantem o conforto do visitante. Para desfrutar as belezas da Ilha do Marajó é necessário pelo menos dois dias, as saídas são diárias partindo de Belém de barco, lancha, balsa em linhas públicas regulares ou aviões fretados.

Polo Amazônia Atlântica

Localizado no nordeste do Pará, “Zona do Salgado”, o polo Amazônia Atlântica envolve região banhada pelo oceano Atlântico. É fonte da cultura, folclore e das músicas e danças típicas do Pará como o “retumbão”, trilha sonora principal da Marujada bragantina e as fortes batidas do “Carimbó” de Marapanim. Forte também nessa região são as praias marítimas, entre elas, do Atalaia, em Salinópoles, Crispim, em Marapanim, Ajuruteua, em Bragança e Algodoal na ilha de Mayandeua, em Maracanã.

Polo Araguaia Tocantins

O polo Araguaia Tocantins é formado por 52 municípios localizados em sua maioria às proximidades dos rios Araguaia e Tocantins, a exemplo de Marabá, que além de bela praia de rio (praias do Tucunaré e do Geladinho) se destaca na produção industrial. Considerada cidade polo do sudeste paraense, Marabá, que integra a Rota dos Minérios, está localizada a 527 km da capital Belém, no encontro dos rios Tocantins e Itacaiúnas.

São atrativos também a Hidrelétrica de Tucuruí e a extração Mineral da Serra do Carajás. A pesca esportiva é o grande atrativo para quem visita Tucuruí, onde vários lagos oferecem opções de pesca, com destaque para o Tucunaré. A história do Brasil também tem eco nessa região, já que Conceição do Araguaia foi cenário da “Guerrilha do Aragauia”. Lá, o visitante pode percorrer os caminhos feitos por aqueles que participaram dessa luta histórica e se deliciar com as praias e ilhas às margens do rio Araguaia, fronteira com o Tocantins. O município de Barcarena tem grande relevância para o polo, por sua contribuição histórica, já que foi ali que o líder da revolução da Cabanagem, Cônego Batista Campos, se refugiou em 1834. Em Barcarena, sede de grandes projetos de beneficiamento de alumina, as praias de Itupanema, Caripy, na Vila dos Cabanos, Sirituba, na ilha Trambioca, são imperdíveis durante todo o ano.

O agronegócio também move grande parte da economia do Araguaia Tocantins, a exemplo do município de Floresta do Araguaia, que detém o título de segundo maior produtor de abacaxi do Brasil, por isso no mês de julho é realizado grade “Festival do Abacaxi”.

Polo Xingu

Com cenários intocados pelo homem, rios sinuosos e selva fechada,o polo Xingu oferece um excelente ambiente para aqueles que gostam de se aventurar em rally's ou querem um contato maior com a natureza. Altamira é o maior município em extensão do mundo, nele encontramos, também, as maiores reservas indígenas do Estado, além das florestas nacionais (Flonas) e outras áreas de proteção e conservação da fauna e flora amazônicas. O relevo acidentado cria paisagens de belezas inigualáveis, cachoeiras, corredeiras e lagos com águas claras oferecem ao turista um ótimo ambiente de calma e reencontro com a natureza e lazer nas praias de água doce.

São Felix do Xingu é o município brasileiro com o segundo maior rebanho bovino do Brasil, representando a força doagronegócio para esta região. É Altamira, maior município do mundo, o município sede do pólo Xingu, referência para pesca esportiva, vivências sobre a cultura e as tradições indígenas, inscrições rupestres, artesanato com matéria prima vegetal, entre outras.

Benigna Soares (Ascom Paratur)

– Enviado usando a Barra de Ferramentas Google"
Postar um comentário