sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Via Email: BRASIL! BRASIL!



BRASIL! BRASIL!


Posted: 25 Oct 2012 05:06 PM PDT



Posted: 25 Oct 2012 05:03 PM PDT
"Para Francisco Fonseca, professor da FGV-SP, não há dúvidas de que a mídia brasileira, sobretudo a televisão, atua como formadora de opiniões. No entanto, segundo ele, há um choque entre a informação e a experiência concreta do cidadão. Isso fica evidente também nas campanhas eleitorais como a de José Serra, "que sempre nos mostra hospitais equipados, as AMAs, as UBSs, e no fundo quem vive na periferia sabe que não é assim". "A grande imprensa brasileira tem lado e classe social", defende Fonseca.


Isabel Harari e Mailliw Serafim. Carta Maior

Informação é poder. Pode ser um elemento de manipulação ou de democratização de acordo com a forma como é veiculada. No processo eleitoral, a informação torna-se um instrumento valioso que, de acordo com o cientista político Francisco Fonseca, doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP) e professor da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), pode mudar o destino da sociedade.

À Carta Maior, Fonseca salienta a importância da democratização da informação no jogo político atual e a necessidade da regulamentação da comunicação, que, segundo ele, deve partir do próprio Estado, como forma de garantir a prioridade dos interesses coletivos em relação aos individuais. "No mundo da informação no Brasil há um verdadeiro laissez-faire, em que o Estado brasileiro intervém pouco, é extremamente frouxo na sua regulação. O jogo da informação pública é um jogo privado, pouco fiscalizado, pouco regrado", diz.

Carta Maior - Como você enxerga a dinâmica entre a informação e o poder no processo eleitoral?

Francisco Fonseca - Na verdade há um conjunto de fatores para fazer essa avaliação. Um ponto importante é que informação é poder e as pesquisas de opinião não são diferentes: expressam um tipo de informação que pode fazer que as pessoas mudem ou consolidem o seu voto. Os países que nós chamamos de democráticos são muito mais zelosos, digamos assim, por colocarem regras em tudo que envolve a informação. O tema informação, mídia, publicidade e propaganda, pesquisa, tem uma liberalidade incrível no Brasil.

CM - Se a informação é poder, como driblar as promessas e realizações expostas pelos candidatos, muitas vezes irreais?

FF - O que mais afeta o cidadão na sua decisão do voto é a sua própria experiência. Há um choque, se assim posso chamar, entre informação e experiência. A campanha do Serra, que é uma campanha de continuidade do governo, sempre nos mostra hospitais equipados, as AMAs [Assistência Médica Ambulatorial], as UBSs [Unidades Básicas de Saúde], e no fundo quem vive na periferia sabe que não é assim. Existe aí o choque entre informação e experiência. O brasileiro se informa majoritariamente pela televisão, que no Brasil é muito boa tecnicamente e muito ruim em termos de conteúdo – é desprovida de conteúdo. Então é claro que ela forma. Como diz Manuel Castells [sociólogo espanhol, autor de "Sociedade em rede"], a mídia enquadra a política. Aonde eu quero chegar: se a experiência de vida conta, também conta a mídia como agente de manipulação e enquadramento da política."
Entrevista Completa, ::AQUI::


Posted: 25 Oct 2012 04:41 PM PDT
"Responsável por construir e reformar as escolas paulistas, a Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) está na mira do Ministério Público; fundação é a mesma envolvida no escândalo das mochilas; base de Alckmin enterrou apuração sobre governo Serra


Cida de Oliveira, Rede Brasil Atual 

O Ministério Público (MP) de São Paulo está apurando nove denúncias de irregularidades em licitações e contratos celebrados pela Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), órgão subordinado à Secretaria Estadual de Educação, com empreiteiras no período entre 2009 e 2012. Conforme a Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital, do MP, os promotores acataram representações encaminhadas pelo Tribunal de Contas do Estado, de promotorias de Justiça e de parlamentares. A maioria das investigações (confira quadro) se refere a contratos para ampliação, reforma e instalação e manutenção de elevadores em prédios escolares. Havia ainda outros oito processos, que acabaram arquivados. 


O documento mais recente que aponta irregularidades na FDE data de março de 2012. Entre julho de 2010 e dezembro de 2011, os agentes de fiscalização Leonardo de Moraes Barros e Lilian Cristina Menino Robles, da diretoria de Contas do Governador do Tribunal de Contas do Estado, fiscalizaram a natureza operacional do programa Expansão, Melhoria e Reforma da Rede Física Escolar, sob responsabilidade da FDE. No relatório da fiscalização eles apontam falta de manutenção preventiva; incompatibilidade entre as peças orçamentárias, demora no atendimento das solicitações realizadas pelas escolas, descumprimento dos Planos de Obras de forma integral; falta de planejamento para a implementação das obras de manutenção, para a reforma dos prédios e para a escolha das escolas que mais necessitam de intervenção considerando a urgência da solicitação e o estado geral do estabelecimento escolar."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 25 Oct 2012 04:19 PM PDT


Jefferson Santana: "Nunca imaginei que o esquema do Serra chegasse a tanta baixaria"
Conceição Lemes, Vi o Mundo


"Desde 17 de outubro, a propaganda eleitoral de José Serra (PSDB), candidato à Prefeitura de São Paulo, tem apresentado na televisão inserções contendo este trecho (a íntegra do programa de TV desse dia está aqui).



O rosto que aparece quase totalmente, por isso foi identificado, é o de Jefferson Souza Santana, 25 anos, estudante de Filosofia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) — campus Guarulhos.
"A propaganda está usando a minha imagem e voz sem permissão", denuncia Jefferson. "Absoluta  má-fé."

"O mesmo aconteceu com outros alunos da Unifesp-Guarulhos; tiveram suas observações gravadas sem saber que estavam sendo gravados ", acusa o amigo César de Lucca "Trata-se de uma ação desonesta e desesperada para desqualificar o candidato Haddad (PT).

MEMBROS DA CAMPANHA DO TUCANO FAZEM SE PASSAR POR ESTUDANTES DA PUC-SP

Tudo aconteceu no dia 9 de outubro, por volta das 15h30. Jefferson chegou atrasado e achou melhor esperar aquela aula terminar, para não atrapalhar os que estavam em classe.


Duas pessoas desconhecidas (um homem e uma mulher), aparentando 30 anos, o abordaram no corredor da faculdade. Tinham na mão uma pasta e um caderno de anotações. Disseram que eram estudantes de Jornalismo da PUC-SP e estavam  ali para fazer entrevistas que embasariam o trabalho de conclusão de curso (TCC), cujo tema seria a greve nas universidade federais. Apresentaram uma questão básica:  "A greve atrapalha seus estudos na faculdade?"
Foto: Arquivo pessoal
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 25 Oct 2012 04:00 PM PDT


Posted: 25 Oct 2012 02:54 PM PDT
"Poeta baiano Lula Miranda, "exilado" em São Paulo, faz súplica aos soteropolitanos ao defender a candidatura do petista Nelson Pelegrino para prefeito e relata tristes lembranças pessoais da época do carlismo; "Foram tantas as vezes que perdi a conta e a exata lembrança ou noção. Uma vez, lembro-me bem de escutá-los dizer, entre risos, safanões e bordoadas, que apanhava por ser um cabeludo safado"; veja "Salve Salvador" na íntegra


Brasil 247 / Bahia 247

Em novo texto publicado no blog Carta Maior, poeta baiano Lula Miranda*, que mora em São Paulo e se auto intitula "exilado do carlismo", faz súplica aos soteropolitanos ao defender a candidatura do petista Nelson Pelegrino para prefeito.

"Apanhei por diversas vezes da truculenta polícia do velho 'coroné'. Foram tantas as vezes que perdi a conta e a exata lembrança ou noção. Uma vez, lembro-me bem de escutá-los dizer, entre risos, safanões e bordoadas, que apanhava por ser um 'cabeludo safado'", lembra o poeta.

Segundo Lula Miranda, eleger ACM Neto, do DEM, seria resgatar as práticas de seu avô, o falecido ex-governador e ex-senador Antônio Carlos Magalhães, durante o chamado carlismo, período de duas décadas no qual a Bahia viveu sob sua liderança."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 25 Oct 2012 08:37 AM PDT
Saul Leblon, Carta Maior / Blog das Frases


"A sólida dianteira de Haddad em SP, reafirmada pelo Ibope e o Datafolha desta 5ª feira, deixa ao conservadorismo pouca margem para reverter uma vitória histórica do PT; talvez a derradeira derrota política do seu eterno delfim, José Serra. Ainda assim há riscos. Não são pequenos. Eles advém menos da vontade aparentemente definida do eleitor, do que da disposição midiática para manipulá-la, nas poucas horas que antecedem o pleito de domingo.

Há alguma coisa de profundamente errado com a liberdade de expressão num país quando, a cada escrutínio eleitoral, a maior preocupação de uma parte da opinião pública e dos partidos, nos estertores de uma campanha como agora, não se concentra propriamente no embate final de idéias, mas em prevenir-se contra a 'emboscada da véspera''.

Não se argui se ela virá; apenas como e quando a maior emissora de televisão agirá na tentativa de raptar o discernimento soberano da população, sobrepondo-lhe seus critérios, preferências e interditos.

Tornou-se uma aflita tradição nacional acompanhar a contagem regressiva dessa fatalidade.

A colisão entre a festa democrática e a usurpação da vontade das urnas por um interdito que se pronuncia de véspera, desgraçadamente instalou-se no calendário eleitoral. E o corrói por dentro, como uma doença maligna que pode invalidar a democracia e desfibrar a sociedade.

A evidencia mais grave dessa anomalia infecciosa é que todos sabem de que país se fala; qual o nome do poder midiádico retratado e que interesses ele dissemina.

Nem é preciso nominá-los. E isso é pouco menos que a tragédia na vida de uma Nação.

De novo, a maleita de pontualidade afiada rodeia o ambiente eleitoral no estreito espaço que nos separa das urnas deste 28 de outubro.
Em qualquer sociedade democrática uma vantagem de 15 pontos como a de Haddad seria suficiente para configurar um pleito sereno e definido.

Mas não quando uma única empresa possui 26 canais de televisão, dezenas de rádios, jornal impresso, editora, produção de cinema, vídeo, internet e distribuição de sinal e dados.

Tudo isso regado por uma hegemônica participação no mercado publicitário, inclusive de verbas públicas: a TV Globo, sozinha, receberá este ano mais de 50% da verba publicitária de televisão do governo Dilma."
Artigo Completo, ::AQUI::


Posted: 25 Oct 2012 07:15 AM PDT
Guilherme Jeronymo, Agência Brasil

"A taxa de desocupação medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ficou em 5,4% em setembro, a menor dos últimos dez anos para o mês, ante 5,3% em agosto deste ano e 6% em setembro de 2011. Os dados estão na Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada hoje (25) pelo instituto.

 
O rendimento médio subiu de R$ 1.768,89 para R$ 1.771,2, na passagem de agosto para setembro. Em igual mês de 2011, o valor era R$ 1.697,73.

A pesquisa engloba as regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Porto Alegre, do Recife, Rio de Janeiro, de Salvador e São Paulo.
Assim como o IBGE, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socieconômicos (Dieese) e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) divulgam levantamento mensal sobre o desemprego no país. No entanto, as taxas apresentadas nas duas pesquisas costumam ser diferentes, devido aos conceitos e metodologia usados.

Entre as diferenças está o conjunto de regiões pesquisadas. A Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), feita pelo Dieese e pela Fundação Seade, não engloba o levantamento dos desempregados da região metropolitana do Rio de Janeiro. Já na pesquisa do IBGE não estão incluídas duas regiões que fazem parte do conjunto da PED: Fortaleza e o Distrito Federal."


Posted: 25 Oct 2012 06:48 AM PDT



Posted: 25 Oct 2012 06:29 AM PDT
Leonardo Sakamoto, em seu blog / Blog do Miro


"Estou sendo processado pela juíza Marli Lopes da Costa de Goes Nogueira, da Justiça do Trabalho do Distrito Federal, por conta de um post publicado em meu blog.

O texto tratava de uma decisão da magistrada, atendendo a um pedido de liminar em mandado de segurança movido pela empresa Infinity Agrícola. Sua decisão suspendeu um resgate de trabalhadores que foram considerados em condição análoga à de escravos pelo Ministério do Trabalho e Emprego e o Ministério Público do Trabalho. As vítimas estavam em uma fazenda de cana no município de Naviraí, Estado do Mato Grosso do Sul e, entre eles, trabalhadores das etnias Guarani Kaiowá, Guarani Nhandeva e Terena. Posteriormente, o Tribunal Regional do Trabalho da 10a Região revisou a decisão da juíza, permitindo que as ações relacionadas à fiscalização continuassem.

Na ação, que envolveu também o portal UOL, ela solicitou – liminarmente – que a matéria e os comentários dos leitores sejam retirados do ar. E que eu não divulgue mais nada relativo à sua reputação sob pena de multa de R$ 10 mil/dia. Quanto ao mérito da ação, pediu indenização por danos morais que teriam sido causados pela matéria e pelos comentários. O valor, a ser estipulado pela Justiça, deve ser o suficiente para que "desmotive de praticar ilícitos semelhantes em sua atividade de blogueiro e formador de opinião na internet". Também solicitou que "diante da natureza dos fatos alegados", o processo corra em segredo de justiça."
Matéria Completa, ::AQUI::


Posted: 25 Oct 2012 06:05 AM PDT
"Como a vitória do tucano em São Paulo hoje parece ser quase impossível, houve um freio de arrumação tanto no Supremo Tribunal como nos meios de comunicação; os ministros que, na terça, falam no sintomático "13" e faziam comparações com o PCC foram mais contidos; enquanto isso, jornalistas desistiram de falar sobre eleições, um tema banal


Brasil 247

Para quem assistiu o Jornal Nacional da última terça-feira, em que 18 minutos foram dedicados ao mensalão, com destaque para as passagens em que Marco Aurélio Mello citou a quadrilha formada pelo "sintomático 13" e Celso de Mello comparou o partido ao PCC e ao Comando Vermelho, era de se esperar que, ontem, a toada seguisse no mesmo ritmo.

Nada disso, o que se viu foram ministros brandos, ponderados, alertando sobre a cautela na fixação de penas (com fez Marco Aurélio) e, na maioria das vezes, seguindo as posições mais equilibradas do revisor Ricardo Lewandowski (com fez Celso de Mello). No noticiário do Jornal Nacional, a reportagem dedicada ao mensalão não citou mais o PT.

E o "clímax" que poderia ter ocorrido ontem, previsto pela coluna Radar de Veja, que seria a definição das penas de José Dirceu e José Genoino, ficará para depois de 5 de novembro (após as eleições, portanto), quando Joaquim Barbosa retornará de um tratamento na coluna na Alemanha.

O freio de arrumação, aparentemente, decorre da impossibilidade de que o julgamento tenha qualquer peso maior na eleição municipal de São Paulo. Segundo dois institutos, Datafolha e Ibope, Fernando Haddad, do PT, já está praticamente eleito. Sua vantagem nos votos válidos é de vinte pontos no Datafolha (60% a 40%) e de 14 no Ibope (57% a 43%)."
Matéria Completa, ::AQUI::


You are subscribed to email updates from Brasil! Brasil!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610



--
Francisco Almeida / (91)81003406
Postar um comentário