terça-feira, 23 de março de 2010

Pará será o primeiro estado brasileiro a ter uma base da Polícia de Fronteira



Da Redação
Agência Pará

David Alves/Ag Pa
Ana Júlia Carepa demonstra a logística que deve ser implementada para garantir a segurança nas áreas de fronteiras do estado


O programa de Policiamento Especializado de Fronteiras (Pefron), iniciativa do Programa Nacional de Segurança Pública (Pronasci), terá duas bases instaladas no Pará. A primeira será em Breves, município do arquipélago do Marajó; a localização da segunda ainda está sob estudo. O anúncio foi feito no final da tarde desta segunda-feira, (22), pelo coordenador técnico do Pefron, Daniel Rocha, durante reunião com a governadora Ana Júlia Carepa, no Palácio dos Despachos.

O objetivo do projeto é combater, de forma repreensiva e combativa, a criminalidade nas áreas de fronteira do país, como contrabando de armas e munições, crimes ambientais, roubo de cargas e veículos, entre outros crimes. Sendo o Brasil um país que tem 16,8 mil quilômetros de áreas de fronteiras, o Pefron torna-se ainda mais estratégico. Além do Pará, o projeto também será instalado no Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Roraima.

Daniel explica que o Projeto é elaborado de acordo com a realidade demográfica de cada região. De acordo com o projeto para o Pará, entregue e apresentado durante a reunião, serão instaladas duas bases, com a estrutura - em cada base - de 12 containers articulados e adaptados para receber alojamentos, escritórios, salas de reunião; seis caminhonetes; dois caminhões específicos; lanchas de 35 pés; jet boat, barcos que precisam de apenas 25 cm de profundidade para navegação, o que facilita o acesso a braços e rios de baixa profundidade; jet skis para 3 tripulantes; voadeiras; armamentos e munição; além de equipamentos como óculos de visão noturna, rádios comunicadores de alta potência e de proteção individual (coletes a prova de balas, capacetes), além de um efetivo de 46 homens e mulheres.

A governadora Ana Júlia avalia positivamente a instalação do Pefron no estado, e ainda defende que policiais civis, militares e peritos paraenses façam parte da equipe que defenderá as fronteiras do Pará. "Nossos policiais conhecem a fundo as características do estado do Pará e servirão de fonte fidedigna de informação para os demais integrantes da tropa do Pefron no Pará", frisou Ana Júlia.

Para a governadora, a parceria entre os governos federal e estadual trará mais segurança não só para a região do Marajó, mas para todo o Pará. "Os governos vão atuar de forma conjunta, defendendo o território nacional e, principalmente, combatendo a violência nessas áreas. E com o detalhe característico da base, que é a mobilidade. Isso significa que a mesma estrutura que teremos, primeiramente em Breves, poderá ser deslocada para outros municípios", disse ela.

O coordenador do Pefron, Daniel, que veio ao Pará representando o secretário Nacional de Segurança Púbica, Ricardo Balestreli, informa que o primeiro pelotão receberá o treinamento no Batalhão-Escola de Pronto Emprego (Bepe), da Força Nacional, e, na primeira quinzena de junho, quando a base de Breves será inaugurada, os 46 combatentes já estarão aptos para o início das operações.

"Devolveremos esse efetivo para o estado, totalmente equipado, com viaturas, lanchas, armamento, equipamentos de proteção individual dos mais modernos do mundo e vamos entregar para o estado uma filosofia de policiamento volante para que ele percorra toda a faixa de fronteira, durante todos os dias do ano", garante Rocha.

Como contrapartida, o Estado assumirá o custeio das operações, com a aquisição de combustível para as embarcações e viaturas, além de suprimento de munição para as armas. Enquanto que o governo federal, através do Ministério da Justiça, assumirá o pagamento de diárias para os agentes de segurança, que, segundo estimativas da coordenação do Pefron, significa um incremento de até R$ 1.700,00 mensais sobre o valor dos vencimentos. "Este incremento serve para motivar o profissional para atuar nessa missão. Ele se sente melhor valorizado, até porque estará longe da família e em área de fronteira", pondera.

De acordo com o cronograma do Ministério da Justiça, o Pará será um dos primeiros, senão o primeiro estado brasileiro onde a base do Pefron será inaugurada. Na sequência, a estrutura do policiamento especializado de fronteiras será instalada em outros 11 estados.

Participaram ainda da reunião, pela equipe do governo do Pará, Edilson Rodrigues, secretário de Estado de Governo; Raimundo Benassuly, delegado geral da Polícia Civil; José Sales, secretário adjunto de Segurança Pública; Eduardo Sizo, diretor da Câmara Setorial de Defesa Social e o tenente-coronel José Vicente Braga, representante da PM/PA no Pefron. Na comitiva federal do Pefron, além do coordenador Daniel Rocha, estiveram presentes Rômulo Fonini, coordenador administrativo; Sidney Jaques Pereira, coordenador técnico.

Renata Biondi - Secom
Postar um comentário