terça-feira, 1 de março de 2011

Marajó na rota do Rallye Iles Du Soleil

Rallye Iles Du Soleil inicia aventura em águas paraenses

A partir de 1º de março começam a chegar ao município de Soure, na ilha de Marajó, os primeiros dos 26 barcos que compõem o 11º Rallye Iles Du Soleil/Transamazone, que este ano volta a ganhar apoio especial do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Esporte e Lazer (Seel), em função da valorização turística que a expedição provoca na Europa.

Segundo Nicholas Tiphagne, coordenador operacional do evento no Brasil, a maioria dos participantes está vindo à Amazônia pela primeira vez com a expectativa de conhecer a região e suas peculiaridades nos segmentos da culinária, cultura, música e artesanato.

O Pará é o Estado brasileiro com maior tempo de duração da aventura, que iniciou em outubro do ano passado e já percorreu as ilhas da Madeira e de Cabo Verde, Marrocos e Senegal. No Brasil, as cidades visitadas foram João Pessoa (PB), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Fernando de Noronha e a comunidade de Luis Corrêa, na região do delta do rio Parnaíba, no Piuaí. "A maior expectativa é para chegar ao Pará", destacou Nicholas Tiphagne.

Na manhã desta sexta-feira, 25, a partir das 10h, a gerente de eventos da Seel, Ana Júlia Chermont, vai coordenar uma reunião com representantes de vários órgãos de governo e da Capitania dos Portos. O objetivo é garantir segurança aos velejadores enquanto estiverem navegando em águas paraenses. O roteiro da viagem inicia pela cidade de Soure, em seguida Belém e depois São Sebastião da Boa Vista, Breves, Porto de Moz, Almeirim, Santarém e finalizando a expedição em Afuá, cidade eleita pelos participantes de rallyes anteriores como a mais "charmosa" e "acolhedora" de todo o percurso, que dura em média seis meses.

Segundo Nicholas Tiphagne, o Rallye tem uma função social importante, pois acaba gerando emprego e renda nas cadeias produtivas do turismo e de infraestrutura pelas cidades visitadas. Ele citou o caso dos municípios de Porto de Moz e Almeirim, na região do baixo Amazonas, que reformaram os portos para atracação dos barcos. "Também fazemos parcerias com as prefeituras do interior do Pará. Queremos criar um ambiente favorável ao rallye e seus participantes", avalia, sem esquecer de destacar que a passagem pelas cidades paraenses é aguardada com muita animação pelos velejadores, "tanto que o rallye troca de nome de Iles Du Soleil para Transamazone, quando chega no estado do Pará", completa.

Recepção

Para receber os velejadores, que chegam ao Pará no dia 1º de março, em Soure, o Governo do Estado e a Prefeitura Local vão promover um show folclórico no trapiche da cidade. Também haverá troca de presentes e a mensagem de boas-vindas organizada pela Seel. Os franceses vão visitar as fazendas Sanjo e Nossa Senhora do Carmo. Na chegada em Belém, os velejadores também serão homenageados antes de partirem para a última etapa do rallye pelas regiões de Marajó e Baixo Amazonas. A volta para casa só vai ocorrer no mês de abril, após a visita da cidade de Afuá, a última do roteiro em água paraenses.
Texto: Selma Amaral - Ascom/Seel
Postar um comentário