quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Fwd: BRASIL! BRASIL!




BRASIL! BRASIL!


Posted: 10 Jan 2012 03:59 PM PST




Posted: 10 Jan 2012 03:57 PM PST


"Ex-governador disse primeiro que desconhecia existência de pedido de CPI na Câmara para investigar veracidade das acusações contidas no livro "A Privataria Tucana"

Raoni Scandiuzzi, Rede Brasil Atual

O ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) qualificou como "palhaçada" o pedido de instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre as privatizações de estatais durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, protocolado em dezembro na Câmara Federal. A expectativa é de que a comissão seja instalada em fevereiro, conforme promessa do presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), ao autor do requerimento, o deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP). O objetivo é investigar a veracidade das denúncias contidas no livro A Privataria Tucana, do jornalista mineiro Amaury Ribeiro Jr.

Serra participou nesta terça-feira (10) da entrega de uma unidade de pesquisa clínica em oncologia do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), ao lado do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Ele se mostrou pouco disposto a conversar com jornalistas, recusando-se a comentar eleições municipais na capital paulista – para a qual é cotado como pré-candidato – dizendo que falar sobre o assunto seria "tudo repeteco".

"Não foi instalada nenhuma CPI ainda", desconversou Serra. Apesar de 185 assinaturas terem sido colhidas – 14 a mais do que o mínimo constitucional de um terço dos 513 deputados – e de o pedido já ter sido protocolado, o tucano afirmou não ter conhecimento sobre a iniciativa. A seguir, partiu para o ataque: "Isso é tudo uma palhaçada, porque eu tenho cara de palhaço, nariz de palhaço, só pode ser palhaço". Em seguida, ele se afastou sem responder mais questionamentos sobre o tema."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 10 Jan 2012 03:38 PM PST


"O governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que não vai promover ações no campus Butantã da Universidade de São Paulo (USP), mesmo após as imagens divulgadas na internet de um policial militar (PM) contra um universitário negro dentro do Diretório Central dos Estudantes (DCE) ocupado (desde 2009).

Vermelho / Agências

"Houve um erro, e (o policial) vai ser punido. A polícia tem uma corregedoria muito firme. Nós não toleramos nenhum tipo de abuso", argumentou o governador ao ser questionado sobre o fato, ocorrido ontem (9). Alckimin participou da entrega da unidade de pesquisa clínica em oncologia do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp).

No final da tarde da segunda-feira, a PM realizou coletiva de imprensa para anunciar que o policial André Luiz Ferreira foi afastado temporariamente da corporação enquanto durar uma sindicância para apurar o caso.

Para Alckmin, o abuso de poder foi um erro isolado e, por isso, não pretende promover ações específicas para evitar que casos assim se repitam. Quando questionado se há alguma garantia do governo do estado para que casos como esses não se repitam, Alckmin disse que "não há nenhuma hipótese de garantir que alguém não vá cometer um erro" e justificou afirmando que a polícia está preparada para agir em casos como esse. No entanto, não é a primeira vez que os alunos da USP reclamam de excessos por parte da polícia dentro do campus.

"O fato é que, depois que a polícia foi para o campus, despencou (o número) de roubo, furto... Não teve mais roubo de automóvel. Então, o resultado é extremamente positivo. A polícia está lá para levar segurança e proteger as pessoas que lá trabalham", alegou o governador tucano.

De acordo ele, todos os policias, mesmo os que estão alocados na chamada Cidade Universitária, na zona oeste da capital paulista, passam por um rigoroso treinamento antes de irem às ruas."


Posted: 10 Jan 2012 03:32 PM PST



"A produção industrial avançou em oito das 14 regiões pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de outubro para novembro de 2011. De acordo com os dados divulgados nesta terça-feira, Goiás apresentou o maior crescimento (11,6%), após uma queda de 9% em outubro.

As demais regiões que apresentaram crescimento na indústria foram: Paraná (5,4%), Espírito Santo (4,7%), Minas Gerais (4,6%) e Rio de Janeiro (3,9%), São Paulo (1,9%), que recuperou parte da perda de 7,5% verificada nos dois últimos meses de queda na produção, Santa Catarina (1,6%) e Pará (0,5%).

Por outro lado, apresentaram queda na produção: Ceará (-0,3%), Rio Grande do Sul (-1,3%), Pernambuco (-2,4%), Região Nordeste (-2,9%), Amazonas (-3,0%) e Bahia (-6,4%).

Na comparação com novembro de 2010, a indústria apresentou queda em oito dos 14 locais pesquisados. Foram eles: Santa Catarina (-7,7%), Ceará (-6,8%), São Paulo (-4,9%), Bahia (-4,2%), Rio Grande do Sul (-3,4%) e Região Nordeste (-2,6%), Rio de Janeiro (-1,5%) e Pará (-1,0%). Já as localidades que registraram aumento na produção industrial foram: Goiás (13,3%), Paraná (9,2%), Espírito Santo (4,1%), Minas Gerais (2,8%), Pernambuco (1,9%) e Amazonas (0,5%).

Na comparação do acumulado de janeiro a novembro de 2011 frente ao mesmo período de 2010, o aumento da produção das indústrias foi registrado em nove dos 14 locais pesquisados: Espírito Santo (6,7%), Goiás (6,2%), Paraná (5,6%), Amazonas (4,0%), Pará (2,4%), Rio Grande do Sul (1,8%), Rio de Janeiro (0,8%), Minas Gerais (0,6%) e São Paulo (0,5%).

Ainda de acordo com o IBGE, a produção industrial do país teve alta de 0,3% em novembro do ano passado."


Posted: 10 Jan 2012 03:26 PM PST



Ana Cláudia Barros, Terra Magazine

"O "churrascão da gente diferenciada", mobilização bem-humorada na web que ganhou ruas de Higienópolis, na capital paulista, em maio do ano passado, deve ter uma segunda edição. Desta vez, internautas organizam a "versão Cracolândia", uma forma de protestar contra a ocupação iniciada pela Polícia Militar na região central de São Paulo na semana passada. 


Para divulgar a manifestação, foi criada uma página na rede social Facebook, convocando os usuários. Até por volta das 17 horas desta terça-feira (10), 360 pessoas - entre 5.719 convidados - haviam confirmado presença. O "churrascão" foi agendado para o próximo sábado (14), às 16h, na Rua Helvétia com Dino Bueno.


Confira o protesto: 


"Churrascão diferenciado versão Luz: porque na 'Cracolândia' todo mundo é gente como a gente.


Neste sábado, venha mostrar para o governo que sua polícia não é bem-vinda em nossas ruas.


Sem oferecer alternativas decentes aos dependentes e sem respeitar os direitos humanos deles e dos outros usuários, trabalhadores e freqüentadores da região da Luz, o governo paulista vem ocupando militarmente, desde o dia 3 de janeiro, a zona conhecida como 'Cracolândia'.


Higienismo, preconceito, segregação, violência, intolerância, tortura, abuso de autoridade e mesmo suspeitas de assassinato passaram a ser ainda mais constantes nos dias e principalmente nas madrugadas do bairro.


Luiz Alberto Chaves de Oliveira, coordenador de Políticas sobre Drogas do governo, defendeu que a operação teria como objetivo trazer "dor e sofrimento" para os dependentes, forçando-os a buscar tratamento. Fica claro, no entanto, que os seres humanos que ali freqüentam ou vivem são a última preocupação de nossos governantes, que sabem muito bem que questões de saúde nunca poderão ser resolvidas por uma das polícias mais assassinas do mundo.


O objetivo da dor e do sofrimento é meramente expulsar aquelas pessoas dali para que o projeto da 'Nova Luz', que prevê demolição de um terço das construções da região e reconstrução do espaço com vistas ao lucro da especulação imobiliária, possa ser implementado."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 10 Jan 2012 03:11 PM PST



"Ministério Público estadual critica operação do governo paulista contra os viciados em crack, no centro de São Paulo; para eles, Estado não pode ser o "algoz do cidadão" nem o "chicote do pobre"; operação foi classificada como "ilícita", "pouco inteligente" e de "resultados pífios"

Fernando Porfírio, Brasil 247

O Ministério Público estadual atacou nesta terça-feira (10) a operação do governo paulista na região conhecida como "cracolândia", no Centro de São Paulo. De acordo com promotores de Justiça, o Estado não pode ser o "algoz do cidadão" nem o "chicote do pobre". Uma força tarefa formada pelos promotores de Justiça Eduardo Valério, Luciana Bergamo, Arthur Pinto Filho e Maurício Ribeiro Lopes, anunciou que abriu inquérito para apurar responsabilidade pela operação classificada como "ilícita", "pouco inteligente" e de "resultados pífios".

A operação na "cracolândia" começou no último dia 3. Uma semana depois, a Polícia Militar informou que prendeu 49 pessoas. Dos presos, 26 eram condenados pela Justiça. A ação retirou até o momento apenas meio quilo de crack de circulação no local. A quantidade representaria o consumo de apenas um dia entre os usuários da cracolândia.

A operação, que conta com policiais e órgãos estaduais e municipais ligados à segurança, saúde e assistência social, também retirou 61,3 toneladas de lixo das ruas. Segundo balanço da PM, 2.806 abordagens policiais foram realizadas. Os agentes de saúde encaminharam 33 pessoas para serviços de saúde, nove para hospitais e 28 para internação."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 10 Jan 2012 03:05 PM PST



"O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse na tarde desta terça-feira que deve continuar um pouco mais no cargo, a pedido da própria presidente Dilma Rousseff. Haddad deve se desligar do cargo para disputar a prefeitura de São Paulo, nas próximas eleições.

Segundo a assessoria do Ministério da Educação (MEC), o ministro se reuniu com a presidente ontem e, durante a conversa, Dilma teria pedido para ele não deixar o ministério agora. Haddad não soube explicar quando deve deixar a pasta, mas ele acredita que possa ser antes de fevereiro."


Posted: 10 Jan 2012 02:57 PM PST


Wálter Fanganiello Maierovitch, Terra Magazine / Sem Fronteiras
 
"Nesta segunda-feira (9), o ministro Marco Aurélio Mello, no programa Roda Viva da televisão Cultura de São Paulo, voltou a ignorar o princípio constitucional da transparência, um dos fundamentos da democracia representativa. Lógico, o representante do povo (magistrado) não pode colocar numa caixa-preta sua atuação funcional, de modo a impedir o exame do cumprimento das suas obrigações e deveres por órgão constitucional, que é o Conselho Nacional de Justiça (CNJ),


O ministro Marco Aurélio sustenta que o CNJ não possui poder autônomo para investigar magistrados sob suspeita de desvios funcionais. Para o ministro em tela, cabe às corregedorias dos tribunais, estaduais ou federais, a iniciativa e só perde a exclusividade em caso excepcional de omissão ou patente incúria.


Para embasar sua tese de afronta ao fundamental princípio democrático da transparência, o ministro Marco Aurélio, em flagrante leguleio de ilegítima e odiosa proteção corporativa, fala em ofensa ao princípio federativo. Esse argumento é equivocado e construído na areia. Basta atentar, numa evidência solar,  para o Superior Tribunal de Justiça (STJ), com poderes, além da competência originária,  de revisar e reformar decisões jurisdicionais dos tribunais dos estados.  E Marco Aurélio não entende ser o STJ inconstitucional. A autonomia do CNJ, por evidente, não prejudica a atividade das corregedorias dos tribunais estaduais e federais, que podem e devem apurar, mantida a avocação até para evitar decisões conflitantes.


O certo, como já escrevi na minha coluna desta semana na revista CartaCapital, é ter o  ministro Marco Aurélio Mello colocado o Supremo Tribunal Federal (STF) numa camisa de 11 varas. Ele concedeu, no apagar das luzes do ano judiciário de 2011, sem que houvesse situação de urgência e contrariando o espírito de norma constitucional moralizadora (princípio da transparência), uma medida liminar que esvazia as atribuições correcionais do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), instalado em 2005."
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 10 Jan 2012 07:10 AM PST




Posted: 10 Jan 2012 07:02 AM PST


Clara Roman, CartaCapital
 
"Já passava das 20h quando Nicolas Menezes Barreto atendeu, por telefone, a reportagem de CartaCapital. Mais de oito horas depois de ter sido agredido por Policial Militar em um espaço estudantil na Universidade de São Paulo, Menezes ainda se dizia desnorteado com episódio, gravado com uma câmera digital. "Desculpa se estou sendo exaltado. É que ainda não me caiu a ficha", afirmou.


Estudante de Ciências da Natureza na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, Menezes foi abordado com tapas por um policial militar que participava de operação para fechar a antiga sede do Diretório Central dos Estudantes (DCE). Um vídeo (clique aqui para ver) que circula na internet registrou a cena, inclusive o momento em que o PM aponta a arma para o estudante.


Horas depois da agressão, ele ainda tentava entender o que aconteceu. Segundo ele, a cena foi apenas mais um episódio de um histórico de "opressão" promovido pela Polícia Militar na Universidade. "Eu sou o bode expiatório dessa vez, mas tem um histórico de agressões da USP nos últimos anos", disse ele.

Tenso, Menezes contou que ainda não sabia se faria algum exame para comprovar o espancamento, o que poderia resultar num processo judicial."Ainda nem tomei banho. Estou vendo como vou fazer perícia, porque o vídeo já traz todas as provas", diz. O estudante relatou que tem arranhões e cortes na mão."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 10 Jan 2012 06:57 AM PST


"Emissora carioca exibe reportagem sobre fraudes em bombas de gasolina, clonada de matéria da Band; história que rendeu menção honrosa do Prêmio Esso 2011 à emissora de Johnny Saad ressurge no Fantástico como inédita; saiba os bastidores

Brasil 247

"Uma reportagem especial exibida pelo Fantástico, nesse domingo, ganhou menção honrosa, em dezembro de 2011, do Prêmio Esso, a mais antiga e tradicional láurea do jornalismo brasileiro. Mas como pode uma reportagem antecipar-se a si mesma, e ganhar um prêmio antes mesmo de ser concebida? Estaremos loucos? Ou a famosa "dobra temporal", de Einstein, teria enfim se confirmado pelo atalho do jornalismo? Nem um, nem outro: trata-se de um rematado exemplo da famosa "Da Recortagem Local": a reportagem especial do Fantástico, sobre fraudes em bombas de gasolina, na verdade foi clonada, como mau combustível, da original: que foi exibida a partir de fevereiro de 2011 pela TV Bandeirantes, no Jornal da Band.

O Fantástico, triunfalmente, narrou ontem que era a primeira vez que uma denúncia assim ia ao ar na TV brasileira: OK, afinal a festa é sua, é de quem quiser.

E, por falar em mentiras, verdade seja dita: quem produziu a reportagem do Fantástico foi o mais premiado jornalista da TV brasileira: Eduardo Faustini, de resto o principal membro da equipe da qual participava o finado Tim Lopes. O Brasil 247 apurou que Faustini, reconhecido até na CNN pela sua expertise em infiltrações, foi forçado pela direção da Globo a cumprir uma pauta tão requentada quanto o café do morro Dona Marta.

Faustini sabe onde pisa: foi ele que se fez passar como secretário municipal de uma prefeitura carioca, há alguns anos, e filmou toda a oferta de propina que recebeu. Levou um Esso, também para o Fantástico.

O ano de 2012 marca os dez anos do assassinato de Tim Lopes, ex-companheiro de equipe de Faustini. A Globo teme que em junho, quando completam-se dez anos do assassinato de Tim, surja algum livro especulando que ele tenha sido induzido pela emissora a voltar várias vezes ao mesmo local: onde investigava criminosos, que o acabaram identificando e matando.

Da mesma forma que a pressão por furos levou Tim Lopes à morte, agora a pressão por "exclusividade", mesmo que clonada, conduziu o maior produtor brasileiro, Eduardo Faustini, a um erro -- que ele, conhecedor de tudo que é, jamais teria cometido caso não tivesse sido pressionado pela emissora.

E o pior: o telespectador da Globo ficou privado de saber que o repórter especial da TV Bandeirantes, Rodrigo Hidalgo, é o autêntico autor do furo sobre o tema, que lhe rendeu o Prêmio Esso, há um mês. Assista aqui à reportagem original de Rodrigo Hidalgo, ganhador do Esso, exibida em fevereiro de 2011. E compare aqui a clonagem das bombas de combustível exibida neste domingo, 8 de janeiro de 2012, pelo Fantástico."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 10 Jan 2012 06:50 AM PST



"Entre junho e novembro de 2011, o laboratório de pesquisas de comportamento da Ericsson, o ConsumerLab, realizou estudos sobre como adolescentes preferem se comunicar e socializar e quais seriam as implicações para o futuro dos dispositivos e da tecnologia.

"Comportamentos são dinâmicos, e mudam à medida que as pessoas iniciam diferentes estágios da vida. Conforme ficam mais velhos, os adolescentes começam a utilizar as ferramentas de comunicação da mesma forma que os adultos. Eles continuam a usar as "suaCs" ferramentas, como SMS, Facebook e chat com vídeo, mas, ao mesmo tempo, entendem a necessidade de usar voz e e-mail à medida que passam para as próximas fases das suas vidas", disse Ann-Charlotte Kornblad, consultora sênior do Ericsson ConsumerLab.

O uso disseminado do SMS e do Facebook mudou a dinâmica do namoro entre adolescentes, segundo o ConsumerLab. As maiores mudanças podem ser percebidas no processo de conquista, no qual o objetivo é convidar a outra pessoa para sair. No entanto, os adolescentes ainda se encontram pessoalmente com seus pretendentes.

Outra mudança clara é o fato de que alterar o status de relacionamento no Facebook para "em um relacionamento" ou "solteiro" agora é visto pelos amigos como uma declaração oficial.

O SMS continua sendo a ferramenta preferida dos adolescentes quando encontrar-se pessoalmente não é uma opção. É uma ferramenta que não interrompe o fluxo das suas vidas. Chamadas com vídeo, por outro lado, são consideradas pelos adolescentes mais adequadas para os adultos.

O relatório revela que o nível de uso de smartphones e telefones comuns entre os adolescentes de 17 anos é o mesmo, mas os de 13 anos estão muito mais interessados em obter um smartphone, caso ainda não tenham um."


Posted: 10 Jan 2012 06:36 AM PST


"Discurso pode ter relação com desejo do tucano de aproximar o PSDB do partido do deputado

João Carlos de Faria, O Estado de S.Paulo

O deputado federal e ex-governador de São Paulo Paulo Maluf (PP) não poupou elogios ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) durante solenidade que marcou a sanção da lei que cria a Região Metropolitana do Vale do Paraíba, realizada na manhã desta segunda-feira, 9, no Palácio Boa Vista, residência oficial de Inverno do Governo do Estado, em Campos do Jordão, a 140 km de São Paulo.

Maluf foi um dos principais adversários políticos do governador Mario Covas (1933-2001), de quem Alckmin é herdeiro político. O discurso, no entanto, pode ter relação com o desejo do governador de aproximar-se do PP de Maluf para garantir mais espaço de TV para o futuro candidato tucano à prefeitura de São Paulo.

"Hoje temos um governador com G maiúsculo sob o aspecto da ética e da eficiência administrativa", cortejou Maluf. Dizendo-se amigo de Alckmin, ele o chamou de "sacerdote que trabalha em favor dos pobres" e disse que o governador é um exemplo de ética. Ética que infelizmente não vemos em outros setores desse País".

O parlamentar também fez referências indiretas aos pleitos eleitorais de 2014 e 2018, quando Alckmin pode disputar a reeleição e a Presidência, respectivamente. "Que 2014 lhe seja leve, governador, e 2018 não está tão longe", afirmou.

Maluf arrancou risos da plateia formada na sua maioria por prefeitos e políticos da região - entre eles antigos correligionários como o ex-prefeito local, Fausi Paulo - quando afirmou ter lembrança do atual governador como prefeito de Pindamonhangaba. "Ele ainda era jovem e cabeludo", destacou. Da mesma forma chamou o secretário de Assuntos Metropolitanos "broto", provocando novos risos."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 10 Jan 2012 06:26 AM PST


"Pesquisadores vêem SOPA como resultado de "rearranjo do capitalismo com a internet"

Fillipe Mauro, Opera Mundi

A polêmica gerada pelo projeto de lei norte-americano conhecido como SOPA (Stop Online Piracy Act, ou Lei Contra a Pirataria Online, em português) já chegou ao Brasil provocando debates sobre a estrutura de poder e ordenamento das mídias online.

Desde outubro do ano passado, uma comissão de republicanos e democratas no congresso dos EUA tem causado acaloradas discussões nos meios digitais. Encabeçados pelo republicano Lamar Smith, os 12 parlamentares elaboraram um projeto de lei que reforça o poder de fiscalização do governo sobre o conteúdo veiculado pela rede.

Se aprovada, a norma dará amparo ao poder judiciário dos EUA para bloquear, em seu território, sites de busca, redes sociais e qualquer outro portal, nacional ou estrangeiro, que conduza o usuário norte-americano a conteúdo pirateado ou falsificado.

Especialistas em comunicação digital e gestão pública ouvidos pela reportagem do Opera Mundi levantam suspeitas e se opõem ao projeto que, para eles, incorre em "infração de soberania".

"O rearranjo do capitalismo pela internet coloca a grande indústria em negação consigo mesma. Elas agora tentam usufruir do poderio político alcançado para manter a ordem em que foram estabelecidas", afirma Rodrigo Savazoni, ativista da Casa de Cultura Digital.

Na opinião de Pablo Ortellado, professor da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP, esse "poderio político" não se restringe apenas ao território norte-americano. O que para ele está em discussão, é uma questão envolvendo a soberania dos outros países, já que os norte-americanos acabarão legislando sobre o mundo inteiro. "O maior impacto ocorrerá fora dos EUA. O SOPA é orientado para punir atividades internas, mas, para isso, terá que intervir em empresas de fora do país", afirma.

Apple e Microsoft, grandes fabricantes de softwares receosos com as quebras de patentes de seus produtos, posicionam-se a favor do projeto. Outro grande gesto de apoio vem dos principais estúdios de Hollywood e do AFL-CIO, o maior sindicato dos EUA.

Bob Goodlatte, um dos republicanos que compõem o grupo de autores do projeto, disse, em outubro do ano passado, que a legislação criminal do país revela-se incapaz de abranger as novas tecnologias da informação, o que permitiria que "infratores internacionais roubassem a obra de empreendedores, inventores e autores" dos EUA."
Matéria Completa, ::Aqui::



Posted: 10 Jan 2012 06:11 AM PST


Correio do Brasil / Agências


"Uma pequena quantidade de maconha foi suficiente para que o rapper Snoop Dogg fosse preso, neste fim de semana, segundo divulga o site especializado em celebridades TMZ., em um dos pontos mais tóxicos e remotos dos EUA. O artista foi preso no no Texas, perto da fronteira com o México, durante uma batida policial em que cães farejadores localizaram a maconha no ônibus de turnê do músico. Snoop Dogg foi parado em Sierra Blanca, cidadezinha em que outro músico, Willie Nelson, já havia sido preso com maconha em 2010.


Segundo o TMZ, Snoop assumiu a posse da maconha e alegou que possui licença médica na Califórnia para o uso da droga. No Estado do Texas, porém, não há tolerância para consumo deste cânhamo. Após ser fichado na delegacia local, Snoop Dogg foi liberado, embora o caso tenha gerado um processo e irá a julgamento. Caso o músico seja considerado culpado, a pena poderá ultrapassar os seis meses de prisão.


Lodo tóxico


Famosa por ser rigorosa com o uso da maconha, a pequena localidade de Sierra Blanca faz vistas grossas para um dos maiores crimes ambientais em curso nos EUA. Sierra Blanca, segundo denúncia de ambientalistas norte-americanos, liberou uma área destinada ao depósito final dos sedimentos sólidos resultantes do tratamento de esgotos de Nova Iorque. Moradores locais têm denunciado uma série de problemas de saúde incomuns na última década, desde a formação do depósito. Investigadores independentes têm se concentrado em avaliar o impacto causado pela ação do lixo tóxico proveniente de NY e as licenças ambientais emitidas nesse sentido, liberadas em uma velocidade recorde de 23 dias.


O lodo de esgoto é o bolo molhado sólido produzidos depois de dejetos humanos, residenciais e industriais combinados em estações de tratamento de águas residuais. Inventário da Agência de Proteção Ambiental de Emissões Tóxicas também revela que milhares de toneladas deste resíduo químico são descarregadas em sítios por todo o país. Um relatório especial da Universidade de Cornell estima que mais de 60 mil substâncias tóxicas e compostos químicos podem ser encontrados no lodo de esgoto.


Estes resíduos são combinados em estações de tratamento central, onde se forma o lodo de esgoto, que pode conter metais pesados como o arsênico, cromo, mercúrio, chumbo e resíduos radioativos. Além disso, substâncias cancerígenas, tais como pesticidas, juntamente com agentes patogénicos, incluindo vírus e bactérias portadoras de E Coli, Salmonella e TB também são encontrados no lodo de esgoto."


Posted: 10 Jan 2012 06:06 AM PST


Agência Brasil

"O agronegócio brasileiro exportou US$ 94,59 bilhões em 2011. O resultado é o melhor desde 1997 – quando iniciou o registro da série histórica – e supera em 24% o alcançado em 2010, quando foram vendidos US$ 76,4 bilhões em produtos agropecuários.

Os complexos soja, sucroalcooleiro e carnes fizeram as maiores contribuições para o crescimento das vendas. Os principais destinos foram a União Europeia, China, os Estados Unidos, a Rússia e o Japão.

As importações de produtos do setor atingiram US$ 17,08 bilhões, crescimento de 28% em relação a 2010. Assim, o superávit da balança comercial do setor em 2011 ficou em US$ 77,51 bilhões, quase três vezes maior que o resultado global da balança comercial brasileira, que foi US$ 29,8 bilhões."


You are subscribed to email updates from BRASIL! BRASIL!
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610






--
Francisco Almeida / (91)81003406

Postar um comentário