sábado, 27 de novembro de 2010

A V Plenária Estadual dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará

Piso Salarial é bandeira de luta dos educadores paraenses

A V Plenária Estadual dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará realizada  sábado  dia 20, foi marcada por fortes debates a respeito da conjuntura política educacional e a política sindical no Brasil e no Pará. O encontro que ocorre na sede do Paysandu, em Belém, encerrou no domingo (21) e vai gerar o Plano de Lutas da categoria para 2011.

Educadores prometem lutar para implementar o PCCR no Pará. Educadores prometem lutar para implementar o PCCR e por um piso salarial no Pará.
“Tudo que está sendo discutido é para criar o nosso plano de lutas que norteará os trabalhadores no enfrentamento aos novos governos”, disse Conceição Holanda, coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp). Segundo ela, no Pará já foi aprovado o PCCR – Plano de Cargos, Carreira e Remuneração, e o governo estadual têm até o final deste ano para implantação.

Na visão da direção do sindicato, o fato de ter sido aprovado o PCCR já representa um avanço, mas é preciso efetivar a implementação do plano. “Nosso foco central dentro do PCCR é criar um piso salarial para os educadores, hoje no Pará é usado o salário mínimo como base salarial do servente ao professor doutor na escola”, explicou.

Para a dirigente sindical, o ideal seria a implantação da base salarial para os professores de acordo com o DIEESE, que deixaria o salário base do professor na faixa de R$ 2.077,00. O Sintepp promete lutar para alcança este objetivo, como um dos maiores sindicatos, possui cerca de 26 mil associados que devem buscar a concretização do direito a um salário digno.

No debate da conjuntura política muitas criticas foram feitas ao governo federal, estadual e municipal, porém os participantes eram unânimes em afirma que somente com unidade a classe de educadores em escolas públicas pode avançar na conquista dos seus direitos. “Por uma luta permanente e fortalecimento das bases que iremos crescer. Temos que ser unidos, de oposição a qualquer governo que venha tirar os direitos dos trabalhadores”, destacou a representante da regional sul do Pará, professora Sirlene Costa.

A V Plenária Estadual dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará encerra apresentando um balanço dos debates e o plano de lutas da classe trabalhadora, além de eleger os delegados que irão representar o Pará no congresso da CNTE (Congresso Nacional dos Trabalhadores em Educação) que acontece em Brasília, no mês de janeiro do próximo ano.

Publicado no site Vermelho
Postar um comentário