sexta-feira, 4 de junho de 2010

Seduc divulga calendário de reposição de aulas perdidas com a greve













Da Redação Agência Pará:



Secretaria de Comunicação

O secretário de Estado de Educação, Luiz Cavalcante, apresentou a proposta do calendário de reposição dos 18 dias parados com a greve dos professores, e garantiu que todos os alunos da rede estadual de ensino não serão prejudicados, pois terão aula nos 200 dias letivos determinados pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (2), no auditório da Seduc, Luiz Cavalcante descartou qualquer possibilidade de aulas aos sábados e no período de férias escolares, para repor o tempo perdido, e também anunciou que será instituída uma comissão para acompanhar a reposição das aulas.

A comissão deverá ter representantes do Ministério Público, Conselho Estadual de Educação, Conselho do Fundeb, União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes) e Associação de Pais, que serão convidados para fiscalizar a resposição das aulas e receber relatórios de acompanhamento.

Monitoramento - Gestores das Unidades Seduc na Escola (Uses) e Unidades Regionais de Educação (Ures), diretores e conselhos escolares das escolas também vão monitorar a reposição das aulas, garantindo que os conteúdos programáticos sejam aplicados, além de esclarecer à comunidade como se dará a reposição. "A partir de hoje vamos monitorar e cobrar a frequência dos professores. Na sexta-feira (4) será considerado dia letivo no calendário escolar e na Seduc. Por isso, peço que enviem seus filhos às escolas", afirmou o secretário.

Ele disse ainda que a greve deveria ter terminado na última sexta-feira (28). "Foi a opinião pública que percebeu que nós (os professores) temos direitos, mas os alunos também precisam ser respeitados", frisou ele, ao esclarecer que só vai pagar as aulas que forem repostas. "É uma medida normal e garante que o professor que der aula receba, e vamos cobrar que a totalidade dos professores façam a reposição", acrescentou.

Segundo ele, houve uma boa negociação sobre o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), encaminhado à Assembleia Legislativa pelo Executivo. "Posso assegurar que é um plano muito bom para a categoria, e talvez a maior conquista da última década. Há um conjunto de emendas aprovadas. Foi a greve com menor duração nos últimos três anos e, pela primeira vez, os professores terão uma carreira sabendo o nível que alcançarão do estágio probatório até a aposentadoria", informou.

A coordenadora de matrículas da Seduc, Suely Domond, também explicou a proposta de reposição. As escolas que não grevaram vão manter o calendário oficial, encerrando o ano letivo em 1º de fevereiro de 2011 e iniciando as aulas no dia 14 de março de 2011. As escolas que grevaram os 18 dias terão reposição de 2 a 25 de fevereiro de 2011, encerrando neste dia o ano letivo de 2010. "Após esse período, farão a recuperação final, haverá recesso dos professores e as aulas do próximo ano iniciarão no dia 4 de abril de 2011", disse ela.

Calendário proposto pela Seduc para repor os 18 dias parados:

Término do ano para quem não grevou: 1º/02/2011

Término para quem grevou: 25/02/2011

Período da reposição: 02 a 25 de fevereiro de 2011

Período da recuperação: serão utilizados três sábados - 28/02 a 19/03/2011

Sábados que serão utilizados: 5, 12 e 19/03/2011

Recesso dos professores: 20/03 a 03/04/2011

Início do ano letivo de 2011 para quem não grevou: 14/03/2011

Início do ano letivo de 2011 para quem grevou: 04/04/2011


Julie Rocha e Tereza Vasconcelos - Seduc
Postar um comentário